quinta-feira, março 02, 2006

O CÍRCULO VICIOSO (II)

O reitor da Universidade de Coimbra declarou que Portugal está a perder uma "oportunidade de ouro" para reformar o ensino superior de acordo com a Declaração de Bolonha e pede a intervenção expeditiva do Estado. Ora o Estado parece relutante, porque a Universidade é autónoma. A autonomia garante que a Universidade (em sentido lato) continuará a ser governada no interesse de corporações, grupos de pressão e camarilhas várias, mas ninguém quer tocar nesse valor "sagrado" e, de resto, o Estado hoje tem má fama. De maneira que, como nunca nenhuma Universidade se reformou a si própria, nada vai mudar. Perfeito.
vpv

68 comentários:

Anónimo disse...

"Os homens não são dotados da mesma dignidade moral. É por isso que existe Esquerda e Direita. Eu acredito no valor substantivo, como expressão da cultura e moral da Direita". - Quitéria Barbuda in "Deus, Pátria e Autoridade", revista "Espírito", nº 28, 2006.

QUAES CUNQUE FINDIT

www.riapa.pt.to

Anónimo disse...

Alea jacta est

Anónimo disse...

E PLURIBUS URINAM

Oxcoimbridge disse...

É que esqueceram-se de publicar um manual de instruções de como operacionalizar (passe o palavrão) o dito processo de Bolonha. O resultado é uma profusão de disparates decretadas autonomamente por gente que ainda nem perceber o que são minor, major ou double honnors. Esta incapacidade de perceberem o sistema anglo-saxónico, que é disso que se trata, vai fazer muita gente fazer má figura, a julgar pelos ecos que me chegam das mais reputadas instituições académicas. Ainda cabam motivo de chacota europeia.

maloud disse...

Se a Universidade goza de tão ampla autonomia, porque é que o seu Magnífico Reitor pede a intervenção do Estado?
Ontem pedia-se a descentralização, a autonomia, a liberalização. Hoje diz-se que a Universidade é incompetente, para se auto-regenerar, porque todos estes corpos são imobilistas.
Gostaria que me explicassem, se não há aqui uma pequena incongruência.

pirata vermelho disse...

VPV dixit! em síntese

acabaram-s'as conversas parvas

Anónimo disse...

Incongruência talvez no cheiro...a tripa retardada

Anónimo disse...

Ao aderirmos a uma comunidade, regra geral, constituída por países mais evoluídos que nós e que, ao longo dos anos, nos tem financiado, tenhamos esperança que, face ao inútil despejar de meios neste luso rectângulo, estabeleçam directivas ensinando-nos também o caminho de saída deste quase atoleiro em que se encontra o nosso ensino.
Não houve alguém que disse sobre nós, " estranho país que não se governa, nem se deixa governar"?
Olhando para a classe política que por aí se perfila parece que esta "sentença" permanece actual.

Anónimo disse...

Incongruência é alguma receita de tripa?

Anónimo disse...

Não sei se inconcruência é receita de tripa...tem que se perguntar a quem sabe...mas defacto cheira a qualquer coisa

Di Jay disse...

Parece que a autonomia da Universidade de Coimbra é igual à autonomia da Madeira...

A Universidade de Coimbra pode muito bem ter autonomia técnica, pedagógica. No entanto, parece que depende financeiramente do Estado. Assim sendo, nunca terá margem de manobra para reformas. Não é nenhuma universidade privada!

Neste estado de coisas, há que pedir a intervenção do Estado. Uma amostra do estado de confusão em que o país vive. Um Estado que todos abominam, mas que todos procuram, quando é necessário branquear, diluir responsabilidades.

Demos voz aos visados!
Querem ou não decidir sobre o futuro da UC?

e-konoklasta disse...

E a ministra da Educação não dá um jeito ? é que ela parece quase imune aos interesses instalados das corporações...

Anónimo disse...

Bom como o Estado OOPS! os nossos impostos... continuam a pagar a conta porque é que raio à de mudar?

lucklucky

maloud disse...

A ministra da Educação não tem a tutela do ensino universitário. O Mariano Gago é que trata desses assuntos no intervalo das conversas com o MIT

e-konoklasta disse...

maloud,

é que se é a universidade que pede, é porque o Gago ainda não fez nada... e, quem tem unhas é que toca guitarra.

maloud disse...

E-konoklasta,
Tenho a sensação, que a Maria de Lourdes Rodrigues tem é mais competência. Agora "unhas" parece-me que o Gago é um especialista. Só é pena, que não seja dotado para a guitarra

sniper disse...

Quando os professores catedráticos deixarem de ter a mania que são empresários, ministros e políticos, e olharem mais para a escola, talvez algo mude. A promiscuidade com o mundo "exterior" ás universidades é inaceitável. O Reitor da U. Coimbra tem uma lata colossal, ou uma incompetência de igual tamanho ao afirmar tal disparate. VPV, concordo inteiramente consigo.

VITUDO disse...

O dia em que houve algumas universidades credíveis no rectângulo já foi. Hoje é como zonas limpas de poluição - são cada vez menos.
É pena, mas vendo bem quem nos tem governado nos últimos 12 anos não há que estranhar.
Os senhores reitores por um lado dormem com a "autonomia", por outro não são capazes de lhe fazerem filhos. É um problema crónico de impotência.

maloud disse...

Bem vindo
Sempre e sempre
Maloud

unreconstructed disse...

Coimbra não interessa ao mundo e o mundo não interessa Coimbra: há 17 comentários sobre isto - contra quase 50 de um post (posterior) sobre o Freitas no Parlamento. Conclusão: a malta quer é política, e quer sangue (ou seja, vistas as coisas na longue durée, a malta quer sempre é circo)...

maloud disse...

Unreconstructed,
Acha que a malta quer política? Não a malta quer é sangue, de preferência o dos outros. Se desse à malta um combate entre gladiadores, a malta ululava e, no fim, virava o polegar para baixo.
Civilizados? Acho que não

Anónimo disse...

A "oportunidade de ouro" é a aquisição de competências, o cálculo das horas de trabalho dos alunos (a sério!) e outros delírios e vacuidades avulsas. Pobre Universidade, pobre Reitor...

Anónimo disse...

lucklucky
Para sua lembrança
o Presente do Indicativo é:
hei
hás

havemos ou hemos
heis
hão

Anónimo disse...

Acrescente HAVER ao Presente do Indicativo

pirata vermelho disse...

se as escolas deixarem de vender diplomas ou os alunos deixarem de ir lá comprá-los, o sistema desmorona-se
ou...
apenas, não é para haver escolas que ensinem nem alunos que aprendam?

lavador disse...

ele é gago, mas tem bigode!

Toca outros instrumentos.

Sobre os PROF´s (por enquanto, ainda ponho maiuscula. Mas, já arrependido.

Esses senhores, não ensinam, senhores.
Esses senhores, se quisessem ensinar, estavam nas escolas.
Esses senhores, recebem
demais por horas que não prduzem.
Há anos,Há decadas.

Só têm prosápia...
Isto, os de Lisboa e Coimbra e poucos do Porto.
Porque no campo, a maior parte trabalha .
No campus. Exos. V.Real, Aveiro, Minho.
O resto é só intelectualidade.
Na televisão (ões),em colóquios, em estudos de caca, sem consequência e..., paraeceres.
Inconsequentes, incoerentes, mas altamente bem pagos.

Se o polícia não pode ser partidário livre, porque diabo os profszzz
mandam bocas impunemente?
O que e a quem ensinam?

Por isso..., a qualidade é a que se reconhece.

Como fedorento, falam, falam, e não fazem nada.
SÓ cagança. Bem paga, claro.

Mas, espero que isto esteja a mudar.
mais 20 ou 30 anos. à portuguesa.

MAS, sempre na maior.
E com medalhas do british que só ao fim de 10 anos, é que constatou
as faltas...
dos outros, porque ele e a família, estão todos bem.

Há pouco estive a ouvir o choque tecnológico.

o homem das cãs, ia e bem, fazendo perder a cabeça da rapariga.Mas ela aguentou-se. Estòicamente.
Talvêz por ser a 1a. vêz.
Sim, porque à 2a.,elas já se sabem mexer bem.

lavador disse...

oh CCS

então e esta cena da WWF ter um megaprojecto "ecológico"
para Sesimbra?

Sesimbra?
O baluarte dos ecologistas?
reserva natural?
Só para arregalar de olhos do povo?
então, aquela treta toda
não estava já montada?
então um projecto " modelo" para Londres 2012, faz-se assim de repente?
Sabe quem está a dar a cara?
Sabe quem vai liderar a megalómana, desculpe mega experiência ecologica?

Com "bonecos" lindos, computorizados,"programados", e... a WWF?

Não será isto uma das outras World Wild Fakes?

Estes ecologistas...
Será que temos de recuperar os EX DITOCHES?
Não serão os mesmos agora e ...antes?

sniper disse...

Caro Lavador,

Amén. Como sempre brilhante!

Um abraço

Anónimo disse...

Segundo Medina Carreira, citando uma Prof. universitária amiga, desde 90 que não lhe aparecia um aluno bem preparado. Recuemos 12 anos e estaremos em 78, muito perto da revolução dos cravos, cuja "liberdade" concedida aos alunos lhes permitiu destruir impunemente o espaço escolar, amedrontar professores, abandalhar o ambiente da aula, etc, com a agravante de certos pais intervenientes que, também embebedados pela mesma "liberdade" acometiam contra os prof's que lhes incomodavam os rebentos.
Isto para afirmar perentoriamente: a escola é um local de trabalho onde o papel de cada um deve ser religiosamente respeitado e exercido com aplicação, competência e dignidade, sem o que, não fugiremos aos miseráveis indicadores verificados na matemática, mas quase generalizados a todas as outras disciplinas. Isto para dizer, também, que o ensino nos colégios da igreja não se deve essencialmente à qualidade dos prof's, mas à inegável disciplina que lá se continua a praticar. Disciplina e respeito mútuo, se praticados, mudariam muito a situação a que baixámos.

maloud disse...

Ao que eu vi, há 32 anos a preparação também deixava muito a desejar. Tive alunos de Português do antigo 5º ano, hoje 9º, que não conseguiam ler uma frase. Só me perguntava, como conseguiriam estudar as outras disciplinas. Quanto ao Francês, sendo na época obrigatório desde o 1º,actual 5º, fartei-me de ensinar o presente do indicativo dos verbos "être" e "avoir". Isto num liceu do Porto. O problema tem décadas.

PSYCHO KILLER disse...

sou aluno universitario no ist....e acho que o processo de bolonha em portugal totalmente desnecessário....não é este o caminho!

www.maodevaca.blogspot.com

lógico disse...

Maria de Lourdes Rodrigues é aquela senhora que fez este raciocínio:

Os alunos das escolas com menos de 20 alunos têm pior aproveitamento que os de escolas maiores, logo acabe-se com as pequenas.

Se se tivesse lembrado de olhar para as estatísticas indicadoras da qualidade dos professores nesses 2 tipos de escolas teria reparado em idêntica relação.

Se se tivesse lembrado de olhar para as estatísticas indicadoras da iliteracia das crianças nesses 2 tipos de escolas teria chegado a resultados idênticos.

Diz portanto a lógica que deveria também ter aniquilado os professores e os alunos.

Assim sim, resolveria o problema de uma vez.

Anónimo disse...

Querem boas escolas acabem com os prof's...ponham cozinheiras a dar aulas...e a aprender receitas de entranha da porco

J. Ryder disse...

Cá para mim parte da rejeição de Freitas tem a ver com o facto do actual MNE ser um puro produto do Establishment universitário marcelista/pós-marcelista... O Dr. VPV tem um chip on his shoulder em relação ás Universidades clássicas.. Alguém lhe barrou um doutoramento ou uma equivalência?.. Não havia vaga á vista para Professor Auxiliar?.. Explique lá essa senha que lhe venho detectando há muitos anos.. É tão fácil o inuendo que todos os Profs. Cats. em Portugal nos seus tempos de Oxford eram culpados de todos os pecados acdémicos possíveis...

Zézé disse...

Por acaso o que diz no seu post é bem verdade. O Espírito corporativista é extremamente forte na classe dos professores universitários. Isso é uma pena, porque até os bons professores nada fazem em relação a outros absolutamente incompetentes.

(a não ser gozá-los de fininho, claro)

Depois, muitas vezes, é uma lotaria, ou bem que se apanha um prof. decente ou bem que não e tem que se gramar com a pastilha na mesma. Mudar como? Meter o Estado, ergo o Governo, ao barulho? Não sei, parece-me difícil.

E o problema, claro está, também passa pelos estudantes, demasiado amorfos e apáticos para se organizarem e começarem a fazer pressão. É uma chatice.

e-konoklasta disse...

Se fosse só a Universidade, o ensino universitário, o ensino secundário, o ensino elementar, os professores, a função pública, o serviço nacional de saúde, os investimentos, as exportações, o défice público, a ineficiência da Justiça, o aumento do desemprego... estávamos bem ! não ?

Mas se calhar, tudo está mal porque somos nós que há muito não estamos bem... é de alto a baixo... pobres porque ignorantes, arrogantes e pretenciosos...

Zézé disse...

Concordo, caro e-Konoclasta. Mas criticar parece ser o nosso passatempo nacional. Porque não começar antes a pensar em formas de agir? Ou, se calhar, não vale a pena. Para quê, não é?..

maloud disse...

E-Konoklasta,
Ignorantes? Arrogantes? Pretenciosos? Não, simplesmente boçais e orgulhosos da boçalidade. Na boçalidade somos imbatíveis. Os outros 24, por mais que se esforcem, não nos alcançam.

magnuspetrus disse...

Enquanto aluno que já sofreu na pele as alterações do tratado de Bolonha, confesso que a recusa que se tem feito é apenas a recusa normal a qualquer mudança. Mudar custa e ninguém o quer fazer. Mesmo que traga benefícios.

Anónimo disse...

Não me revejo nem no que disse e-konoclasta nem maloud. Temos, como o resto da raça humana "civilizada" medo da mudança. Os estudantes não querem deixar de ter carro próprio e andar de transportes, os professores não querem ser avaliados e perder o "tacho", os partidos não querem perder votos e nós só queremos criticar. A verdade é que mesmo com as mudanças que têm vindo a acontecer, o espírito crítico não abrandou, antes pelo contrário. Os Juizes querem 2 meses de férias, os funcionários judiciais horas extraordinárias e os restantes funcionários públicos querem ficar de braços cruzados todo o dia. Ora PORRA! Se ninguém quer fazer a ponta dum CORNO, como é que o país (que é feito de todos nós) MUDA? As MERDAS não aparecem feitas! Ninguém quer é trabalhar. Cambada de preguiçosos.

Anónimo disse...

ryder, não seja imbecil...se quiser ser ubíquo seja - o site do freitas é noutro lado...Niguém manda o Prof. Freitas dizer o que diz...é por isso que ele é o que é...há prof's competentes do antigo regime, há muitos, péssimos prof's do novo regime e mal formados-entenda o que quiser...se que ajustar contas com VPV mande-lhe um email, não tenho nada a ver com isso...

Anónimo disse...

O que tem a tripa a ver com a universidade...a democratização das condições nas cantinas...gastro-entrites para todos

maloud disse...

Anónimo das 3.17 PM,
Não se revê no que eu disse, mas ao que percebi só discorda que o qualificativo seja boçal, e prefere preguiçoso. Eu concordo consigo, mas permita-me também concordar comigo. Somos uma cambada de preguiçosos e de boçais, por esta ordem ou pela inversa. Tanto me faz.

Maria de Fátima Bonifrates disse...

Meu deus! Tanta gente perde o seu tempo a ler um casal de bêbados mitómanos e apocalipticos... É por isso que a patria nao se desenvolve nem a economia cresce. Já agora se o Doutor Vasco Correia Guedes percebe tanto de ensino porque é que nao orienta estudantes ou sequer participa na gestao do Instituto universitario onde, supostamente (porque ninguem lhe poe a vista em cima) trabalha?!

Anónimo disse...

A alheira, uma variante da tripa, também faz azia...aparvalhadamente a ver Braga por uma canudo

Anónimo disse...

D. Maria de Fátima Bonifrates, a Srª também lê...para o caso de estar distraída...seja por que razão for...

mente triturada disse...

Bom, venha de lá a Sílvia e o seu variado sortido de pastilhas, branquinha e xámôn.

Anónimo disse...

maloud, não me revejo porque não me incluo. Não é uma questão de adjectivação, é uma questão de persinalização. Eu acuso de preguiça, não me incluo nos preguiçosos. Boçais (fui ver ao dicionário o significado), só se forem por conveniência.

Anónimo disse...

Ao 4:04...não sei em que escola andou - nas Irmâs Teresinha, Doroteias...não interessa...mas o que lhe fizeram não parece nada de bom...faça uma lobotomia ao lobo frontal esquerdo...e as melhoras

Anónimo disse...

Ao 4.11 porquê o lobo frontal esquerdo? Em si reusultou? Sabe o que diz? - Não. Apenas quer ter piada, claro. O seu problema, tal como o dalgumas pessoas é que nunca dizem nada de relevante, apenas tentam ter piada. Tem algo de interessante para dizer? Diga. Piadas só se tiverem graça.

Anónimo disse...

D. Maria de Fátima Bonifrates - se ainda nos está a ler...tenho ouvdo dizer que o Dr. V. Correia Guedes gosta do malte, embora achasse que a voz arrastada e alguma dificuldade em articular certas palavras-não estou a falar da gaguez, fosse constitucional. Não conheço o Dr. V. Correia Guedes pessoalmente. Quanto à Constança nunca tinha ouvido dizer que gostava de "etílico"...

Anónimo disse...

Ao 4:24...Desculpe...arranque o lobo que lhe falta...o esquerdo você já não tém...arranque a parte do cérebro que lhe resta, não está aí a fazer nada...antes disso procure saber porquê o lobo frontal esquerdo - não vá ao dicionário...e depois morra feliz.

Anónimo disse...

4.35: Parece que ficou ofendido. Pena, com tão pouco...

Anónimo disse...

Ao 4:24...antes de arrancar o cérebro...explique para toda a gente perceber...porque têm os alunos que perder o "carro próprio", aqueles que o têm, e andar de transportes? Que tipo de avalicação quer fazer aos professores para eles continuarem a manter o "tacho"? Porque têm os partidos que perder votos? Porque não podemos nós continuar a criticar? Se fosse juiz e tivesse uma vindima para fazer queria ver como é que se "safava". Porquê PORRA! CORNO!!! e MERDA! - que personagem está a fingir que é? O que é que já fez na vida que justifique chamar ao "outros" perguiçosos? Explique se puder e depois cale-se.

Anónimo disse...

5:02...Pois...

Anónimo disse...

Eu chamo preguiçoso a quem quiser enfiar o barrete. Pelos vistos foi o que o Sr. das 5.07 fez. Já identificamos um!

maloud disse...

Apesar de vários qualificativos que aqui recebi, não gosto de dizer: Todos, menos eu. Seria uma tontaria.

Manuel Villaverde Cabral disse...

Nunca tinha passado tanto tempo como hoje a visitar um blog (embora o facto de ser sábado explique o tempo gasto, não deixa de ser uma homenagem ao VPV e à CCS). É claro que discordo radicalmente de tudo o que o Vasco anda a repetir há 30 anos acerca da Umiversidade, mas na realidade o que mais me espantou, ao fim de 15 minutos na blogosfera, foi a praga do anonimato. Por profissão, já sabia que a maioria dos Portugueses tem medo de exprimir as suas opiniões em público, mas não pensava que a doença estivesse tão espalhada, sobretudo num meio fino e educado como eu julgava ser a blogosfera. Creio que foi o jornalista José Pedro Castanheira que fez uma tese sobre o "correio do leitor" do EXPRESSO (?), onde revelava que a esmagadora maioria dos correspondentes eram anónimos! Admiro sinceramente a pachorra do VPV e da CCS ao aturarem estas "bocas anónimas", mas assim as ambições da blogosfera à mútua ilustração dos participantes (à moda do "espaço público" habermasiano, if you catch my meaning) não vão muito longe!
MVC

manuel vilaverde cabral disse...

é que eu venho aqui comentar e não sou anónino. Toda a gente sabe que sou uma pessoa muito importante e por isso basta colocar a assinatura para me tirarem o chapéu.

Já esses maneis e marias bem podem acrescentar apelido que não passam de reles anónimos. Como disse o Habermas numa nota de rodapé sobre os media- o mal de Portugal é ainda existirem marias e maneis anónimos!


MVC

manuel vilaverde cabral disse...

if you catch my meaning...


sou de esquerda mas não sou do povo!



MVC

manuel villaverde cabral disse...

com a pressa até deixei cair um l

tenho dois éles no apelido. Sou gente de bem!

sou uma figura pública mundialmente conhecida

http://civis.no.sapo.pt/antiga/villaverde.jpg


MVC

Anónimo disse...

E conseguiu calar a tertúlia selecta do espectro? Amazing!
Sabe o que é, estão todos a dizer mal do Freitas lá em cima...

e-konoklasta disse...

Ó utilisador anónimo !

dessa gostei... estas sumidades, tão importantes para o girar da Terra, e tão conhecidas internacionalmente, precisam bem dum empurrãozinho ! (só para voltarem à terra, andam tão lá por cima nas altas esferas).

manuel villaverde cabral disse...

e digo mais, deviam aprender o conceito de "Reificação e consciência proletária"!

dizia Habermas:

“Os participantes da interação já não aparecem mais como os autores que dominam as situações com a ajuda de ações imputáveis, mas como os produtos das tradições em que se encontram, dos grupos solidários aos quais pertencem e dos processos de socialização em que se desenvolvem.”

MVC

manuel villaverde cabral disse...

E a esfera pública não cria democracia!

“By the 'public sphere' we mean first of all the realm of our social life in which something approaching public opinion can be formed... Citizens behave as a public body when they confer in an unrestricted frashion - that is, with the guarantee of freedom of assembly and association and the freedom to express and publish their opinions - about matters of general interest... The expression 'public opinion' refers to the tasks of criticism and control which a public body of citizens informally practices... vis-a-vis a ruling”



Em alemão:

“Strawsons performative Theorie der Wahrheit (von engl. to perform, ausführen, durchführen), auch als die dito-Theorie der Wahrheit bezeichnet (von altital. gesagt), baut auf der Sprechakttheorie auf und ist eine Variante der Redundanztheorie. Mit der Aussage Es ist wahr, dass p wird nach dieser Theorie keine andere Aussage gemacht als mit p. Es wird aber eine andere Handlung vollzogen, nämlich üblicherweise die des Bestätigens oder Bekräftigens einer vorausgegangenen Aussage. Wahrheit ist damit ein performatives Wort. Das Wort wahr ist kein metasprachliches Prädikat, sondern mit Wörtern wie ja oder dito vergleichbar. Eine Behauptung oder Aussage als wahr zu bezeichnen, heißt also eigentlich nichts anderes, als sie bestätigen, was keine Beschreibung, sondern ein Tun ist.”
E ele também diz que estamos nas mãos dos americanos!


Tenho dito


MVC

Anónimo disse...

citou o Freitas? confesso a ignorância mas gosto de aprender
mcgs

Anónimo disse...

Ou é Habermas? Freitas realmente não parece
mcgs

Anónimo disse...

mais um cromo...
este CABRAUL,com lls e tudo, auto-importante, cheio de linguas,

que giro.
olhe e tome lá mais um a nónimo.
Se tem blog, deve ser uma seca.
Fique por lá.
è que ainda não disse uma direita,chefe.
Nem conseguirá, jamais, pelos exemplos.