sábado, fevereiro 18, 2006

QUEM ANDA À CHUVA...

chuva1
Desde sempre, quando o PS ou PSD têm perante si um longo período de oposição começam a falar em "abrir" o partido, que presumivelmente estava antes "fechado". O exercício pressupõe a má fama dos políticos da casa e presume que "atrair" gente de fora, sem o estigma da corrupção, da intriga e do carreirismo, ligará por um processo obscuro a "máquina" à sociedade ou mesmo remeterá a "máquina" para um papel secundário. Na realidade, apesar de várias tentativas, nunca "abertura" alguma trouxe a mínima mudança ao PS e ao PSD, para lá da "adesão" provisória de "figuras" de puro valor ornamental ou de gente já marcada para um futuro governo. Há ainda no PSD quem insista nesta velha receita, mas muito pouca e muito "cavaquista". O populismo veio para ficar e a "abertura", como panaceia, foi largamente substituída pela "democratização" da "máquina".
Essa presuntiva reforma consiste sobretudo na eleição directa do Presidente. Só que não pára aqui. Os descendentes de Santana querem mais. Querem que os candidatos do PSD, das Juntas de Freguesia ao parlamento, sejam "ratificados" pelo "sufrágio universal" dos militantes. Que isto, num país pequeno e pobre como Portugal, possa transformar o PSD num perpétuo tumulto, não lhes passa pela cabeça. As "bases" tomaram um estatuto mítico. O homem de Gaia, Luís Filipe Menezes, fala do "poder das bases" como outrora Otelo falava do "poder do povo" e ataca com a maior seriedade o "centralismo democrático", que, segundo ele, é na prática o regime do partido.
Entretanto, Marques Mendes, que nem "abriu" o PSD e nem parece entusiasmado com a "democratização da máquina" (embora aceite a eleição directa do Presidente, a que até recentemente se opunha), perde o tempo e a paciência numa fronda tradicional contra o governo. Uma fronda que não leva a nada, como não levou com Guterres, com Barroso ou com Ferro, não por falta de autoridade, dele próprio ou de quem o segue, mas porque a retórica abstracta de protesto não interessa a ninguém. O mal do PSD não é ser "fechado" ou "centralizado e aparelhístico" (Menezes dixit), é o de fazer uma oposição arcaica. Vive, sem um único spin doctor, à mercê da oratória de S. Bento (que o regimento ainda por cima prejudica) e do lugar que a imprensa e as televisões lhe querem dar. Anda atrás da agenda do governo e do aleatório dia a dia do país. Não tem política, nem políticas. Ou um gabinete-sombra para dar uma cara a cada crítica e vigiar cada ministro. Não admira que nesse vácuo os "notáveis" resmunguem e os demagogos se agitem. Quem anda à chuva…
vpv
(publicado no jornal Público)

29 comentários:

Anónimo disse...

Será que anda toda a gente a dormir? Estive a ler o Blog e muito me surpreendeu a ausência de qualquer comentário em ralação à demissão do Presidente do Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil, passados poucvos dias da tomada de posse. Gostei de Ver a cara de pau do Ministro da tutela a falar sobre o assunto. Parece que só eu achei anormal toda esta situação!. É um erro querer colocar militares a chefiar uma instituição de caracter marcadamente civil! Mas há que dar a mão aos companheiros e amigos... é sempre a mesma coisa

Anónimo disse...

Quantos são os militantes do PSD com cartão, quotas em dias e capacidade eleitoral? Menos de 50 mil, aposto. São eles que vão ratificar a escolha de dirigentes, desde o presidente do partido até ao candidato à junta de freguesia? Pois está bem. Contar os votos dará pouco trabalho.

ruy disse...

Não há fórmula que faça atrair gente séria aos partidos. Eles fecharam-se em torno das suas clientelas e agridem quem de boa fé e com ideais ainda ocorra a estas aberturas partidárias. E tudo isto é comum a qualquer partido. Marques Mendes parece ser um líder fraco, sem convição ou carisma, incapaz de motivar quem quer que seja. Mas de todos aqueles que agora se perfilam, serão, iguais ou, e por outras razões, tão incompetentes quanto ele. Para mal de todos nós.

Anónimo disse...

"porque a retórica abstracta de protesto não interessa a ninguém"

Esta frase diz tudo. Aplica-se ao maior partido da oposição, mas sobretudo aos partidos de contestação como o PC e o bloco de esquerda.

piscoiso disse...

O horário de abertura dos Partidos afixado à porta, não anda a ser cumprido.

Mª Lurdes Delgado disse...

Eu julgava que o Dr. António Borges era o spin doctor do PSD. Estava enganada?

Jose Sarney disse...

"Não há fórmula que faça atrair gente séria aos partidos."

É o fim da III República! Esgotou-se o modelo. Quando a "dita" democracia não se renova e não atrai gente diferente e com valor acrescentado, definha e falece!

Aguardamos, calmamente!

daniel disse...

Caro Picoiso, os partidos estão como aquelas chafaricas dos centros comerciais que vendem pot-pourri e quando as visitamos para comprar algo, têm papel na porta a dizer:"volto já".

José Ferreira disse...

Base vs Povo
Bom, o povo tem o poder.
Agora o povo é burro ?
Para mim, às vezes parece.
Mas isso !!!!
E quanto mais caminhamos, penso que ainda há-de ser pior

Anónimo disse...

Para o anónimo das 8 e 4 PM: O ministro António Costa não fez cara de pau, fez cara de puto quando anunciou a demissão do presidente do Serviço de Bombeiros e Protecção Civil.Parecia uma criança a dizer "bem feito bem feito não quiseste brincar comigo mas já tenho quem te substitua e só foram precisas umas horas."
Não percebo porque é que António Costa resolveu humilhar assim o general que ocupou o lugar durante nove dias, nem percebo o que é que nós temos a ver com as desavenças internas do MAI. Que falta de sentido de Estado e de boas maneiras!

propanolol disse...

Quanto a mim, a oposição só faz sentido se for construtiva e dirigida aos reais interesses do país. Se não, e se ainda por cima for, e é, arcaica, como diz VPV, não saimos nunca das guerrazinhas de quintal. É tambem assim que se perpetua a nossa encantadora matriz ultraperiférica.

Anónimo disse...

VPV cada vez anda mais em lugares comuns.
Será que ele esperava que o meia leca do Mendes saía melhor do que a encomenda?
Não tenho pachorra para tanta fantasia...

antonio menezes disse...

Tenho um desgosto enorme em ver os "notáveis" e os demagogos do PSD, no estado em que o Dr VPV os vê.
É um verdadeiro problema nacional!

Anónimo disse...

O mal deste país é que é um país de capelinhas como os partidos e para essas capelinhas vão sempre 'rezar' os mesmos.
Não há volta a dar, só se for a pontapé de saída e começar do zero.
Não é que eu até gostava?

galvao99 disse...

..."Na realidade, apesar de várias tentativas, nunca "abertura" alguma trouxe a mínima mudança ao PS e ao PSD, para lá da "adesão" provisória de "figuras" de puro valor ornamental..."

Foi isso que o VPV sentiu que lhe aconteceu quando lá esteve?

Anónimo disse...

Querido,
Para a próxima vez que me convidares para o teu apartamento e passares a noite agarrado ao coputador a escrever essa merda dos blogs ficas a falar sozinho.
Publica esta se tiveres coragem
Suzete

Anónimo disse...

Versos para Maomé & Companhia


Meus senhores eu sou Maomé

que lava a cara, que lava os olhos

que lava a rata e os entrefolhos

que lava a nabiça e os agriões

que lava a piça e os colhões

que lava as damas e o que está vago

pois lava as mamas e por onde cago.


Meus senhores aqui está o Profeta

que rega a salsa e o rabanete dos mouros

que lava a língua a quem faz minete

que lava o chibo mesmo da rasca

tira o cheiro a bacalhau da lasca

que bebe o árabe que bebe o porco

que lava a dona e o berbigão


Meus senhores aqui está o Profeta

que lava os olhos e os grelinhos

que lava a cona e os paninhos

que lava o sangue das grandes lutas

que lava sérias e lava putas

apaga o lume e o borralho

e que lava as guelras ao caralho


Meus senhores aqui está o Profeta

que rega as rosas e os manjericos

que lava o bidé, lava penicos

tira mau cheiro das algibeiras

dá de beber às fressureiras

lava a tromba a qualquer mouro e

lava a boca depois de um broche.

QUAES CUNQUE FINDIT
MAOMÉ É RABO !
Quitéria é Grande !

piscoiso disse...

Quem anda à chuva molha-se e o bullying é uma especie de granizo na Net.
A minha tia Valentina, tem sempre uma janela aberta para a rua.
Quando passam malcriados aos gritos, afasta-se, mas não a fecha.

Anónimo disse...

Pois, porque a sua tia Valentina não é liberal, antes se dá muito bem com o vento suão...

Mª Lurdes Delgado disse...

Como a sia tia Valentina vou manter a janela aberta e quando passarem os citados, recolher-me-ei.

Anónimo disse...

Os citados malcriados? Lol!

Anónimo disse...

Piscoiso só me faz lembrar o Henriquinho de Souselas de Júlio Dinis. Um rapazinho tão avisado!

Idalina dos provérbios disse...

Bourkas como as do Piscoiso são um sucesso!

piscoiso disse...

Se leu a Morgadinha, desengane-se, pois nada tenho do hipocondríaco Henrique.
Mas isso é outra chuva.

Maria Alfacinha disse...

Caro anónimo das 11.04

Subscrevo!

Essa ausência de sentido de estado tb se viu na cena da 'Festa Brava' na AR com o 'matador em ombros'...

Uma tristeza!

Anónimo disse...

A minha tia Guilhermina sempre quis muito ao animais e cada vez que o Bruno Ventana incita à Festa Brava, de imediato faz a genuflexão no seu oratório.

Idalina dos provérbios disse...

Desculpe Piscoiso, mas não é outra chuva:são outros coiratos!

Anónimo disse...

Quem tem dúvidas de que o estado a que "isto" chegou se deve a outra
qualquer coisa que não seja o estado da aparelhística partidária?
Mas então a imprensa não vem noticiando, há muitos anos, o cruzamento de fidelidades e favores, a livre circulação entre cargos do governo e altos postos das empresas públicas e os rumores, uns caluniosos e outros fundamentados sobre as autarquias e, até, do desporto, tudo constituído numa malha quase impenetrável, de infuências?

Davide E. Figueiredo disse...

MOLHA-SE!


ganhei? fui o primeiros!