quinta-feira, fevereiro 16, 2006

UMA VELHA CHANTAGEM

chirico10
Sócrates resolveu dizer, em defesa de Freitas, que Portugal precisa a todo o preço de conciliar o Islão, porque tem soldados em "países muçulmanos". Mas disse mais: disse que a nossa liberdade, se for responsável, deve ser limitada pela necessidade militar. Parece que não engolir humildemente a campanha de intimidação e violência, que se organizou a pretexto dos cartoons, prejudica a nossa "missão de paz" e que Freitas, por tabela, é um benemérito. Na minha idade, já ouvi este argumento torpe a Salazar, a Marcelo, a Johnson e a Nixon. Em vez de fazer chantagem, era bom que Sócrates nos conseguisse explicar que espécie de interesse nacional nos leva a apoiar as loucuras de Bush.
vpv

53 comentários:

Rui Castro disse...

Este vai ferver, ai vai vai!

Ciro disse...

Exemplo de como não existem diferenças entre um cabotino e um delinquente.

Anónimo disse...

Salazar tinha muitos defeitos mas não gostava dos americanos.A 4 de Fevereiro de 1948, a propósito da renegociação do acordo das Lajes escreveuo seguinte ao embaixador Pedro Teotónio Pereira: (...)"é preciso evitar que se criem, através de concessões temporárias, servidões internacionais que se iriam converter em restrições de soberania com carácter definitivo."

BONIFÁCIO disse...

"As contas estão feitas
Já ganhou o Freitas"

Desde que umas escassas dezenas de milhares de votos tiraram a vitória eleitoral a DFA, este transtornou-se

Ainda por cima, ficou a pagar as despesas da campanha, com pareceres a esmo.

A diarreia foi de tal modo, que o gajo passou-se da boneca e ficou estafermo.

Quis regressar às telas que o fizeram famoso, outrora.
E vocifera !

Zulu disse...

«Que espécie de interesses»?
Os mesmos estúpidos interesses apadrinhados pelo patriota Durão na cimeira dos Açores.
Os da subserviência tou-court do pigmeu Barroso.
Interessante, como ele tratava Bush por «tu».
Pergunto: que diabo de orçamento de Estado permite derreter o que se está a pagar pela brincadeira?
Sem dinheiro para mandar cantar um cego?
Temos nós economia para suportar isto?
Visto do Regimento.

Anónimo disse...

“Farayadi Zardad, um ex-senhor de guerra afegão, foi condenado a 20 anos de prisão num Tribunal Londrino, por tortura e sequestros. Tinha um exército privado que aterrorizava afegãos numa área de 80 quilómetros quadrados, a leste de Cabul. Entre muitas coisas giras, que são apoiadas pelo Bloco de Esquerda, tinha um “cão humano”, um homem que vivia acorrentado num buraco e era solto para comer os testículos das vítimas e da ira do Líder”. – Quitéria Barbuda in “Os Homens do Presidente do Irão”, Revista “Espírito”, nº 26, 2006.
QUAES CUNQUE FINDIT


www.riapa.pt.to

AMIGO CECIL RHODES disse...

"...do pigmeu Barroso."

Senhor Zulu:

Perdão, perdão, não leve a mal - vá lá ver - se o outro é pigmeu o MM é uma amiba...perdão, perdão,

Bem haja, bem haja, mas está a ver : uma amiba, assim muito pequeninita...

Ricardo Leão disse...

A pouco e pouco a gente vai-se apercebendo de que entre Socrates e Freitas há afinal menos diferenças do que as supúnhamos. E entre Sócrates e o PS?

BONIFÁCIO disse...

Ó Leão, ó amigo:

Então, o que tem o cu a ver com as calças ?

Isto é a profissão do homem, não é a sua profissão de fé...

O PS, como o Titanis: é para ir afundando...

zazie disse...

ora bem...

e com esta os neo-trostkistas que embrulhem

ainda acabam a chamar comuna ao VPV

Plan´ disse...

Comecei a ler esta posta pensando que esta se referia à chantagem económica para que o modus vivendi ocidental nos atirou. Não se lhe refere, mas ela está lá. Esta chantagem está libidinosamente presente quando o discurso do P-M se refere aos interesses económicos de Portugal no mundo árabe.
Como ocidentais estamos, portanto, chantageados, mas como portugueses ainda o estamos mais. É que referir a coragem de se ser pobre cheira a Salazar. E, para os castos democratas, aí das ideias -quaisquer que sejam- que cheirem ao Estado Novo...

Um abraço,
Francisco Nunes

Planície Heróica disse...

P.S.:A este propósito veja-se ainda a forma mais airosa e desempoeirada -passe a expressão...- como as críticas da Opus ao filme 'Código da Vinci'é analisada nos jornais portugueses... o medo e o interesse económico, afinal, podem muito

(Francisco Nunes)

Mª Lurdes Delgado disse...

Ainda bem que o VPV faz a pergunta ao Sócrates. Como é lido e escutado e usa a informática {nunca esquecer o choque tecnológico!} e a última página do Público, pode ser que obtenha resposta e a partilhe connosco.
Em tempos eu fiz a pergunta ao saudoso José Manuel Durão Barroso e ele não me deu cavaco {juro que não tive intenção}. Claro que era uma simples cidadã eleitora e a carta ia manuscrita.
Entretanto delirei com a "coragem de ser pobre". Quem é pobre não tem coragem, o que não tem é escolha. E, ainda por cima tem a barriga vazia.

Anónimo disse...

querida zazie, quem são os neo-trotskistas que irão chamar comuma ao VPV? Por ventura está a referir-se ao BE? Parece-me que esse já não tem quaisquer ligações à IV Internacional. Esqueceu.

Polismaior disse...

Os ratos fogem de Rio Maior!


http://polismaior.blogspot.com/

IP scrambled disse...

Eu acho VPV, que isso é uma pergunta que faz parte das suas bombinhas inteligentes de Carnaval.

Mas a verdade é, de facto, outra. Como você sabe muito bem.

Nem toda a gente terá percebido a delicada situação da altura (há muito barulho propício a esses nevoeiros), mas na altura o duplo Barroso (há um Durão e há um Barroso) partilhou a ideia de ocupar o Iraque militarmente, e por isso promoveu o almoço; não pelo perigo militar do Iraque, que era consabidamente nulo, mas pela decisão ameaçadora de Saddam Hussein em promover as suas transacções de petróleo em Euros, a qual, a ter efeito, comprometeria seriamente a balança comercial dos Estados Unidos e o eixo principal da Commonwealth.

Recordemos, para o caso, que a Grã-Bretanha nunca se comprometeu seriamente com a Europa e, muito menos, com o Euro. Os EUA e a GB tiveram que fazer uma guerra de recurso que não lhes interessava. Uma guerra que era a única solução para não esvaziar a importância de certas coisas.

Portugal está muito dependente ainda, como sempre esteve, do mapa cor-de-rosa. Pessoalmente, não me perturba, e não creio sinceramente que o perturbe a si, VPV. Há outros compromissos piores.

Mas é esse o interesse nacional que nos leva a apoiar as loucuras de Bush. Ao contrário de Espanha, por exemplo.

Já falei demais, mas apeteceu-me meter a boca no trombone.

Fare thee well.

sniper disse...

A solução é acabar com a tropa. O Johnson e o Nixon apesar de tudo eram democratas e viviam numa democracia com opinião pública, onde qualquer tipo de afirmações são muito mais arricadas e muitas vezes penosas, como a histório veio provar. Penso que hoje, estes dois ex-presidentes do EUA, deram uma volta no caixão. Nós vivemos em democracia há mais de trinta anos, e de opinião pública vamos de cavalo para burro.

Mª Lurdes Delgado disse...

Lendo com cuidado e detalhadamente estes comentários encontram-se ideias fantásticas. O problema é que, às vezes são tantos {e eu também contribuo desalmadamente} que, mesmo uma pessoa dona do seu tempo tem dificuldade em absorver tudo. Felizmente dei-me conta daquela pérola epistolar do Salazar em que ele temia que servidões internacionais se convertessem em restrições de soberania com carácter definitivo. Pois é, ele sempre se preocupou muito com as servidões internacionais e, à cautela, decidiu que deveríamos ficar orgulhosamente sós. Claro que não nos pediu opinião, porque as servidões nacionais não eram bem o centro das suas preocupações.

sniper disse...

Cara Maria de Lurdes,

Você é uma "natural born blogger"! Bravo!
O nosso caro Niet está cheio de saudades suas no post "Choque de civilizações".

Mario Figueiredo disse...

Caro VPV,

Acredito sinceramente que o comportamento do governo Português (e de muitos outros paises da Europa) se deve exclusivamente ao nosso posicionamento na NATO, bem como o nosso interesse estratégico (ecnómico e de defesa nacional) em manter uma boa relação com os Estados Unidos.

Independentemente de poder ou não concordar com algumas das campanhas militares em que Portugal está envolvido (defendo por exemplo que Portugal já deveria ter retirado do Afeganistão), o facto é que somos aliados dos Estados Unidos. Em termos diplomáticos esta relação reveste-se também de responsabilidades.

Mª Lurdes Delgado disse...

Caro Sniper,
Para haver uma opinião pública forte é necessário uma classe média forte, não só economica, como culturalmente. Eu, em Portugal acho hilariante o "povinho". Basta ver aquelas cenas que fazem nas televisões. Mas, noutros países o "povinho" também tem os seus pitorescos. Viu a Royal Family, que passava na 2? Era o "povinho" inglês no seu esplendor. E quem diz o inglês diz muitos outros. O problema é quando passamos para a classe média. A classe média, mesmo aquela que vive desafogadamente, não sabe e tem horror a quem sabe. A classe média não lê um livro, não vai a um concerto, a não ser na esperança de roçar em alguém que apareça nas revistas. A classe média não tem sentido de humor, porque teme o ridículo. A classe média só conhece os resorts do Brasil ou das Maldivas. Só vai a Paris, Londres, Roma, Milão, Madrid para fazer compras e embasbacar-se diante das montras. Trocaram os caramelos de Badajoz e de Vigo pelas cópias Louis Vuitton. A classe média procura o que julga que é fino e, se descobre, corre em alvoroço para dizer que já lá esteve. Claro que quem queria paz e sossego, pira-se mal a vê. Porque ela tem muitos sinais exteriores, que a denunciam. Ora, a classe média dessa Europa que nós secretamente invejamos, normalmente não é isto. Claro, que nós também temos honrosas excepções. O problema é descobri-las.
Espero não ser linchada por causa do "povinho".

Anónimo disse...

Maria de Lurdes e Sniper: Quando o Sócrtates se torna ultra-dependente do Prof. Freitas, o futuro Cavaco Silva promete esfregar as maos de contente. Ou nao será assim?!? E essas leituras? Já leram a autobiografia da Filomena Mónica, o verdadeiro e genuíno retrato em tecnicolor do nosso fabuloso VPV?!? Deixem-se de política-politiqueira e voltem-se ambos audaciosamente para outros temas e autores:o Philippe Roth tem uma boa cópia francesa, o Philippe Sollers, casadopelo menos com a Júlia Kristeva, a linguista de Jussieu-Paris VII, das poucas coisinhas úteis que o Roland Barthes descobriu no Quartier Latin. Uma questao. será que o VPV lê o que se escreve no blogue que subscreve? A CCs dá a sensacao de ter perdido folego... teem que empregar secretárias e tradutoras como o fez(fazia...) J. Pacheco Pereira. Ciao e bom vento. Niet

Anónimo disse...

Desconfio que afinal a Maria de Lurdes Delgado é um pseudónimo da Maria Filomena Mónica.Igualmente elitista e mesmo um pouco snob.

Mª Lurdes Delgado disse...

Caro Niet,
Já li. Eu sei que devia deixar para o Verão, junto à piscina na Provença. Mas como aqui o tive emprestado e guardo os meus euros para outros autores, aproveitei o período pré-natalício, que é uma estafa para qualquer mãe, e pior ainda, quando a família alargada lhe aterra toda em casa para a ceia de 24 e o almoço de 25, e li. Já várias vezes foi aflorado nestes comentários o retrato feito no livro do VPV. Até hoje resisti sempre a replicar. Mas como isto ameaçava tornar-se um tabu, e eu de tabus estou farta, acho que posso dar opinião. Não fiquei nada espantada com o que a MFM, escreveu sobre o nosso anfitrião, correspondeu à imagem que eu tinha dele, o que para mim foi interessante, pois normalmente o lado público é muito diferente do lado privado. Fiquei agradada com a autencidade, não da MFM, mas do VPV.
PS: a piscina e a Provença aparecem, porque vou para lá {será o 8ºVerão}, mas principalmente, porque a nossa classe média só conhece a Côte d'Azur que eu só suporto no Inverno. Se isto é elitismo e snobeira, estamos conversados.

piscoiso disse...

A minha tia Natércia também é exibicionista.

Ricardo Leão disse...

Essa suspeita de a MLourdes Delgado ser a Filomena Mónica torna o blog muito mais interessante. Ela que já teve a coragem de os contar até 76, irá, se for ela, mais tarde ou mais cedo deixar cair o pseudónimo

sniper disse...

Caro Niet,

Estou disponível para qualquer tema, tal como tive o prazer de lhe dizer. Na interessante questão sobre a leitura ou não pelos nossos estimados VPV e CCS, dos comentários aqui feitos, estou certo que o fazem. Aliás qualquer blog é o melhor exercício para melhoramento do fair play......, com altos e baixos, claro! Faça uma análise à sequência dos posts.
Um cordial abraço
P.S.- Esta da nossa cara Maria de Lurdes ser a Maria Filomena Mónica, é de filme..Bom, vou pensar nisto.., mas se a MLD é a MFM, a MFM chegou ao climax. Fabuloso. Se não é, temos a nossa MLD a concorrer à PR, com a minha assinatura....Ah,ah, este blog dá um livro...

EUROLIBERAL disse...

"campanha de intimidação e violência" ?

O meu amigo deve estar a referir-se às invasões da Palestina (em 48 e 67) e do Iraque (em 91 e 03) pelos cruzados sionistas e bushistas, não é ? Então está certo. A última invasão dos cruzados até se chamava shock and awe, ou seja, traduzindo livremente, intimidação e violência... e já lá vão 150.000 mortos, só desde 2003... Claro que você não se podia estar a referir àquelas manifestações frente às embaixadas por causa das blasfémias em que não morreu ninguém, pelo menos do lado ocidental, porque então lá estaria você a incorrer no vîcio tîpico de qualquer buxeco: os dois pesos e duas medidas...

EUROLIBERAL disse...

Anonyme e Ricardo Leão:

Essa de vir para o blogue do Vasquinho falar da Filomena Mónica a propósito da Mº de Lurdes é de muito mau gosto...

Mesmo já não falando de que uma é do Porto e a outra de Lisboa, há que lembrar que a Mena disse muito mal do desempenho do Vasquinho em cuecas... dizia que não havia "química" e quem sem química era uma chatice, que não havia nada a fazer... mas o facto é que, com química ou sem ela, lá se ia deitando... com ele... e com os outros...

Esta coisa de as mulheres agora publicarem livros a atribuirem pontos a todos os machos que lhes passaram por cima é um perigoso precedente...

Ora aqui está um bom tema para o Vasco desenvolver com a mestria que se lhe reconhece. Não precisa, é claro, de fulanizar a questão. A gente sabe...

Em todo caso, a minha solidariedade machista vai inteirinha para o Vasco...

MP-S disse...

"disse que a nossa liberdade, se for responsável, deve ser limitada pela necessidade militar."

So' para notar o seguinte: isso e' exactamente o que dizem Bush e os membros da sua administracao, nao e' nada de novo. Em tempo de guerra, as liberdades teem de ser limitadas, dizem todos os governos.

MP-S disse...

As minhas desculpas... nao tinha lido a ultima frase... o meu comentario anterior e' redundante.

rb disse...

Eu ainda não li o famoso diário da MFM. Isso vale a pena? Mal sabia era que faslava do "desempenho do vasquinho em cuecas". Essa de facto dava um belo post ...

EUROLIBERAL disse...

"Em vez de fazer chantagem, era bom que Sócrates nos conseguisse explicar que espécie de interesse nacional nos leva a apoiar as loucuras de Bush."

Este parágrafo devia vir logo no inîcio... Porque os "principalmente" devem ser colocados antes dos "porém"...
Sempre que falar das "loucuras de Bush", você leva de mim a máxima pontuação...
De facto, a expedição ao Afeganistão é demasiado cara para o pouco que faz: apenas mostrar bandeira e coçar os tomates entre bocejos no aquartelamento. Já toda a gente percebeu que a "guerra ao terror" da buxaria é uma cruzada anti-islâmica. E nós, para esse peditório, já demos em Alcácer-Quibir...

Di Jay disse...

Pode não gostar-se do que VPV escreve. Mas essa história de “cuequinhas” da Filomena Mónica, aqui relembrada pelo Euroliberal, está ao nível dos pasquins voyeurs que pululam neste país.

Rui Rocha disse...

"a nossa liberdade, se for responsável, deve ser limitada pela necessidade militar" - não assisti a este acidente do Sr. Sócrates, mas tomo por certo que o disse, e sendo assim, como anti-guerra, só posso ficar embasbacado quando ouço tal barbaridade. Colocar os interesses militares acima dos humanos e assim renovar o apoio a Bush-Blair é algo que me entristece; e naturalmente muito mais vindo daquele que é quem representa os meus interesses...

Anti-critico do Freitas! disse...

Deixem lá o socrates e o Freitas um bocadinho em paz!

Se apoia o Bush é poruqe apoia, senão critcava-se de não apoiar...

Se não apoiar o fretas acusa-se de desatbilizar o governo e ser um governo fraco...se apoia é porque apoia!

Anti-critico do Freitas! disse...

Chatos!

Anónimo disse...

Cara ML Delgado e caríssimo Sniper: Será que vamos reler Nietzsche para as praias selvagens de Fréjus e Saint.Raphael este Verao?!? Ou preferem St Maxime e Egaray?!? É só dizer ... Niet

AM disse...

Caríssima Mª de Lurdes Delgado

atão não é que estes malandros lhe descobriram a careca????

Pode ir, por favor, ao Sede
http://forumsede.blogspot.com/
, que já lá está o "poste" que me pediu (chamei-lhe "declaração de amor", só para chatear os anónimos daqui) espero que goste.

Sabe que está a caminho de se tornar o maior fenómeno da "blogosfera" (depois do JPP e do VPV, claro)

Qum me dera ser seu agente...

AMNM

Mª Lurdes Delgado disse...

Não sou a MFM. Por um lado tenho pena, porque seria muito mais bonita e teria algum talento, para além do culinário, passe a imodéstia {claro que ficaria privada deste que me dá muito gozo},por outro lado fico contente, porque sou um bocadinho mais nova.
Se o Sniper tivesse a oportunidade de subscrever a minha candidatura à PR ficaríamos com um grande problema. Tinha de começar já a falar da Pátria, da cidadania, de uns escritores, pintores, músicos e procurar-lhes os bustos, que oscularia diante dos fotógrafos e dos camaramen. Tinha de começar a estudar uns dossiers tendo em vista os debates televisivos {claro que poderia declarar-me afónica para escapar}e isso dava cabo de mim. Eu só de olhar para os livros de instruções dos electrodomésticos fico pálida, utilizo os ditos usando o feeling, imagine-se o estado catatónico em que entraria só vendo os tais dossiers. Teria de ter aulas de inglês para poder dar entrevistas à CNN e falar com o Tony Blair e com o Bush. Também já agora umas liçõezinhas de cultura geral para estar à altura deste último. Teria de ser aconselhada por um estilista, embora me vista melhor, que a Drª Maria Cavaco Silva, Teria de ter aulas de colocação da voz, porque falo baixo e se tento projectá-la, esganiço. Dispensaria as de dicção, pois a palavra “problema” não me causa engulhos e não tenho o accent do Porto, muito mal aceite em quem ocupa Belém. Dispensaria as aulas de boas maneiras, porque como com a boca fechada e detesto bolo-rei. Por fim, crème de la crème, teria de andar aos abraços e às beijocas, intercalando com uns passos de dança ao “povinho” e isso recuso terminantemente, não que eu diga como a Clara Ferreira Alves que o povo mete nojo {às vezes penso}, simplesmente falta-me essa coisa comezinha LATA. Portanto fica sem efeito essa candidatura, que muito contribuiria para o enriquecimento, ainda que serôdio, do nosso surrealismo, mas lanço desde já a ideia de se procurar uma sósia da MFM ou de tentar convencer a própria MFM.
Arrumadas as presidenciais vamos ao Auto-Retrato. Esse lugar comum que um livro deixa de ser propriedade do Autor{a} depois de publicado, e passa a pertencer aos leitores é uma constatação de facto. Eu não me lembro da química ou da falta dela, mas da descrição com algum pitoresco de certos aspectos do carácter e do temperamento {alguns dos quais invejo, tenho de confessar} do VPV. E lembro-me da resposta que o nosso anfitrião deu à MFM quando ela lhe comunicou aquilo a que se propunha: Catarse. Como não tenho o livro, nada posso citar entre aspas, mas quem o tem pode sempre rever estes aspectos, do meu ponto de vista, bem mais interessantes que a dita química. Mas quem sou eu para expor os meus pontos de vista? .

Evaristo disse...

Que raio de raciocínio este, ou a falta deste. O que tem Bush a ver com Sócrates? Não é verdade que Portugal está a cumprir uma missão da Nato, da qual é membro há mais de 50 anos?...

Filipe disse...

Incrivel!!! Devo ter-me tornado analfabeto. Tirando uma pequena parte dos comentarios aqui registados, sou capaz de jurar que que qualquer relacao entre os restantes comentarios e o texto do Vasco e pura coincidencia!

Mas, o Vasco! Entao conta-me la como e que o Socrates e responsavel pelas decisoes que o Durao tomou de irmos para o Afeganistao e para o Iraque? Devo dizer que concordei com a intervencao no Afeganistao, e tive serias e grandes reservas quanto ao Iraque, reservas que com o tempo vi deveriam ter sido oposicao. Mas o mal esta feito.

No Afeganistao houve unanimidade quanto a intervencao no pos 11 de Setembro, a memoria e curta e digam-me qual foi o pais relevente que se opos, e por favor nao me digam o Irao, ou a Siria, ou Cuba, que se envergonham a voces proprios. Ja quanto ao Iraque podemos dizer que houve uma seria oposicao, se bem que a oposicao que houve no Conselho de Seguranca das Nacoes Unidas deu-se pelo mesmo motivo que oe EUA desejaram a Intervencao, pelo petroleo. Para quem nao sabia quem extraia o petroleo no Iraque eram Russos e Franceses, e a sua maior preocupacao nao eram os Iraquianos ou uma legalidade internacional, essa estava nas suas maos e nas suas decisoes.

Mas agora o que fazer? Retirar do Afeganistao e abandonar os desgracados a uns fundamentalistas Islamicos, Talibans ou outros, que nao os deixam sequer ouvir uma musiquinha, ou assobia-la enquanto cultivam a sua papoilazita? Deixar o Iraque aos Zarquawis e demais? Nem sequer acredito que se o Ocidente sair de la que o Iraque ainda exista daqui a 10 anos, teremos 3 Iraques diferentes, o que ja comeca a existir de qualquer modo?

Agora que ja falamos do Internacional vamos ao nacional. Sr. Socrates e Fretes, quando mandamos militares nao podemos esperar nem civis, nem militares, que eles so la vao beber cafe e apanhar sol, distribuir uns chocolates e dar uns passeios numas estradas empoeiradas. Para isso mandavamos as freiras do Convento do Beato que saia bastante mais barato e nao faziam tanto alarido.

Sr. Socrates e Fretes, nao acreditar que esta e uma campanha manipulada por radicais islamicos para criar uma fractura civilizacional e de uma ingenuidade de uma crianca de infantario. Entao acham que isto sao protestos espontaneos quando as caricaturas foram publicadas pela primeira vez em Setembro de 2005 e republicadas varias vezes em Outubro? Podem ser manipulaveis, mas se a reaccao "espontanea" deles demora 4 a 5 meses entao a espontaneidade deles nao e muito credivel, nao lhes parece? Parece-me que SMS's que circularam na Dinamarca a dizer que em frente ao Parlamento iam queimar pilhas de livros do Corao e da manipulacao mais barata que ha! Mas alguem acredita que o pais campeao da integracao de muculmanos na Europa, e por ai penso mesmo no mundo iria fazer isso? Porque e que no Irao foram publicados 15 Caricaturas e nao 12 Caricaturas? Sabem, Sr. Socrates e Fretes, devem ter escolhido as mais simpaticas para apaziguar os animos... Para alem de tomarem uma atitude que considero contraria aos nossos interesses (podem ler o meu comentatio ao post "A vidinha"), tambem me ENVERGONHO de ter este homem como MNE do nosso pais, hoje em dia o Fretes entrou no Estado de demencia, num mundo pos-Kantiano apenas existente entre os paises europeus.
Ja para dizer que esta visao de paises muculmanos e paises cristaos e perigosa, mas apesar de serem parte de um governo de esquerda ambos comecaram na Direita (O Sr. Socrates na JSD para quem nao sabe), e ha certas terminologias que uma Direita mais afastada do centro (Nao considero o CDS-PP extrema direita, nem no tempo do Portas) utiliza que ainda nao estao afastadas do pensamento do Fretes. O perigoso nao e a terminologia, o perigoso e que essa forma de pensar coloca a fractura entre Mundo Cristao e Mundo Islamico, quando temos que colocar a fractura entre Mundo Islamico radical e Mundo Islamico moderado que aceite as ragras da vida em democracia.

Mais uma vez (comentario A vidinha), este apaziguamento frouxo face a radicais com objectivos politicos ilimitados nao nos leva a lado nenhum, quanto mais depressa lhes fizermos frente melhor. E por favor nao me colem ao Bush, nao e preciso ocupar tudo o que e pais.

Saudacoes, e desejos de reflexao

Anónimo disse...

Mas então as pessoas continuam com dúvidas de que Sócrates e Freitas são ambos de direita? Mas alguém já esqueceu as suas origens políticas? Eu cá nunca tive dúvidas, mas se elas alguma vez existiram dissiparam-se 'nestas caricaturas'. É caso para lembrar Camus ?'ils ont fini par se rassembler'.
Já agora, e fora de propósito, o sr. Sócrates em vez de soldados honestos e provavelmente alguns 'desgraçados do povinho' devia era mandar o antigo sr.presidente da Câmara de Ourique - aquele tal do PSD e amigo do Pedrinho - para o Iraque e Afeganistão, sem ordenado, para que o correspondente fosse entregue para saldar as dívidas da autarquia. Isso é que era serviço público, porque o caso é pornográfico e especialmente quando nós sabemos que o sr. recebe e bem como ex-presidente.
Este país não tem vergonha na puta das trombas e por isso tem os governantes que merece.
Era bom que VPV escrevesse alguma coisa que agitasse este pântano autárquico. eu agradecia, porque o vómito que sinto é to tamnho do mundo e ninguém faz nada.

Filipe disse...

Este país não tem vergonha na puta das trombas

Apesar de anonimo, o que discordo, e uma grande verdade!

Mª Lurdes Delgado disse...

Caro Niet,
Então você não sabe que em Fréjus e Saint-Raphaël{5 minutos para descobrir o trema no teclado} aterra todo o banlieu parisiense no mês de Agosto? e ainda vêm com as caravanas, os campings e todas aquelas exotices de que eu desconheço o nome? Meu caro, nem quando era jovem eu fiz campismo {acho que fiz quando andei nas campanhas de alfabetização ou pelo menos algo parecido, mas com menos conforto}, e há muitos anos que eu tenho a teoria, que acampo todo o ano cá em casa. Por isso nas férias faço um break. Quanto a Ste. Maxime, não sabe que os hoteis com praia privativa, para termos espaço para a toalha e o livro, custam os olhos da cara. Se você é rico, eu não. Egaray, pelo nome, deve ser basco. Ora eu gosto que o sol me aqueça, sem o vento a refrescar-me e de águas quentes. Para isso tenho a Foz. Claro, que também tenho os portuenses.
E Nietzche, nas férias?! Eu quero é descansar os neurónios, exaustos depois de um ano inteiro se exercitarem com as conversas intelectualmente elevadas de todas as "tias" das Antas, todas muito minhas amigas.
Sempre cordialmente e reformule lá o programa

zazie disse...

«querida zazie, quem são os neo-trotskistas que irão chamar comuma ao VPV? Por ventura está a referir-se ao BE? Parece-me que esse já não tem quaisquer ligações à IV Internacional. Esqueceu.»


neo-trostskismo=
http://www.softpanorama.org/Skeptics/neo_trotkyism.shtml

Itapemirin disse...

Vasco,

Pode explicar a ilustração que escolheu para este post?

cbs disse...

Nã, não é verdade!
temos soldados onde?...
e os heróis do mar, têm medo de declarações?
Não, não como essa VpV
:))

Carlos Miguéns Leitão disse...

A propósito de Maria Filomena Mónica (MFM). É impossível MFM n ter calculado a "calhoada" no charco quando decidiu "mostrar" o bilhete de identidade. A descrição do social. O vinco do onde, quando, como, com quem e tb o porquê (!) das suas traições e aventuras sexuais trouxe-me, como um "flash", Ingrid Bergman, imolada pela misogenia do machismo básico que nega o sexo à mãe e recupera, pela porta dos fundos, o objecto, num site qualquer "free membership".
Fica a ideia de uma vida de experiência, conseguida, que poucas mulheres em Portugal devem ter. Talvez a Arlinda Mestre. Não sei.

Anónimo disse...

M.L.Delgado: A praia maravilhosa entre Saint-Raphael e Nice, chama -se Agay, com boulevard e diversos recantos de grande qualidade e charme. O macico do Estérel fica quase por cima e, na Primavera, há uns hotéis baratuchos junto ao mar para escritores malditos e amantes furtivos.Pode-se ir parao hotel do habitué Bernard-Heny Lévy em Saint-Jean-Cap-Ferrat!!! Temos é que marcar tudo com antecdência... Niet

sniper disse...

M.L.Delgado e Niet:

Desde há muitos e longos anos que a europa não é para mim um destino de férias, pelo simples facto de, e por motivos profissionais a visitar intensamente durante o ano. Felizmente não visito um só país na europa , mas sim uma amostra variada e significativa todos os anos. Quando posso, e não conheço bem a região ou o país onde estou, tento compatibilizar o trabalho, com um fim de semana na zona;´já faço isto há muitos anos.. Confesso também, para mim a europa está a ficar demasiado povoada e barulhenta para o meu gosto, pelo que e para o meu feitio que por vezes roça o do "bicho do mato", as minhas opções em termos de férias vão normalmente para locais no mundo onde eu possa dar "largas" aos meus sentidos e tentar perceber o sentido da vida em "bruto", tanto humana como animal, na sua fascinante interacção com a natureza, mesmo quando tantos perigos a estão a ameaçar. Para abreviar, senão estava a horas escrever, as minhas férias hoje, ( desde há mais ou menos dez anos.., já não sou um rapazinho novo, ah, ah), são "temáticas", ou seja conhecer a civilização Maia, lá vou eu para Honduras, Guatemala, etc, templos Budistas e Budismo, Cambodja, Tailandia, etc, vulcões e desertos do mundo, etc. Isto tudo com uma particularidade, agora com esta "idade" e não só, é que me deu para viajar tipo "pé descalço", completamente anónimo...Fascinante e gratificante em todos os sentidos. Uma outra visão do mundo e das pessoas. Já não quero outra coisa. Haja mundos no mundo para conhecer.
P.S.- Os EUA e o Canada são dois países incrívelmente intressantes em todos sentidos para se conhecer. Já os conheço bastante bem, para não dizer muito bem, e para além de ter tudo aquilo que eu hoje procuro, tem uma "fauna" humana única. Há quem observe pássaros..., eu observo pessoas...
Até breve

Mª Lurdes Delgado disse...

Caro Niet,
Como anteriormente propôs Egaray e eu não conhecia, lá fui ao Michelin e ao Gault et Millau. Como não obtive resposta pus-me a adivinhar e achei que poderia ser basco. Dantes, normalmente na Páscoa, ia com a prole, meia dúzia de dias, para o País Basco francês, para umas aldeias giríssimas com uns hoteizinhos de três estrelas bem simpáticos. Vivi lá um episódio delirante para uma burguesa do Porto que um dia contarei.
Quanto ao Estérel tenho um fascínio enorme pela côr do maciço quando o sol está baixo, ao nascer e ao pôr-do -sol. Desconheço o hotel que alberga o Henry-Lévi, mas já estive, também com a prole no Château d'Éza, com uma vista magnífica sobre St Jean-Cap-Ferrat.
Claro que tudo isto foi antes da "tanga", porque agora estamos tesos.
Ciao

Mª Lurdes Delgado disse...

Caro Sniper,
Que inveja!
Até uma próxima