terça-feira, fevereiro 07, 2006

PRESIDENTES

Nem o Presidente em exercício, nem o Presidente eleito acharam por bem dar a sua opinião sobre a ofensiva da propaganda muçulmana contra o Ocidente. Parece que a coisa não é com eles. Grandes figuras, não há dúvida. Um Estado com este género de chefes nunca estará em perigo. Os portugueses podem dormir descansadíssimos.
vpv

39 comentários:

maria disse...

O meu desejo é que o presidente eleito continue assim, caladinho, porque se abre a boca...

Marco disse...

Cavaco ainda não ocupou o cargo e é natural que não se pronuncie até lá sobre nenhuma matéria. Já Sampaio...

Jose Sarney disse...

Sampaio que tem opinião sobre tudo e sobre nada, mais vale estar caladinho......porque já chega de adormecimento de 10 anos! Ciao!


Quanto a Cavaco, foi sempre parco em palavras. Continuará a sê-lo, até porque se faz, como fez Sampaio, arrisca-se a ser ABSOLUTAMENTE ignorado.

randomblog disse...

A opinião, tanto de Cavaco como de Sampaio, seria com certeza determinante no deenrolar da situação.
Se fosse Durão Barroso, já nos teria dito que havia falado ao telefone com uma secretária de Bush, manifestando todo o apoio em qualquer decisão que tomasse...

cris disse...

Mas Sampaio já se manifestou há dias sobre o assunto.

Anónimo disse...

Jorge Sampaio manifestou-se há dias dizendo que nada dizia.Talvez seja melhor assim porque quando ele diz nem sempre se percebe.Mas a propósito do que diz e não diz o Presidente cessante: quando será que temos o prazer de o ouvir comentar o inquérito da Procuradoria Geral da República às escutas telefónicas? Ainda não há conclusões? Mas os jornalistas não perguntam?

dorean paxorales disse...

Quaisquer que tenham sido os objectivos dos fundadores desta III República, a prática da Presidência tornou-a sobretudo uma condecoração pública, um plebiscito à vaidade, e só depois uma responsabilidade que jamais ultrapassa os limites da intriga doméstica.

Quaisquer que sejam os inquilinos das Necessidades (um nome brilhante), a única 'guerra' para a qual se preparam anos a fio foi a do buffet de hotel, dos quadros comunitários, da venda de contrapartidas. Nunca dos MNEs saiu uma definição, um comprometimento: "se não fizermos barulho talvez se esqueçam que estamos aqui".

Destes acima, o típico autarca nacional partilha a visão quinquenal do cargo e só se diferencia pelo grau de corrupção.

Há ainda quem espere desta malta algum suspiro de opinião?

cris disse...

"A declaração dos sete chefes de Estado significa que não há concessões em matéria de liberdade, mas quando exprimimos a nossa liberdade também temos de ter em conta a sensibilidade e as liberdades dos outros e as suas concepções”, afirmou o Presidente da República

http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=190698&idselect=9&idCanal=9&p=94

Anónimo disse...

Uma nota- Cavaco ainda não ocupou o cargo, havendo, como se sabe, um Presidente em exercício até 9 de Março.
Um alvitre- Peça paleio ao seu amigalhuço Soares.
Adeus.

Fernando Castro Henriques

timshel disse...

ainda agora vi num blogue neoliberal mais uma sentença da colectâne das máximas do neoliberalismo português:

"a ideia do bom senso tem subjacente um projecto colectivista"

tenho a impressão que este blogue também anda a ler pela mesma cartilha

Anónimo disse...

Post sem ponta por onde se lhe pegue.

João Cúcio

Anónimo disse...

Sampaio, Cavaco, Diogo, Ghandi... Viva o comentador capícua. Que não lhe doa o dedo com que "pressiona a qui êntar."

deza7 disse...

http://deza7.blogs.sapo.pt

Nuno disse...

Querem dar umas boas gargalhadas? Vejam a caixa de comentários deste post do Daniel Oliveira no aspirina:

http://aspirinab.weblog.com.pt/2006/02/a_liberdade_da_islamofobia.html#comments

A partir de certa altura deixaram de comentar o post para se porem a falar de Cuba e da Coreia do Norte. Por favor não percam, tem lá pérolas escredistas como esta:

"Contudo nunca o vi a pôr em causa as eleições em Portugal, em França, nos USA, na Letónia ou na Polónia, pelo que deduzo que acha que nestes países as eleições são LIVRES e que em todos eles vigora a verdadeira democracia. Só em Cuba (e na Coreia) é que não, tanto que as classifica de “ditaduras”.

Fiquei portanto com a curiosidade de saber qual o seu critério para definir “eleições livres”. Se quiser fazer o favor de explicar…"

Isto para não falar de gente que lê o Gramma, ou links para o site oficial do governo da Coreia do Norte!

shark disse...

Cavaco não vai dizer nada, assim como eu também não!

sniper disse...

Com o 04/25 acabou a política externa portuguesa. Boa ou má, dependendo dos critérios de avaliação, mas de certeza muito complicada e com muita "adrenalina" devido à guerra fria, e não só. Com a entrada na CE, foi o enterro. Era muito mais barato e eficaz, passarmos procuração a outros países da CE para nos representar.

piscoiso disse...

Cavaco tem mais que fazer do que opinar sobre caricaturas.
Ainda nem sequer teve tempo para encaixotar a roupa que a Maria quer que ele leve.

Anónimo disse...

os portugueses sempre gostaram de dormir descansados, até na segunda grande guerra o conseguiram.
Somos o país dos brandos costumes, das meias verdades e do assobiar pró lado. Nada de extraordinário portanto. Já a minha avó dizia, quanto mais nos baixarmos mais se mostra as cuecas. Pois. Parece que os nossos dirigentes andam todos de cú ao léu.

RS disse...

Por mim, ficaria mais descansado sabendo-o a dormir descansado. A não ser que escreva durante o sono.

Anónimo disse...

Tu és português também,
ó camarada Vasco P. V.

O teu almejo? ;-)

Abraço para ti camarada.

Logo vejo, a tua revolução para na fronteira, nesta fronteira.

Hahaha.

Como diz o nosso povo?
O cão que ladra,
não morde. Dorme.

Hahaha.

Mao

Anónimo disse...

http://www.liberation.fr/page.php?Article=357525

Anónimo disse...

... pára (!) na fronteira.

Hahaha.

Eu gosto muito de ti,
ó Vasco.

Eu também estudei em Oxford.
Hahaha.

Cavalo Marinho disse...

Com o país e os políticos que temos, de facto, o que melhor temos a fazer é dormir e de preferência descansados.

rb disse...

Por acaso, gostava de ouvir opinar o nosso Cavaquinho sobre a crise mundial do cartoon dina. Ai gostava, gostava ...

Saloio disse...

Ainda bem que o Sampaio ficou calado...desta vez.

Lembro-me de quando ele, atraído pelos microfones, decidiu perguntar ao Hugo Chavez porque é que o nosso piloto estava preso há um ano; e o outro respondeu-lhe que ele tinha a acusação deduzida há seis meses, e que o julgamento estava a ser sucessivamente adiado face dos constantes recursos dos outros co-réus. Antes de desligar o telefone, HC aproveitou para perguntar ao Sampaio pelos 270 concidadãos dele que aguardam nas nossas prisões, com uma média de 2 anos de prisão preventiva, sem acusação deduzida.

A outra recente que me lembro do presidente Sampaio, foi a de propôr a inversão do ónus da prova para certos sugeitos com quem ele não simpatiza...isto vindo de um advogado de profissão com mais de 30 anos de prática, diz tudo sobre o nosso actual presidente (para mim, o pior desde o 25 de Abril).

Por isso, penso ser preferível que ele fique caladinho: evita-se que mais uma vez envergonhe o povo português.

lucas disse...

Sampaio faz melhor em ficar calado, porque só diz disparates. Cavaco evita introduzir um ruído desnecessário, no que age muito bem.
Querem conversa fiada? Peçam ao Soares.

Éme disse...

Ó Vasco,

Isso também não é assim.
O Cavaco não disse nada porque ainda não é presidente em funções.
O Sampaio ainda só está preocupado, c'os diabos, depois logo dirá qualquer coisinha...
Aguardemos, há-de saír!

Anónimo disse...

O Sampaio está calado, mas ansiosamente à espera que a fábrica de medalhas fabrique não sei quantos milhões de caricas, uma para cada corajoso muçulmano que se sinta humilhado.
Vai chamar-se Grande Ordem da Humilhação.

Aestranha disse...

Do que cessa funções ainda houve uma altura em que pude gostar dele enquanto PR, mas esse passado já lá vai há muito tempo. Quanto ao novo, acho que a sua eleição se deve a uma amnésia em massa dos portugueses... Neste caso, no entanto, pergunto-me se haverá mesmo alguma coisa a dizer e acho que não, penso que os dois apenas demonstraram ter algum bom senso, o que já não se pode dizer do Diogo Freitas do Amaral!

Anónimo disse...

isso é mentitra. O presidente Sampaio já se manifestou e já alguém o disse nos comentários. Pelos vistos ninguém le o blog porque nem emendam.

Anónimo disse...

UM, o que se ainda reside em Belém não se quer chatear mais; Bem, o Outro, o que foi eleito, nunca diz nada... este, penso, pouco leu ou viu além da economia; Aposto que nunca viu um filme de Kazan ou de Visconti. Assim sendo, como quer que ele se pronuncie sobre esta questão? Aposto que sabe apenas o pai nosso!

Bem visto VPV!

Apatrida

Adriano Volframista disse...

Jorge Sampaio "O Extemporâneo" apenas pode falar depois, ou muito antes dos acontecimentos, Aníbal António Cavco Silva, "O Cumpridor, Comportado" só fala quando lhe puserem o documento em fente dos olhos.
Tudo como antes quartel....

Cumprimentos
Adriano Volframista

Anónimo disse...

O problema não é estarem calados, o problema é não dizerem a verdade aos portugueses: a liberdade de expressão não está em causa, o objectivo da reacção extremista é combater apenas a política da dinamarca em países árabes.
http://www.um.dk/NR/rdonlyres/9EA34727-6810-4C8F-8988-236F9D7D246C/0/Arabiske_Initiativ_eng.pdf

Um presidente da república pode estar calado, mas não pode deixar que atirem areia para os olhos dos portugueses.

Mª Lurdes Delgado disse...

Acha que o Prof. Cavaco, agora que já está eleito, vai começar a falar? Será que os assessores deixam? Não se esqueça que há aquele pequeno problema da reeleição daqui a cinco anos. Ora, para esta ele precisou de dez anos!

Anónimo disse...

Desculpe lá, mas a verdade é que Sampaio já comentou. Mandar postas para o ar é simples, mas é sempre bom informarmo-nos antes de começar a criticar sem critério (que me parece que é a sua profissão). Cumprimentos

Hugo
http://jamsession.blogs.sapo.pt

Carlos disse...

Cavaco não tem que se pronunciar. Ainda não é presidente.
http://toxicidades.blogspot.com

jose fiaes disse...

O PR em exercício está a preparar uma intervenção sobre o assunto, mas como no caso do PGR/escutas a urgência para si é sempre de largos meses. Sobre o PR eleito, logo após as eleições, disse um conhecido político: -acabamos de eleger um mudo. Logo . . .

Anónimo disse...

...mas porque teria Cavaco Silva de falar sobre o assunto? Foi eleito mas não está em funções. E então porque não mencionar o Mário Soares, o Anacleto Louçã e outros que tais? Cheira-me a perseguição...

Jojo disse...

Como é que é?
O Freitas e o Governo deviam ter-se calado e os dois meios Presidentes da República é que deviam falar?