sexta-feira, fevereiro 24, 2006

MISÉRIA NACIONAL

Os jogadores convocados para a selecção nacional jogam nos clubes seguintes:

Sporting -2

Benfica -2

F.C. Porto-1

Chelsea -2

Estugarda-1

Desportivo da Corunha-1

Valência-1

Everton-1

Barcelona-1

Dínamo de Moscovo-1

Lyon-1

Manchester United-1

Paris Saint-Germain-1

Saint-Étienne-1

Inter de Milão-1

Entre os cinco portugueses, estão os dois guarda-redes.
Isto não é a selecção nacional é o retrato da miséria nacional.
vpv

78 comentários:

Marlene Debyene disse...

Os Saint-Étienne têm um português? É o teclista ou o baterista? :|

Antonio disse...

Sr VPV:

Essa coisa de nações é algo do século XIX! Foi enterrado no século XX com duas guerras mundiais e a explosão da GLOBALIZAÇÂO!

O que ainda existe é residual, saudosismo, inércia!

E ainda bem!

Anónimo disse...

O mercado de trabalho é igualmente livre para académicos, jogadores ou soldadores. O doutor VPV não ignora, por experiência própria, que os melhores nem sempre podem ficar confinados ao rectângulo da miséria. Exportar talento é tão razoável como exportar camiões de pêra rocha.

Anónimo disse...

Só falta falar de Fado.

Anónimo disse...

Farão estes parte dos 150.000 empregos prometidos pelo Sócrates?

sniper disse...

Falta mencionar o selecionador nacional que é brasileiro, e é uma merda. Penso que o convocado do Dínamo de Moscovo é o Costinha. Qual a razão desta escolha? Está em grande forma? Joga regularmente? Não há melhor por cá? VPV, eu detesto "bola", mas lá vou ouvindo de vez em quando "aqui e ali" umas bocas, mas a melhor foi entrevista do nosso selecionador a um orgão de comunicação inglês. Ou a Sky ou BBC. Já não me lembro. Foi a versão caipira do Mourinho. Essa entrevista sim, dá para aquilatar da desgraça total da liderança da selecção, juntando isto o paupérrimo nível futobolístico praticado em Portugal. A evitar...

Anónimo disse...

Ainda um dia haveremos de ver o VPV a dizer bem de algum acoisa em publico!

ptb disse...

qual é o problema?
sinal que temos bons jogadores a trabalharem no estrangeiro...

piscoiso disse...

O mais estranho é ser português o melhor treinador do mundo e só arranjou emprego para o Mundial-2006 como comentador da SportTV.

Fred disse...

Vasco será que não foram estes mesmos jogadores que foram vice campeões europeus, eliminando a Holanda, a Inglaterra?
Se não gosta de futebol, se não vibra ou sente a nossa seleção então não comente.
Caso nao se lembre e eu sou mais jovem que o Vasco, no tempo da outra senhora o Eusébio só não foi para o Calcio porque a velha senhora deste burgo não autorizou. Se defende uma nacionalização do futebol com o senhor Sócrates a interferir no mercado de transferências, também seria interessante outro tipo de interferências nas massas mais coinzentas deste Portugal.

d disse...

há um lado positivo, significa que temos qualidade para exportar para alguns dos maiores emblemas do futebol mundial

e-konoklasta disse...

Isto é exportação de "mão de obra" qualificada...

e-nês disse...

é-conoclasta:
Mais própriamente "pé de obra"...

JV disse...

Faça o mesmo exercício para Inglaterra ou para Espanha, e veja que resultados obtém. Tudo no Mundo é relativo...

João Boaventura disse...

Razão tinha Camus quando dizia que os que não gostam de futebol são obrigados a falar de futebol mesmo que seja para dizer mal dele. Exactamente como os que declarando não acreditar em Deus, descaem-se muitas vezes a dizer:
"Graças a Deus". Contradições,paradoxos e fraquezas.

unreconstructed disse...

A maioria dos comentários anteriores é de uma estupidez que até arrepia. Falando de coisas sérias: o estado actual da nossa selecção - e de todas as selecções de "pequenos países" da UE - é a consequência directa de um dos maiores actos de arrogância judiciária e de engenharia cultural que a história conhece: um tal de "affaire Bosman", que, por razões que desconheço, luminária nacional nenhuma se lembra nunca de trazer à colação.

Anónimo disse...

O comentário inteligente é sem dúvida o do unreconstructed... que é de uma jactância e de uma arrogância que até arrepia...
Bahahahahah

piscoiso disse...

A lei Bosman apenas confere ao jogador de futebol,o estatuto de um qualquer trabalhador europeu. Terminado o contrato com a entidade empregadora, fica livre de ir trabalhar para quem lhe pagar mais.
Há quem advogue que o seleccionador nacional nem é preciso.
Escolhiam-se os jogadores pelo seu salário.

Anónimo disse...

Caro VPV,
Não percebo bem o seu comentário ! Parece-me revelar alguma ignorância no que a um ponto diz respeito:
- Sabia que as selecções da França e do Brasil que ganharam os 2 últimos campeonatos do Mundo não tinham praticamnete jogadores que jogavam nos respectivos campeonatos nacionais ?
- e o mesmo se passa com a Argentina, a Holanda e a República Checa que estão nos 10 primeiros do ranking da FIFA.

Às vezes falar do que não se conhece dá disparate !
Cumprimentos,
António P:

piscoiso disse...

O caso mais flagrante foi o Campeão Europeu em 1992, a Dinamarca, em que nenhum jogador da equipa jogava na Dinamarca. Reuniram-se uns dias antes, para um ritual viking qualquer e ganharam.

Jose Sarney disse...

Não concordo, VPV.

Como diz o anterior comentador há muitos países desenvolvidos que têm muitos dos seus nacionais a jogar no estrangeiro! Vidé: Suécia, Dinamarca e até França.

--------------------------------

Miséria nacional é o Engenheiro (da Universidade Independente José Sócrtaes Carvalho de Sousa, querer que os velhos que recebem "pensão mínima", sejam sustentados pelos filhos! É o novo "conceito xuxalista" de "mesada". São os filhos a dar a mesadazita ao velhote!

Triste país, este!

IV República....venha ela!

esgoto disse...

há sempre gente que gosta de justificar um mal com outro maior: o facto de acontecer, noutros países, casos idênticos, só significa que de nacional só mesmo o nome e que o dinheiro não tem côr nem nação. Se acham bem, está tudo dito: viva o futebol global!
Depois não me venham com retórica patriótica e bandeirinhas nas janelas.

cardeal patriarca disse...

É tudo verdade. VPV chama a atenção com números para a miséria nacional de não podermos sustentar os melhores que temos.

Mas isso também é verdade na arte, literatura, investigação científica e só não é na Medicina porque vem da Privada um complemento de 1000%.

Este é o retrato da miséria franciscana onde nos deixámos conduzir.

Anónimo disse...

Claro que a miséria nacional é mesmo miséria em toda a extensão da palavra, futebol incluido.
Mas se Portugal'exporta cérebros' porque não havia de exportar pezinhos? O que está em jogo são os milhões e não a glória pátria. Mas alguma vez alguém encontrou alguma coisa dentro dos crânios dos jogadores, treinadores, seleccionadores e tudo terminado em 'dores'? Desiludam-se que o povo vai aplaudir em massa o esférico seja ele de que cor for.

Anónimo disse...

O Sarney tem a sua piada. De facto, a Direita tá de rastos...

Anónimo disse...

Quando diz que "Isto não é a selecção nacional é o retrato da miséria nacional", "isto" refere-se a este blogue? 100% de acordo.

JC

Anónimo disse...

Isto deve mas é ser um prolema ideológico, de direita ou esquerda, tal como o idiota da grande loja do queijo que percebeu que afinal era de esquerda porque não concorda com o nuclear em portugal. Ajudam-me por favor, nesta questão do scolaris e os jogadores, sou de esquerda ou de direita ?

Anónimo disse...

Com esta fragmentação ainda mais dífícil vai ser alcançar o designío com que a propaganda nos vai bombardear - a final, e à qual somos legítimos candidatos, mesmo q n ganhemos a taça. N faz mal, já n é mau.

Num dos episódios em q o Prof. Hemano Saraiva nos embala na história como uma estória (a sério...e as imagens são dispensáveis; bastava uma tefonia, de preferência a válvulas, execrando o DSP e mantendo intactas as frequências n audivéis - parece q nos influenciam), o Prof. Hermano Saraiva, a propósito da costa do Algarve ou Vicentina - n interessa p/o assunto, insistia veementemente como destino de Portugal a nossa "enorme" riqueza, a saber, o turismo de qualidade, as nossas belas paisagens. Permitam agora uma intimidade: eu e a minha mulher (estranha expressão) no sofá, com o nosso filho entre nós, a cabeça dele deitada ainda no colo da mãe, emoldurados pela TV,digital, olhámo-nos de imediato, lívidos e cumplices: e nós, q n somos empregados de balcão o q vamos fazer? Reciclamo-nos?
O q levou o Prof. Hermano Saraiva a dizer "aquilo"? O puro desatino ou evidência da irreversibilidade
de um processo "global" qq q n controla-mos e nos escavaca (ou estiola, para os mais sensíveis) a identidade enquanto indivídios neste canteiro de terra?

A globalização n era para mim novidade...nasci e nela fui "erguido"...na globalização vista pela Europa. N vejo esta globalização entre o Boston e a Califórnia q conheço. Muito menos em Anchorage.

Faltou ao Prof. Hermano Saraiva referir "o futebolista" como outra das "nossas riquezas". Numa próxima versão, revista e "aumentada"?

cml

xatoo disse...

grande incursão pelo miolo da jogada VPV!
e que tal arranjar v. tambem um posto de trabalho como comentadeiro numa equipa estrangeira e deixar a malta desopilar sem tácticas mais que estafadas?

N. S. Caravaggio disse...

Tou prôtegendo voceis todoss!

Anónimo disse...

A culpa disso tudo deve ser do MNE, nao? Podia ter acrescentado. Ou entao de Socrates.

Anónimo disse...

Este post foi completamente ao lado!

Anónimo disse...

Qualquer taberna do nosso pais tem mais e melhor a dizer sobre futebol que o sr.

Por favor, de-nos aquilo em que é bom: diga mal da esquerda e do governo!

Pedro Gil disse...

Como é que é possivel?
Um post de futebol... com o cliché mais que batido... Fiquei triste com esta...
Afirmaria convictamente que o nunca faria. Estaria enganado.

Anónimo disse...

só falta agora irem todos jogar contra esses perigosos arabes, islamistas

MP-S disse...

Eu diria que e' exactamente o contrario de miseria nacional. E' um avanco e um primeiro passo para acabar com a miseria e o isolamento. A seleccao nacional so' comecou a competir regularmente ao nivel das melhores seleccoes mundiais quando os jogadores portugueses passaram a ter a oportunidade de praticar e competir juntamente com os melhores de toda a Europa. E' uma das poucas licoes uteis que o futebol nos pode proporcionar.

E' verdade que falta dar o segundo passo: a competicao entre os melhores tambem deve ocorrer em Portugal. Mas convenhamos que, chegados a este ponto, deveriamos estar a falar de ciencia, industria, artes, desporto em geral, e nao de futebol profissional.

jose fiaes disse...

Esta não é a selecção portuguesa. É a selecção do Sr. Scolari e de algumas marcas de artigos desportivos.
Pelo menos 6 dos convocados que actuam no estrangeiro são perfeitamente dispensáveis. Cá dentro há melhores, em boa forma, a aguardar por outro seleccionador que defenda interesses diferentes!

Rosa disse...

Não venho aqui fazer nada, mas fico espantada com a "riqueza" de comentários...política e futebol sempre de mãos dadas.
O problema não é das equipes é da miséria intelectual-espiritual que move o país, graças à especulação mediática dos interesses baixos da Nação.
É com os pés e ao pontapé que se vive aqui...com os pés se ganha muito dinheiro, com os pés se cega (multidões) no campo de futebol, com os pés se mata os sem-abrigo...
R.leonor

mau mau maria disse...

E não é só no futebol. O próprio Marques Mendes vai emigrar para competir nos grandes torneios internacionais de golf.

Sílvia disse...

Dr.VPV,
não quer vir até aqui, esquiar na Serra da Freita? O planalto da serra está lindíssimo...

piscoiso disse...

Para já não falar no centro-campista Zé Barroso que se tranferiu para Bruxelas, deixando o clube de origem a descer na tabela, com um Lopes de ataque, mas com uma defesa cheia de buracos.

Anónimo disse...

que disparate... o Piscoiso disse tudo com o exemplo da Dinamarca, que venceu e não tinha nenhum a jogar nas suas terras. Não me parece que a Dinamarca seja uma "miséria", enfim...

Mas é inquestionável que Portugal não tem dinheiro para pagar os salários milionários das estrelas.
E depois? O FCP foi campeão europeu há apenas 2 anos, o Benfica acabou de vencer ao campeão europeu... Somos é mais desenrascados, fazemos mais com muito menos :)

POLYPHEMUS disse...

Não temos nenhum na Dinamarca ? E no Irão?

Caraças que a liberdade de expressão está-nos a dar um trabalhão !

Sílvia disse...

NÃO?!... Não sei porquê... Há neve, esquis de sobra... e muletas também! Tudo made in Portugal!

sniper disse...

Algo errado aqui. Já é a segunda vez que estou a escrever a agradecer a sugestão da sílvia em ir esquiar para a Serra da Freita. O primeiro comentário aparentemente não entrou. Está tudo a blogar. Sílvia , apesar do convite ser para o VPV, eu vou. Perco-me com um bom cabrito assado com um esparregado de grelos, queijo da serra, e um bom tinto do Fundão. Nada melhor. Se juntarmos a isto a serra com neve, uma lareira, :-)

Anónimo disse...

E não é só quando se fala de futebol que os pontapés na gramática acontecem: ainda os k , n, pq, p/, ok "no problemo" mas o raio do controla-mos para dizer controlamos ... enfim talvez a hora tardia em que escrevem alguns anónimos explique mas eu diria antes que é a data tardia em que nasceram que explica... a escola igualitariamente não exigente, a escola da nivelação por baixo, a escola da mediocridade em que nos encontramos!!!!!!!!!! isso é bem pior que os 5 Portugueses na selecção . Que se ...lixe a selecção!!!!!!!!!

Anónimo disse...

Continuando sobre a gramática e acrescentando ao post anterior: infelizmente os não anónimos não andam muito melhor

Sílvia disse...

Sniper, também estás convidado. Aparece!

pirata vermelho disse...

Vasco!

a futebolada é isso mesmo
pontapés em tudo

espanta o seu interesse nisso

sniper disse...

Sílvia, obrigado. Já tinha percebido que eras uma mulher para grandes desafios, :-)

Anónimo disse...

proponho um encontro:

VPV e CCS X Dinamarca!

Mário Figueiredo disse...

Mas que raio é que onde os jogadores jogam tem a ver coma miséria do país? E exactamente o quanto isso é importante?

Sabe qual é a miséria deste país? É procurar explicar com o futebol a miséria do país. Raios partam mais o futebol.

Naçãozinha medíocre esta que respira Futebol por todos os poros. Onde tudo é futebol. Onde morre o poeta do Porto e a nação nem soluça. Onde o Benfica joga e a nação pára, e canta e pula... e levo 2 horas a fazer 30km!

piscoiso disse...

Bem bom.
30 km em 2 horas foi quanto fez a Rosa a Mota e foi campeã olímpica.

José Ferreira disse...

Não !!!
Você não percebe nada de futebol.
É evidente que os melhores estão lá fora.
Na última 3ª / 4ª feira viu algum jogo da liga dos campeões ?
Com quantos ingleses jogou o Chelsea? Com quantos ingleses jogou
o Arsenal ? Com quantos espanhóis jogou o Real Madrid ? Etc. etc. etc
É a globalização, meu amigo.

Anónimo disse...

Com tantas coisas sobre as quais dissertar ao correr da pena. com tanta matéria para dissecar e analisar. com tantos temas sérios sobre os quais se debruçar por forma a estimular o debate entre os internautas, vai escolher o podre mundo da BOLA !!!

Ao que o Vasco Pulido Valente chegou !!!

Tristeza franciscana...

maloud disse...

Eu começo a não perceber nada. A Sílvia há dias só me falou da sombra. Agora já é neve? Tenho horror! Só dentro do carro, com a chauffage e a dizer de dois em dois minutos "Isto é lindo!". Um postalzinho com neve também não me incomoda. Todos os anos recebo um de um primo que tem casa para o ski em Zermaat. Pois é! Deus não soube distribuir as benesses na família. Arrisco-me mesmo a dizer que foi incompetente.

O Costinha foi um rapaz que me deu grandes alegrias, mas parece que não as quer dar aos russos. Há cerca de um mês vi-o no Velasquez.
Houve alguém que comparou o Scolari ao Mourinho. Isso é lá comparação que se faça? O Mourinho deu-me estrondosas alegrias, o Scolari deu-me um 2º lugar e como na altura dizia o meu filho, dos segundos ninguém fala. Abstenho-me de escrever os adjectivos com que ele o mimoseou. Eu, que sou inflexível na linguagem {nem "Que se lixe!" pronunciam à minha frente} fiz de conta que não o ouvi, porque o rapaz estava nervoso, isto para não dizer histérico. Os móveis do quarto dele ainda hoje se queixam dos gregos, mas muito principalmente do Scolari. Isto já para não falar dos 600 €, nós somos cinco, mais mal gastos em toda a minha vida, naquele jogo inaugural "à porta da minha casa".
Nunca me falem do Scolari, esse homem admirador confesso do Pinochet, porque eu passo-me.

Carlos Medina Ribeiro disse...

.
Pois... Mas o certo é que isto que no post se refere permite uma curiosidade hilariante:

Na Comunicação Social, nem o Figo é do Inter, nem o Mourinho é do Chelsea nem o Deco é do Barcelona - pois, afinal, é tudo ao contrário:

O Manchester é que é de Cristiano Ronaldo, o Milan de Rui Costa, o Dínamo dos não sei quantos...etc etc».

Sílvia disse...

Cara Mª de Lurdes,
cá em baixo, no vale, há a sombra de árvores frondosas que deleitam qualquer visitante pelo estio. Lá em cima, a serra tem estado coberta por um lindo manto de neve, à nossa espera.

maloud disse...

Piscoiso,
Depois de o ler vou meter Sport Tv para o Mundial. É que ele a comentar, para fraseando a Clara Ferreira Alves, parece um estruturalista francês. Eu, que gosto de futebol {eu sei que fica mal, mas que quer sou assim e não há nada a fazer}aprendi mais naquele jogo que ele comentou na TVI do que em 40 anos {serão 40?} de Gabriel Alves e companhia.
Ainda bem que o disse que assim eu trato do assunto com tempo.

maloud disse...

Leiam parafraseando. O teclado mata-me.

Anónimo disse...

Ainda bem que os grandes talentos estão lá fora. É completamente impossível um país da dimensão de Portugal preservar os seus maiores talentos. Só se for à chapada. Este êxodo, ao contrário do que diz, só beneficia a selecção e os clubes, que desde que tal começou, passaram a ter mais dinheiro para investir noutros jogadores ou até mesmo em jovens para exportar.
Isto do mercado internacional - mesmo que o bem em causa sejam pessoas - não pode ser tratado com provincianismo.

Cabeça de bola tem pouco mais do que ar lá dentro disse...

Admiração?
Há bem pouco tempo se abria a boca de espanto perante a "caça de cérebros".
Eu ainda vou tendo o meu preço, se jogasse bem à bola, ou se fosse um académico eminente... senhoras e senhores, estaria aberto (bem aberto) a propostas. Se quem foi jogar bola lá para fora quer ter um barco maior, uma casa maior no Algarve, uns carros maiores, isso é lá com eles, ou estamos com inveja disso?
Se se critica isso, então ter-se-ia de impedir que jogassem cá no brugo jogadores estrangeiros.
Acrecento: não tenho vergonha nenhuma do meu preço, da minha procura de bem-estar, etc., etc., se o meu trabalho vale dinheiro aqui, mas pode valer mais além... por que raio de pudor ou fundamentalismo luso deveria recusá-lo?
Abençoada selecção de futebol que reúne uma série de talentos, tenham ou não sido exportados. Prouvera a todos que mais selecções nacionais tivéssemos, de preferência em mais domínios para além do desporto.

o mestre disse...

Desta vez, Vasco, tenho de lhe mostrar um amarelo. O seu remate não foi nada certeiro, desculpe lá.
É normal e inevitável que os nossos bons valores rumem ao estrangeiro. O que se pode questionar é a entrega desses senhores à causa nacional.
Vai muito longe o tempo em que era uma honra ser internacional. Havia quem pagasse (se pudesse) para envergar a camisola das quinas, mas
hoje tudo é diferente e os jogos da selecção são apenas mais uns no calendário das nossas vedetas. Primeiro, eles pensam é nos clubes que lhes pagam. Depois, preocupam-se é com os prémios de jogo e de qualificação. Na Coreia, em 2002, estiveram na véspera do primeiro jogo a negociar prémios e isenção de impostos.
Hoje nem as camisolas têm o vermelho da bandeira!
Joguem, ganhem mihões, jogadores e esse arrogante Scolari, pela mão do patriarca Madail, mas, por favor, não nos venham com o choradinho da auto-estima, com desígnios nacionais, etc. E, sobretudo, não peçam para demonstrarmos o nosso patriotismo arvorando bandeiras portuguesas.
Foi dinheiro dos contribuintes que encheu os bolsos de mil figurões que construíram os dez estádios para benefício dos Scolarinhos todos.
Haja vergonha!

paciente inglês disse...

Concordo inteiramente com o mestre. De facto, somos um país de terceiro mundo, com a importância que damos ao futebol. A prova é esta observação (infeliz, aliás) do VPV que logo despertou uma torrente de comentários.
O futebol tem lugar cativo em TODOS os telejornais, como já vi aqui referido neste blogue. É, na verdade, de bradar aos céus! Notícias manhosas, imagens de treinos, piroseira e banalidade, desde quando justificam tal protagonismo? E como explicar a frequência de "conferências de imprensa" com declarações ridículas, repetitivas e ocas de treinadores e jogadores?
Ó Vasco, meta-se em brios, informe-se um bocadinho melhor e ponha esta gente a ridículo.
Nos Telejornais, não! Não bastam os programas com os filósofos do toque de calcanhar?
Olhe, deite um olho ao blogue "sesimbraeventos" que não dará o tempo por mal empregue.
Mas tente não "correr atrás do prejuízo" nem fazer "sinaléticas". Ah, estes impagáveis comentadores!

António disse...

É assim tão irreal o que foi escrito?

Num país que vive e que investe tanto em futebol (bem mais que França ou Holanda que também têm muitos jogadores internacionais a actuar fora das suas fronteiras), deveríamos no mínimo pedir que mais atletas jogassem cá. São melhores os jogadores que actuam no estrangeiro que os coitados cá do burgo? É melhor um Costinha, Maniche e Postiga fora de forma que por exemplo um Carlos Martins, um Bruno ou um João Tomás?
Não tornem o estrangeiro num paraíso...

Anónimo disse...

O país da BOLA que abre os telejornais com a BOLA, que fecha os telejornais com a BOLA, que tem programas de "intelectuais" da BOLA a discutirem sobre a dita, sobre o fora de jogo, sobre o cartão amarelo, sobre as cuecas azuis do avançado centro do clube XYZ, sobre o estado dos relvados e as marcações das balizas...não pode ser levado a sério, é um país de faz de conta, onde as frustações são disfarçadas no relvado...

E pelos vistos, o próprio Vasco Pulido Valente, ele próprio, também foi contaminado...Também tu VPV ?! Lá diz a velha máxima se não os vences junta-te a eles...

Enfim, artistas da BOLA, uns e outros...

Anónimo disse...

É um bleuf, o homem não conhece o mundo, enfim, é o eudeusamento de um cromo

Zé disse...

VPV é nacionalista. Ou fascista? Chamem-lhe patriota.

xatoo disse...

Na trilogia neofascizante em implementação,,,já que a bola tem de fazer sempre parte do menú
ao menos leiam aquilo que verdadeiramente interessa
e não se deixem arrastar pelas conversinhas moles de VPV e CCS, Paulo Portas&Comp.

Anónimo disse...

A miséria nacional é o nosso dia-a-dia, não onde jogam os jogadores da selecção nacional. Nehum dos jogadores da França quando ganhou o campeonato do mundo (em 1998) jogava em França , a Dinamarca que já ganhou num campeonato da Europa não tem uma Liga que se veja , normalmente todos os seus jogadores jogam fora de portas. A miséria nacional somos nós e o país que construimos todos os dias.

Jorge Espinha

Fernando Bravo disse...

A minha esperança é que o senhor não perceba nada de futebol. É que se isto não é ignorância... À excepção de 3 países (Inglaterra, Espanha e Itália), em todos os outros acontece isto - e não creio que França, Alemanha, Holanda ou Suécia o considerem resultado ou exemplo de miséria nacional.

Sílvia disse...

Xatoo lembra, e muito bem, aquilo que verdadeiramente interessa.

Anónimo disse...

Nem mais caro Xatoo, quando lemos o que verdadeiramente interessa, percebemos o quanto rídiculos são os "intelectuais" e artistas da BOLA...

O Micróbio disse...

Admiro a coragem de quem nada percebe de futebol ousar tirar conclusões contraditórias daquilo que nos mostra a convocatória... o facto desta convocatória ser completamente "internacional", não nos mostra aquilo que denomina como "miséria", bem pelo contrário, mostra-nos o a alta cotação do futebolista nacional e o facto de ser uns constante alvo da cobiça de clubes estrangeiros. Ver nisto um espectro de miséria é tratar por "miseráveis" os países que são tidos como potências do futebol. Mas passe os olhos pelas convocatórias de algumas selecções europeias e tire as suas conclusões...

Filipe disse...

"E eis que ai vai VPV, arranca na extrema direita, embrulha-se com a bola cai e parte dois dentes. Levanta-se recupera a bola de um companheiro de equipa, arranca em grande Sprint, mas eis que qual "Forrest Gump" alertado pela multidao, aprecebe-se que corre na direcao errada, entretanto percebe que ja corria sem a bola que havia ficado 7 metros atras. Recuperando furiosamente o espaco perdido e vendo o guarda-redes da equipa adversaria tenta o remate de longe, mas apenas cava um buraco digno de uma toupeira endiabrada. Tem de sair lesionado sangrando abundantemente do nariz e com mais duas unhas encravadas. Com espirito de sacrificioreentra, procurando dar-lhe animo o treinador atribui-lhe a marcacao de uma grande penalidade. VPV arranca coloca a bola 3 metros sobre a barra e surpreendentemente arranca numa louca comemoracao! E substituido imediatemente debaixo de uma chuva de assobios sem compreender o que se passa..."

Oh Vasquito, foi completamente ao lado este, nao e de facto o teu desporto. Ha certas coisas em que concordo contigo, outras em que nao. Aqui nem ha que pensar... Nao tens bases para isto, desprezas a bola como outros, e quando falas nem sabes a quantas andas... O teu desporto e mesmo outro... Melhor sorte na proxima, Neste Post parecias o Charlie Brown...

FIlipe disse...

"Entre os cinco portugueses, estão os dois guarda-redes.
Isto não é a selecção nacional é o retrato da miséria nacional"

E eu a pensar que eram todos portugueses, pelo menos no estatuto juridico, mas o Vasquinho clarificou-me, afinal sao so cinco, o FIgo, Cristiano, Miguel mudaram de nacionalidadde... Tristeza...

Anónimo disse...

Não diga disparates...não é por aí que se vê a miséria nacional
Equipa de França - 8 (2GR) jogadores a jogar em França(e não me lixe porque por muito miserável que ache a França ainda é uma miséria uns bons furos acima da Nacional). Se quiser pior veja a Holanda.
Gardiens de but

16 Fabien BARTHEZ Olympique de Marseille
23 Grégory COUPET Olympique Lyonnais
Défenseurs

3 Eric ABIDAL Olympique Lyonnais
2 Jean-Alain BOUMSONG Newcastle FC
17 François CLERC Olympique Lyonnais nouveau
5 William GALLAS Chelsea F.C.
14 Philippe MEXES AS Rome
19 Willy SAGNOL Bayern Münich
Mikaël SILVESTRE Manchester United
15 Lilian THURAM Juventus Turin
Milieux de terrain

8 Vikash DHORASOO Paris-SG
18 Alou DIARRA R.C Lens
6 Claude MAKELELE Chelsea F. C.
7 Florent MALOUDA Olympique Lyonnais
4 Patrick VIEIRA Juventus Turin
10 Zinedine ZIDANE Real Madrid
Attaquants

39 Nicolas ANELKA Fenerbahçe SK
12 Thierry HENRY Arsenal F.C.
9 Louis SAHA Manchester United
20 David TREZEGUET Juventus Turin
11 Sylvain WILTORD Olympique Lyonnais

Victor de Souza Baptista disse...

E nhum deles é Maomé