segunda-feira, fevereiro 20, 2006

UM ANO DE SÓCRATES

Um ano de Sócrates, segundo o índice geral do Público:

1. Défice abaixo dos seis por cento: Conseguido pelo aumento de impostos (fundamentalmente, o IVA) e por uma maior eficácia na cobrança. A redução das despesas, ensaiada aqui e ali, com muito medo e uma grande tendência para fugir, continua a ser uma figura de propaganda.

2. Plano Tecnológico: Fora o amadorismo e o cheiro a "truque" da moda, é o que as corporações de interesses permitem que seja, por outras palavras, quase nada. Mas sempre deu a oportunidade para uma espécie de "Herman-SIC", com Bill Gates, convidado da noite, e o MIT, conjunto folclórico. Um orgasmo precoce.

3. Reestruturação da Administração Pública: Comissões, comissões, comissões. Quem se quer esconder e ficar quietinho, nomeia uma comissão. A farsa do costume.

4. Ota e TGV: Quando se deve muito dinheiro, só as dívidas nos salvam. Décimo quarto episódio do "Vigarista milionário", uma peça clássica portuguesa.

5. Fim dos regimes especiais de Segurança Social e de Saúde: Aqui, sim: contra a fraqueza a autoridade não cede. Bater nos criados foi sempre uma tradição indígena.

6. Lei das rendas: Com um tresloucado atrevimento, o governo lá se atreveu a um passinho oblíquo para evitar que os centros das cidades se tornem num montão de ruínas. Não resolveu nada, mas com certeza ficou muito bem com a sua inovadora consciência.

7. Colocações de professores por quatro anos: Consola saber que de quando em quando a FENPROF concorda com o ministro da Educação.

8. Lei da nacionalidade: Abrir a porta, com o pé firmemente na porta. Quem é xenófobo é o Portas.

9. Medicamentos fora das farmácias: Uma guerra contra o lobby das farmácias que excede as façanhas de Eurico, o Presbítero. Não toca no principal, isto é, no estatuto absurdamente privilegiado da "classe", uma excrescência do século XIX. Não se pode querer tudo.

10. Férias judiciais: Para o parolo ver. Um acto que passa com majestade ao lado dos problemas.

11. Combate a incêndios: Esperemos que da confusão estabelecida, saia luz. Não fogo.
12. Evasão fiscal: A esquerda sempre gostou de tosquiar a carneirada.

13. Fundos da "Europa": A sopa do convento ainda não acabou.
14. Acordo de Bolonha: Atrasado. Quanto mais tarde, melhor. Não se manda um coxo para os 100 metros de obstáculos.

15. Aborto: Por favor, não arranjem sarilhos ao sr. eng.

16. Taxa de carbono: Isso era na oposição.

Fora do índice geral do Público:

17. Nomeações: O Vara, o Gomes, o Oliveira Martins são beneméritos da Pátria e só por acaso criaturas do PS.
vpv

35 comentários:

Mª Lurdes Delgado disse...

Eu votei no Sócrates exactamente, porque estava preocupada com a situação do Vara, desde aquela cena da FPR.
Magnífico! Explicação muito mais clara que a do JMF e, desculpe lá, com muito mais humor.

Anónimo disse...

Viva o PPD/PSD!!!
Força, Força Companheiro Vasco
Nos seremos a muralha d'aço.

Vera Cymbron disse...

Um ano de muita escrita e poucas acções concretas e correctas...ai ai Sr. Socrates, que será do novo ano, quantos mais vais ficar?!

xatoo disse...

Agora por Público e o inefável Fernandes
Eu nem quero acreditar
A Clara Ferreira Alves, a pensar numa certa imprensa referiu-se-lhes como sendo os "Merdia"

xatoo disse...

Quanto ao Governo Neoliberal está exactamente no mesmo ponto em que está a Economia - governa por impulsos pontuais (investimentos) de manhã, para ver que resultados (na Bolsa) é que se verificaram ao fim da tarde.
E amanhã, é outro dia,,,

Paulo Pisco disse...

Bela lista.
Grandes e boas gargalhadas, humor é preciso.
E já agora, parabéns ao "menino".

Jose Sarney disse...

Excelente, Caro VPV.

Mas, ainda assim muito curto!

Falta pelo menos: os tais 150.000 postos de trabalho!

PS Ahhh, parece que era a destruição de 150.000 postos de trabalho....já faltou mais!

Anónimo disse...

18. A eliçao de Cavaco Silva e Ramalho Eanes

Anónimo disse...

A sua visão obtusa e mesquinha da sociedade já nao surpreende, e os seus posts começam cada vez mais a parecer uma receita sem nada de original. Enfim....

Gito_no_msm@hotmail.com

Itapemirin disse...

VPV,

ainda falta:

A retirada dos Crucifixos das escolas;

Casamento dos gays;

e

Solução para o problema do Oriente-Médio e a visão sobre o mundo ocidental.

Um ano em cheio para Portugal.

Anónimo disse...

Mas estamos muito melhor do que estavamos há 1 ano. O pior problema do país é a oposiçao, que é completamente cega e só tem interesses politicos para si mesmo e nao para o beneficio do país.

Anónimo disse...

Não percebi essa do pé na porta acerca da Lei da Nacionalidade...Eu até já só me declaro LUSITANO e queria mais????Ora essa...Andou exilado onde? Não me diga que foi colega do do milhão...

rb disse...

Este governo é incrível. Não deve ser fácil governar, durante um ano, com tantas medidas e sem uma ponta por onde se lhe pegue. Por outro lado, também é incrível como VPV escreve sobre política sem nunca dizer bem de nada, não se comprometendo. Podia, pelo menos, propor uma alternativa, uma solução, algo de construtivo, mas não é sempre a acidez do costume. Mas tem piada ...

migas (miguel araújo) disse...

É curioso que o indíce não remete para os inevitáveis "anexos" ou "apêndices".
É que me parece que falta o aumento da carga fiscal, os problemas da justiça, a (des)educação escolar, os aumentos dos combustíveis, o desaire das autárquicas e das presidenciais (estas do ponto de vista interno e da aposta da candidatura oficial), o fantasma plano tecnológico e a saúde doentia.
O 17º item, está interessante.
Cumprimentos

tina disse...

Na área que eu conheço melhor, a educação, estou muito contente com o que o governo de Sócrates tem feito. Mesmo muito. E acho que estar a avaliar o desempenho de um governo baseado no primeiro ano, é irrelevante. Se uma pessoa tivesse que ser avaliada pelo seu primeiro ano num trabalho novo, era logo despedida.

Mª Lurdes Delgado disse...

Anonymous das 9:56 PM,
Está-se a referir ao que o nosso próximo PR disse no debate com o Louçã? Não foi o milhão. Foram 10 milhões. Eu fixei porque foi um momento sublime e imperdível.

Mª Lurdes Delgado disse...

Atento,
Ainda bem que o vejo cavalgar a onda. Quanto à apreciação que faz de VPV, não é justa. Há uns anos eu li ou vi, já não me lembro, o VPV dizer que se soubesse tirar-nos do buraco em que estamos metidos se candidatava a 1ª Ministro. Eu achei de uma sinceridade tocante. E principalmente de uma grande honestidade intelectual, coisa, que como sabe, não abunda na Pátria

Anónimo disse...

A malta anda muito cansada. Ainda são só 2 milhões abaixo da linha de água. Depois vem o mundial e ainda podemos ter uma chance de chegar aos quartos. Na ressaca, lá para o fim do ano, podem ser 4 milhões. Em 2007, mais dia menos dia vai aquecer. Aí chegados eles vão fugir como os outros (AG.DR) fizeram. Nem mais.

Anónimo disse...

Companheiros e afins da Direita, resta-vos o último palco para os anos vindouros: a blogosfera.
Vomitem aí com força as vossas maldicências para com o Governo Socialista, por certo que a maioria dos portugueses não vos acompanhará...
Caramba, nem a vitória do Cavaco vos deixa satisfeitos... deixem lá, são só 8 ou 12 anos... ahahah

Anónimo disse...

O engraçado deste post, é que dois posts abaixo, no "Um Aviso", VPV descose-se ao elogiar o que se está a fazer na educação, na saúde e até mesmo na reorganização do território. Vindo de quem vem já não é mau !

sniper disse...

Infelizmente, tudo o que vem aqui escrito, não é mais do que um "digest" da desgraça à muito esperada, e por alguns anunciada, os quais eram apodados de profetas da desgraça. O PCP já deve estar a encomendar bandeiras com a foice e o martelo. Muitas. É curioso, o partido com maior contribuição passada e presente para este cenário real, é poupado em todo o lado, inclusivé nos blogs. Apetece-me dizer, "assim se vê a força do PC". Estou interessado em ouvir e ler os comentadores que fazem fretes ao governo, os Teixeiras, os Resendes, os Metelos, os Fórum(s) da TSF do inarrável Dr. Acácio, etc. Se esta noticía aparecesse no tempo do Cavaco ou do Santana de péssimas memórias, o PR tinha que intervir dada a agitação que tal causaria. Para terminar, penso que o pior está para vir, porque o outro inarrável da nossa praça, o Manuel Alegre, encontrou finalmente o motivo para pôr o movimento em partido, para salvar a pátria. Vamos ficar ainda mais lixados.

Di Jay disse...

VPV acertou em cheio! Enquanto houver sopa no convento, os frades não largam a panela. A oposição ladra mas não morde, pois a confraria tem que continuar.

Na passada terça-feira tive a oportunidade de assistir à visita de um ministro a um Instituto que tutela, e que servia também para apresentar a “ nova” direcção do referido organismo. Lá estava também a inefável e sempiterna classe dirigente, aprumada e sorridente, de ar atento e disponível. Um remake!
O ministro lá foi dizendo que, independentemente de fusões e extinções que para aí venham, esse organismo é vital para o desenvolvimento. E por isso não estará em causa a sua existência, pese embora atoardas jornalísticas que vão surgindo ultimamente nos media ( dixit ). A dúvida: foi necessário 1 ano para se chegar à conclusão da inevitabilidade da existência desse organismo?
O ministro deixou também uma mensagem de boas intenções: será o organismo a fazer o esboço daquilo que pretende ser, das atribuições que terá, do quadro de pessoal necessário numa óptica de racionalização, chegando mesmo a falar da famosa relação benefícios/custos. Tudo isto seria sensato se a produção do desenho não fosse entregue de mão beijada a uma classe dirigente intermédia, esses opacos grupos de pessoas...E mais uma vez a estrutura será feita à medida dos seus interesses de dentro, e dos outros que estão à espera lá fora.
Bem me parece que a reforma da administração pública proclamada por Sócrates não passará de mais um flop! O que o centrão quer é sossego e tratar da sua vidinha.

Clara disse...

Não sabia que você é do PSD. É pena. Julgava-o mais inteligente.Desilusão! Este post seu é uma m....

Davide E. Figueiredo disse...

O senhor Vasco Pulido Valente é do PSD!!?? :(

Agora só falta dizerem-me que o Calvin e o Hobbes são do PCTP MRPP... :(

Anónimo disse...

««avaliar o desempenho de um governo baseado no primeiro ano, é irrelevante. Se uma pessoa tivesse que ser avaliada pelo seu primeiro ano num trabalho novo, era logo despedida.»»

Eheheh... E que tal se forem 4 meses?

piscoiso disse...

... ou que o Bart Simpson é da Opus Dei.

Anónimo disse...

ou o Estaline não tinha bigode...

Anónimo disse...

É sempre bom ver alguém que oscila da esquerda para a direita.

Anónimo disse...

Meus amigos, quem de vez em quando introduz alguma mudança nisto, não são os que estão nos redis da esquerda ou da direita. São os cidadãos livres, chamem-lhe centrões, que vão mandando para um ou outro redil, conforme a avaliação do momento, os seus votos. Então não sabem já que só os burros não mudam?

Anónimo disse...

Pois, aquilo que faltava a Portugal era o Movimento de Intervenção e Cidadania.

Mª Lurdes Delgado disse...

Pois é o Alegre, a Inês Pedrosa, a Helena Roseta e o milhão e tal de votos vão revolucionar docemente a Pátria. O stock de nomes é que está a ficar esgotado. Se o Alegre estiver de acordo, preferindo eu as flores aos frutos e aos tecidos, {sempre são mais poéticas} chamar-lhe-íamos Revolução das Violetas. Vi hoje à venda.

tina disse...

"Eheheh... E que tal se forem 4 meses?"

Então passo a explicar porque é 1 ano é irrelevante. Porque é quando se aprendem os dossiers, constróiem-se as bases de trabalho e projecta-se o futuro. Tudo trabalho não visível. Agora, no caso de Santana Lopes as bacoradas começaram a ser logo evidentes. E embaraçaram muitos PSDs como eu.

Anónimo disse...

Acho giro a estes criticos do cacete, para não dizer outra coisa mais singela.

Criticam, criticam, mas não dão uma alternativa.

Então perguntam e voce não dá?

Não dou porque não tenho a inteligencia superficial do Vasquinho, se ao mesnos tivesse a inteligencia do Vasco Santana, la poderia dizer isto é do MASTROIDEU

Anónimo disse...

"Acho giro a estes criticos do cacete"

Aprenda a escrever antes de não dar a sua alternativa.

Mykah disse...

8. Lei da nacionalidade: bela maquilhagem. Foi lindo ver a bancada do CDS-PP liderada por um aparente teenager a aparentar uma capoeira que aparentemente foi atacada por um aparente cão...