terça-feira, fevereiro 07, 2006

NOTA AO GOVERNO

O Governo, numa nota assinada em nosso nome, pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, decidiu anunciar ao mundo que “Portugal lamenta e discorda da publicação de desenhos e/ou caricaturas que ofendem as crenças ou a sensibilidade religiosa dos povos muçulmanos”. Na mesma nota, ficamos também a saber que “Cristo e a sua Mãe, a Virgem Maria” comungam deste especial destino. De um ponto vista nacional, não deixa de ser uma boa notícia para César das Neves que, a partir de agora, poderá contar com a cooperação do Governo nalgumas das suas solitárias cruzadas. De um ponto de vista mais pessoal, gostaria de perguntar ao Governo que medidas tenciona tomar para evitar a publicação de desenhos e/ou caricaturas que ofendam as crenças ou a sensibilidade religiosa dos povos muçulmanos e católicos (já que o Governo, na sua ânsia de discordar, se esqueceu lamentavelmente dos protestantes, dos ortodoxos, dos judeus, dos anglicanos e até das testemunhas de Jeová). Para além disso e antes do “choque religioso” aparecer, em forma de pacote e com a bênção de uma entidade ecuménica, pretendia também saber:

1.O que é a sensibilidade religiosa de um povo?

2.O povo português tem uma sensibilidade católica? Se sim, deve o Governo voltar a pôr nas escolas os doze crucifixos que mandou retirar? E não pode prender Francisco Louçã sempre que ele disser mal da Igreja ou do Papa? Ou multá-lo se for uma ofensa pequenina?

3.Está na forja algum instituto (ou alguma polícia especial) que ajude os portugueses a apurar a sua sensibilidade?

4.Aceitam-se denúncias?

5.Para além de Cristo, da Virgem Maria e de Maomé, já identificados na nota governamental, existem outros símbolos que não possam ser alvo de desenhos e/ou caricaturas?

6.Os portugueses, enquanto cidadãos de sensibilidade católica, podem sugerir símbolos pelos quais tenham uma especial devoção?

7.Moisés entra nessa lista?

8.E Santo António?

9.A publicação num blogue de um kit da crucifixação pode levar à ilegalização do blogue?

10.As denúncias são remuneradas? Se sim, para onde posso mandar a minha lista ainda que a título provisório?

Atentamente
ccs

61 comentários:

Anónimo disse...

proponho ao governo ilegalizar a vida de brayan... patético o comunicado do MNE. patético, mas perigoso.


paulo oliveira

Anónimo disse...

a vida de bryan, evidentemente

po

José Barros disse...

Mais um excelente post no Espectro.

Ps: algo vai muito mal no Governo Português quando um MNE, que, antes de o ser, comparava Bush a Hitler, vem agora criticar a publicação de uns cartoons sem que diga uma palavra sobre as ameaças de morte a cidadãos da União Europeia ou sobre os assaltos a Embaixadas de países da UE levadas a cabo por fundamentalistas islâmicos.

Enfim, como tudo em Portugal, não é para levar a sério. É, pura e simplesmente, descaramento e falta de vergonha.

Euroliberal disse...

Freitas disse o mesmo que toda a gente, países europeus, Papa, EUA, UN, rabbis, e até os jornais israelitas.

Ver no Haaretz de hoje:
"...The message is obscene. It is racist. It dishonors the bedrock spiritual beliefs of one of every six people on the entire planet. In that sense, it also profanes the right of freedom of speech, distorting it into the freedom to foster hatred.

Correctly, many rabbis have expressed their disgust at the cartoons. "I share the anger of Muslims following this publication," French Chief Rabbi Joseph Sitruk said. "I understand the hostility in the Arab world. One does not achieve anything by humiliating religion. It's a dishonest lack of respect."

Said the chief rabbi of Great Britain, Jonathan Sachs, "The only way to have freedom of speech and freedom from religious hatred is to exercise restraint. The question is: can we learn to respect what others hold holy?"

Still, when it came time to discuss a double standard in press freedoms, there were more than a few Muslim commentators who could not resist the opportunity to stick it to the Jews.

"In the West, one discovers there are different moral ceilings, and all moral parameters and measures are not equal," the pan-Arab daily Asharq al-Awsat wrote.

"If the Danish cartoon had been about a Jewish rabbi, it would never have been published."

Anónimo disse...

os Monty Phyton nunca teriam feito a Vida de Bryan se soubessem que isso ia levar ao ódio e choque entre duas religioes. Nao sao estupidos nem umas bestas.

Anónimo disse...

'I want to emphasise that the Danish government condemns any expression, action or indication that attempts to demonise groups of people on the basis of their religion or ethnic background. It is the sort of thing that does not belong in a society that is based on respect for the individual human being,' Rasmussen said.

Asked why he was now giving his personal opinion four months after the matter began, the prime minister said that with the past week's diplomatic actions against Denmark and the Mid-East consumer boycott against Danish products, the issue was no longer a simple free speech issue.

'The debate has changed direction. It has been a question of free speech. Now it has become a matter of an enormous number of Muslims who feel that their religion has been offended,' Rasmussen said.

The Copenhagen Post

tartaruga disse...

Que país de brincadeira.

Óptimo post, fantástico blogue! Obrigada.

Paulo Pisco disse...

Lamentável muito lamentável. Enquanto desfilava pela Avenida de braço dado com Soares, Louça, entre outros "camaradas" recentes, ainda podiamos rir. Mas agora ao falar em nosso nome, resta-nos chorar e esperar que o senhor volte para a sua cátedra e não nos envegonhe mais.
Sobre este assunto ver post "triste" em http://memoriasdeadriano.blogspot.com/

Bart Simpson disse...

triste.
paíos de treta, selvaticamente gerido, cheio de aparências e minudências. que merda... (sorry my french).

Anónimo disse...

Porque é interdito mensagens racistas ou xenofobas? Nao fazem parte da liberdade de expressao?

O que é que acontece com os cartoons nao é associar o islao a terrorismo e assim todos os muçulmanos devam ser abatidos e presos? Isto nao é fomentar o ódio e a islamofobia?

Como é que pessoas normais acham que isto é simples cartoon, uma piadinha inocente e apenas um problema de liberdade de expressao?

Rui Jam disse...

A verdade é que eles são milhões e estão dispostos a morrer por aquilo em que acreditam, que é uma coisa que não se pode dizer dos "cristâos" europeus em geral.
Quanto aos portugueses esses não acreditam em nada nem estão dispostos a lutar, quanto mais a morrer!...
É por isso que o Islão vai ganhar. Até parece que são treinados pelo Mourinho.
Esperem 10 ou 15 anitos...
Já agora, por que será que há tantos "anónimos" a postar sobre este assunto? Estarão com "caguefe"?

Tiago Mendes disse...

:-) :-) :-)

Muito bom! O riso e a sátira sempre foram as melhores armas contra estes actos-canalhas, e então em alturas de "crise" como a de hoje. Bravo, caro CCS.

Anónimo disse...

Vejam o que está a acontecer. As pessoas nao sao capazes de perceber que o islao nao é apenas representado pelos tarados que incendeiam embaixadas e dao tiros para o ar. Já se ouve nas ruas dizer que lhes deviam era lançar bombas atomicas em cima.

Anónimo disse...

Cada pessoa que escreve nos media tem responsabilidades acrescidas. A responsabilidade de nao incitar ao ódio.

Anónimo disse...

Rui Jam: no meu caso é para nao me acusarem de defender os terroristas e tal, ou coisas piores. Já me aconteceu. Passei a anonimo que nao estou para aturar insultos.

rb disse...

CCS: a nota pode ir C/C aos governos do RU, FR, EUA e outros quejandos. Que tal?

Anónimo disse...

conhecem este episódio do South Park com o profeta Maomé?
http://www.scientomogy.com/south_park_scientology.php

paulof disse...

Pois é por posts irresponsáveis como este, que eu e muitos, precisamente porque sou democrata, cada vez mais sou favorável à censura - com comissão designado pelos principais partidos eleitos - com penas de prisão e com trabalhos forçados a favor da comunidade- para autores e directores das respectivas empresas e publicações.

Embora, não pareça no curto prazo e à superfície, para lá caminhamos, tenham cuidado e não brinquem muito... o povo qualquer dia acorda do sono das telenovelas e depois não queria estar na vossa pele...

/me disse...

Parabéns, CCS.

Giz disse...

Porra!, foi pena, que quando o Freitas do Amaral se enfiou no governo, o PP tenha enviado a fotografia do gajo, que estava no Largo do Caldas, para a sede do PS. Se assim não fosse, enviava-se agora para a Síria ou para o Irão.

Giz

paulof disse...

Só venho de novo para acrescentar que grande parte senão a maioria dos jornalistas, em privado ( da conversa com alguns, falo com conhecimento de causa ), também defende a censura e a limpeza de tanta porcaria produzida por colegas incompetentes e/ou irresponsáveis, tantas vezes sob encomenda e/ou sob suborno!

CGP disse...

Muito bem.

zazie disse...

ahahahaha voltar a colocar os 12 crucifixos ":O)))

aceitam-se denúncias pois. Até se finaciam denúncias para depois ficar tudo em águas de bacalhau. Mas fica sempre bem chegar a consensos

Musicologo disse...

Pelos vistos o nosso governo quer continuar a manter uma aparência de "estamos solidários convosco quem quer que sejam, deixem-nos é em paz e não venham cá com atentados para cima de nós". Se for com essa intenção, ainda que hipócrita e interesseira, até tem a sua lógica de proteger os brandos costumes... *

timshel disse...

o blasfémias disse que "a ideia do bom senso tem subjacente um projecto colectivista"

mas a guerra de audiências entre este blogue e os blasfémias conduz numa "lógica televisiva" é ao contrário, a uma espécie de projecto colectivisto-blogosférico de falta de bom-senso, em que o espectro e o blasfémias estão numa competição crescente a ver quem diz o maior disparate

porque é que não fazem como o abrupto (que está na mesma guerra)? abrem o blogue aos leitores e escarrapacham longos textos desses leitores (ou pseudo-leitores); é que só vocês dois contra a equipa de futebol que gere o blasfémias não têm hipótese

Anónimo disse...

Mais um atentado á liberdade de expressão. Os Rolling Stones foram (auto)censurados aquando da sua actuação na Super Bowl americana.

Stones 'agreed song censorship'
Mick Jagger
The Rolling Stones gave a typically energetic performance
The Rolling Stones agreed to have two songs censored during their half-time performance at the Super Bowl, National Football League officials have said.

The sound was cut when frontman Mick Jagger sang lyrics that were deemed inappropriate for TV audiences.

"We agreed to that plan earlier in the week," NFL spokesman Brian McCarthy said. "The Stones were aware of it and were fine with it."

But the band have called the censorship "unnecessary" and "ridiculous".

Lyrics in Start Me Up and Rough Justice were cut, while (I Can't Get No) Satisfaction was left intact.

Huge audience

The Super Bowl, which was held in Detroit on Sunday, attracted its biggest audience in a decade, with more than 90 million viewers.

It also rated as the most-watched television programme in the US since 1996.

Comedy-drama Grey's Anatomy, which was aired on the ABC network after the game, pulled in the biggest audience for an entertainment programme since the finale of Friends two years ago.

It was also ABC's highest-rating entertainment show for 12 years.

Janet Jackson and Justin Timberlake
Janet Jackson's breast was exposed at the Super Bowl in 2004
At 2004's Super Bowl, Janet Jackson caused outrage in the US when a "wardrobe malfunction" exposed her right breast during a routine with Justin Timberlake.

The incident, which was broadcast to millions of TV viewers worldwide, led to the CBS TV network being fined a record $550,000 (£292,000).

This year, TV network ABC broadcast the Super Bowl with a five-second delay while a sell-out 65,000 crowd watched the Rolling Stones live.

They opened their 12-minute performance with Start Me Up and ended with Satisfaction.

ABC said the changes to the Stones' show were made by the NFL and its producers.

Music stars who have performed at the Super Bowl in the past have included Sir Paul McCartney and U2.
BBC News

Nunca pensei que a influencia do Freitas do Amaral fosse tanta e tão longe.

Marco disse...

O regresso do lápis azul!

magnuspetrus disse...

Será que nunca mais se poderá ver Monty Python em Portugal? E o tal episódio do Herman em que involve a última ceia?
Embora católico convicto, não fiquei chocado com nenhuma das duas referências que fiz atrás...

Pedro Botelho disse...

Mais um cartoon verdadeiramente satânico aqui (Khalil Bendib no Muslim Observer).

Não morram estúpidos: investiguem o "Holocausto". Se as câmaras de gás existiram, por que razão se proíbe a divulgação dos estudos científicos que demonstram o contrário? Que verdade é esta que, para prevalecer, precisa de protecção legal em vez de debate?

EUROLIBERAL disse...

Posta de Nuno Ramos de Almeida no Aspirina B

"Leio no Guardian, de hoje, que o clérigo radical islâmico, Abu Hamza foi condenado, na Grã Bretanha, a sete anos de cadeia, por incitar o “ódio racial”. Parece que a célebre “liberdade de expressão” não funcionou com ele…
Nesta tempestade das caricaturas, a propalada “liberdade de expressão” é um fait divers. Segundo o Diário de Notícias de ontem, a história desta crise é edificante: um autor de um livro xenófobo propôs “pinchar o Alcorão com sangue menstrual” e queixou-se de não ter conseguido desenhadores para caricaturar Maomé. O jornal dinamarquês Jyllands-Posten, que tem a propósito o belo facto de ter sido apoiante do nazismo, tomou o desafio em mãos e encomendou 12 caricaturas do profeta dos muçulmanos (...)"

Anónimo disse...

Isso é bonito mas veremos resultados?
É precisamente a altura colocar as caricaturas nos jornais, espero que os jornalistas entendam o que a nota do Governo quer dizer.

Lucklucky

Anónimo disse...

"SE deus existisse tinhamos que nos desembaraçar dele" - Leo Ferré...
E mais esta: Quando é que a Igreja é julgada pelos crimes contra a Humanidade que cometeu no passado - colonização, inquisição, mãos dadas com os fascismos, etc, etc?..

Apàtrida

Anónimo disse...

ah!!! e esquecia-me da escravatura!!!!!

Apatrida

Jose Sarney disse...

Coitados de nós, governados pelos consecutivos desgovernos que temos tido!

Este é mais um exemplo.

Portugal estagnou, desde há 5 anos! Isso, é secundário. Discute-se religião e política internacional, como se ainda houvesse Império.

O "actual Império" vive da ESMOLA da UE. E está a acbar-se.....

Cuidem-se!

Anónimo disse...

Por favor Lucklucky. O governo dinamarques já está optimista em resolver a crise , os cartoonistas já tentaram que os cartoons nao se difundissem pelo mundo inteiro sem sucesso (e os direitos de autor, nao interessam?). Isso de continuar a insistir no mesmo é de jornalistas irresponsáveis. Há muitos infelizmente. E o mais provável é a crise nao parar e acabar na guerra. O que se diga de passagem os media por vezes parecem adorar.

Jose Sarney disse...

"E o mais provável é a crise nao parar e acabar na guerra."

E as fábricas de material de guerra, nos EUA, Europa e Rússia, estão "super abastecidas". É só começar....

Marco disse...

Se a IURD tentasse voltar a comprar o Coliseu do Porto, ia ser o bom e o bonito...

Anónimo disse...

e os avioes voam com que? petroleo. O petroleo tá caro e é de quem?

Anónimo disse...

Hello CCS!

Good one, I did love it!
Rgds.
Frank.

João Melo Alvim disse...

Em Itália, um ex-seminarista colocou um padre (seu amigo e ex-colega) em Tribunal por ele alegar que Cristo tinha mesmo existido. O queixoso queria que o padre o provasse.

Quase que dá vontade de, indo na onda surreal do comunicado, e apelando à inspiração da "Vida de Brian", usar o exemplo e exigir que se prove que a mãe de Cristo era mesmo a Virgem Maria...

piscoiso disse...

A minha tia Josefina tem uma enorme sensibilidade religiosa.
Sempre que cheira a incenso,
assoa-se.

Omar Khayyam disse...

Isto - "Portugal lamenta e discorda da publicação de desenhos e/ou caricaturas que ofendem as crenças ou a sensibilidade religiosa dos povos muçulmanos" - não é diplomacia, isto é capitulação. O MNE Diogo pode capitular, pode até gostar de jaquinzinhos às escondidas, mas não pode englobar-me na sua capitulação nem me pode confundir com um jaquinzinho!!!! O MNE Diogo que não se esqueça que temos mais de 800 anos de História e, se aqui chegamos, foi com bom senso, mau senso, coragem, falta de coragem, acertos, erros, boas estratégias, más estratégias... Já fomos até obrigados a capitular, mas por vontade própria?? Assim?! Porra! Mas o pior é que me cheira a diplomacia de mercearia. Terá pensado o senhor: "Vamos lá dar um aconchego aos "irmãos" muçulmanos para que mais tarde de nós se recordem e não nos enfiem um petardo no autocarro das sete". OU então: "Pode ser que se arranje uma internacionalização de uma empresa portuguesa na Líbia á conta disto". E os dinamarqueses??!! Bom, terá também raciocinado o senhor: "para além de nos terem dado uma maozinha com Timor e mais um pozinho ou outro, a malta por cá nem se lembra que existem". Como se pagam caro estas trapalhadas, muito caro! Veremos.

Anónimo disse...

Força Jose Barros, vamos colar os cartoons na porta do consulado em Teerao e em todas as embaixadas!

Anónimo disse...

A minha directora vale muuuuito dinheiro!

Parabéns pelo Post!

JBR

Mª Lurdes Delgado disse...

Lembram-se da Mariana Cascais ter dito na AR,que a religião do Estado português era a católica? Desde essa altura fiquei com dúvidas se seria portuguesa. Afinal sou agnóstica!. Entretanto o Estado renovou o meu BI e eu voltei a adquirir a certeza, embora a contra gosto , que era portuguesa.
E agora em que é que ficamos?. Será que ao sabor das declarações dos ministros, eu tenho de fazer requerimentos, que virão deferidos ou não, para conhecer o meu estatuto? Preciso de pedir ao pároco das Antas que me passe um atestado falso, bela instituição nacional, a certificar que, para os devidos efeitos, sou católica, apostólica, romana? Será que o meu orçamento aguenta mais este esforço, atendendo a que, tanto quanto sei, os honorários do pároco, para estas minudências, são bastante mais elevados que os de um médico?
Se isto continua assim, eu alego que sofro perseguições religiosas e ponho-me debaixo da asa do Guterres.

Raskólnikov disse...

Esta história já me enoja um bocadinho.

Tanta tontice à volta disto. Viram o Munique? Viram como não há bons nem maus? AMBOS SÃO MAUS!!! Aqui ambos (cartoonistas e radicais) falharam.

Porra, que governo miserável!!, que comunicado miserável!!, que Dioguinho miserável.

Porra...

Hasta

Mª Lurdes Delgado disse...

Aconselho vivamente a leitura do editoral do "Público" de hoje, 8 Fev, assinado por Nuno Pacheco.

Sílvia disse...

Convém que os católicos se lembrem de que o Código de Direito Canônico da ICAR proíbe certas graças... E, pelos vistos, a ICAR até tem sido bastante tolerante..., ou não?

Sílvia disse...

Cara MªLurdes Delgado:

Mariana Cascais é supra-numerária do Opus Dei. Mas há mais O.D. nos corredores e gabinetes do "católico" Estado Português...
"Habitue-se!"

Mª Lurdes Delgado disse...

Cara Sílvia,
Enquanto não obtiver resposta do Guterres que remédio!
Entretanto, quando tiver curiosidades sobre a Opus Dei, já sei a quem recorrer. Seja simpática, porque eu prometo não abusar.

Anónimo disse...

Como é que alguém que escreveu tanto para a "Visão", parece ter tão pouca visão.

Falar de simbolos quando a religião que o sr freitas professa usa um símbolo de tortura para se representar.

Enfim...
Que sorte que no mesmo dia houve uma OPA e o comunicado ficou perdido no meio do noticiário...

Será que os seus assesores tiveram opinião na matéria? Ou será que isto é uma "cruzada" unipessoal do sr. ministro, que o sr. primeiro-ministro agora tem que dizer que aceita...

Como boa hierarquia religiosa, em que os "cardeais" nunca actuam sem a benção papal?

dorean paxorales disse...

Segundo os próprios Python, "A Vida de Brian" começou por ser de ''Jesus'' mas como o produtor receou vêr o filme boicotado pelos distribuidores ou mesmo censurado (sim, havia e continua a haver censura moral na democrática Inglaterra) acabaram por trocar o nome ao personagem principal.
O que tornou a história bastante mais engraçada, digo eu.

Anónimo disse...

Bem dito, CCS.
Penso também que é natural os povos de uma religião ferirem a "sensibilidade" das outras, sem que isso signifique falta de respeito. Aliás, nos países muçulmanos são habituais manifestações contra o catolicismo, e nem por isso Portugal cortou relações com esses países, ou condenou essas acções. O Estado deve ser independente, não as pessoas.
Eu, católico, acho abominável as caricaturas e brincadeiras de mau gosto em relação à cruxifixão, até pior do que o caso actual (pois, para mim, estas caricaturas referem-se àquilo que se tornou o Maometanismo por culpa do fundamentalismo). Tenho o direito de criticar, de achar mal, mas nem por isso me passou pela cabeça incendiar as embaixadas de quem faz isso. Pretendo um combate pacífico.
Enquanto cidadão, cabe-me o bom-senso de me abster de qualquer acção punitiva contra quem goza com Deus.
Infelizmente não podemos esperar o mesmo do outro lado.
P.L.

Lourenço Napierala disse...

Boa Noite!
Concordo consigo, Constança C. e Sá, no comentário ao nosso ministro dos NE, prf. Freitas do Amaral, mas não considero que possamos comparar as nossa cultura portuguesa (ou mesmo europeia) com a islâmica. Temos uma série de factores históricos (políticos, familiares, culturais e religiosos) muito distintos, e que sem querer sobrepor uma das culturas, a nossa ensina-nos valores de respeito e humildade. Ao contrário da nossa sociedade em que distinguimos (será?) a Religião do Estado, ou pelo menos defendemos tal situação desde a formação da primeira republica (laicismo...), em muitos países tal não só não acontece como é assumida a profecia religiosa de onde se formam os valores dessa sociedade e desse poder político. O povo Islâmico vive cansado de guerras santas e civis e desorganização, mas resolvem tudo da mesma maneira (violência). Do mesmo modo que não me parece que consigam perceber que quem sofre ainda mais com esta situação são os próprios revolucionários que agridem o próprio povo filho de Deus. Para terminar, não nos deixemos influenciar tanto pelas imagens da TV, de sensacionismo, e se pensarmos na quantidade populacional daquele país, a quantidade de gente em protesto é mínima, o que significa que aquele aglomerado de gente não é possível de generalizar. Sejamos sensíveis ao que não se vê para uma interpretação mais pura. Também o povo islâmico deve pensar na nossa cultura e por isso respeitar a nossa liberdade de expressão, também uma vitória de muito custo para nos e que deve ser prezada!!

Anónimo disse...

E no entanto, vê-se quem ganhou as eleições palestiana e Iraniana.
Pelo contrário, há países islâmicos não-fundamentalistas que urge ajudar e integrar no espaço atlântico o mais rapidamente possível. Caso da Turquia, Marrocos e Egipto. Porque os islâmicos não são todos fundamentalistas.
P.L.

Anónimo disse...

Hoje parece que pretendo responder a todos os posts e comentários, mas caro anónimo, isso pode ser criticado, mas não é preciso matar os cartoonistas por isso. O bom-senso o exige.
P.L:

Anónimo disse...

Nesta angustia metafísica em que andamos todos a propósito do carácter absouto (ou não) da liberdade de expressão, uma dúvida me assalta:

Publicar um cartoon com o Luís Nobre Guedes a enrabar o Paulo Portas, também deve, segundo a tese abrangente dos nossos bravos VPV e CCS, ficar coberto pela liberdade de expressão ?

Peço respeitosamente esclarecimento.

Anónimo disse...

Niet volta a atacar!!! A dupla CCS/VPV vai manter esta pedalada? Ou é só para fazerem um livro sobre a Impossibilidade de Ser Portugal?!? Parece iminente que a dra. CCS vai ocupar lugar de conselheira em belém... Como o fabuloso VPV- " é tao dificil encontrar uma pessoa inteligente em Portugal ", dixit,sic-irá reagir? Ou fará parte da banda com o PP, o inefável VG Moura e o filósofo do Porto, Tunhas, de seu nome??? Niet

Mº Lurdes Delgado disse...

Depois de lerem o editorial do Público de hoje, não percam o post "Umbiguismos" de Ana Gomes no Causa Nossa. Indispensável!

Mª Lurdes Delgado disse...

O Vasco Graça Moura, não deve ser escutado, mas obviamente deve ser lido!

Atlas disse...

CCS, Genial.