quinta-feira, fevereiro 23, 2006

A LUSA E OS NEGÓCIOS

2005-199 herbert paus, american magazine
O Bloco de Esquerda (nem sempre inútil) chamou a atenção pública para uma história interessante. Na altura em que Sampaio oscilava ainda entre nomear Santana e convocar eleições, dois jornalistas da Lusa entrevistaram sobre o assunto Miguel Horta e Costa (PT), António Mota (Mota-Engil), Horácio Roque (Banif), José Maria Ricciardi (BESI), Jorge Armindo (Semapa) e Diogo Vaz Guedes (Somague). Todos se pronunciaram contra eleições. Por outras palavras, todos queriam de Santana Lopes. No mesmo dia a Lusa também teve miraculosamente "acesso" a uma carta de Américo Amorim e de Ilídio Pinho ao Presidente da República, que pedia o poder para o dito Santana. O remate desta pressão insolente e aberta foi uma notícia, com o título: "Governo: empresários contra eleições".
Daqui só se pode concluir o seguinte: primeiro, a estupidez do capitalismo indígena é, de facto, insondável; segundo, a Lusa, que o Estado tutela, devia ser inteira e imediatamente "privatizada". Estou a ver a objecção: ir de mal em mal não adianta muito. Concordo. Mas, pelo menos, resta a consolação de que um privado paga certas misérias do seu próprio bolso e não faz propaganda em nosso nome.
vpv

42 comentários:

Anónimo disse...

Pois, pois,...sempre deu mais tempo ao PS para preparar uma das estratégias de "comeback" mais bem sucedidas de sempre. Sai Ferro, que era sabido não conquistava caras nem corações e entra Sócrates...Agora pergunto eu a favor de quem jogava a Lusa?

formol disse...

Este é um poste eléctrico.

Capitalismo indígena disse...

Era óbvio que eleições dariam vitória ao PS - e desde o 25 de Abril que ficámos alérgicos à menor hipótese de a esquerda chegar ao governo, mesmo que seja de centro-esquerda ou de centro-esquerda a apanhar um bocadinho da direita, como dizem os "Gato Fedorento." Foi só por isso.

ananás disse...

E todos eles tinham razão!
O Governo de Santana estava a ser muito melhor (menos mau) que este, ao fim de 4 meses!
Agora, passado um ano é 3 vezes pior!(3x4=12).
Donde,
"Daqui só se pode concluir o seguinte: primeiro, a estupidez do
---{capitalismo indígena}---
P.R., Media, P. Pereira e Marcelo R.S. é, de facto, insondável

Senaquerib disse...

Pois é, o privado paga do seu próprio bolso mas depois cobra ao consumidor final. Com juros !
É apenas um adiantamento, um empréstimo...

Anónimo disse...

VPL devia dar-nos o privilégio de fazer uso do seu sentido de humor mais vezes. "O Bloco de Esquerda (nem sempre inútil)"

maloud disse...

O Dr. Pulido Valente ainda se lembra do que disse o Dr. João Salgueiro, ao sair depois de consultado pelo PR? Sem precisarmos da Lusa como intermediária, em directo para as câmaras das TVs, ouvimo-lo dizer que o país não se afundava, se houvesse eleições. Era a opinião do Presidente da Associação de Bancos.
Entretanto, é bom recordar, que o PSD e o CDS-PP, não queriam eleições nem a tiro. Tinham a maioria que justificava o Pedro. Seis meses depois estavam a pagar a factura, mas esta gente tem dificuldade com o médio-prazo.

sniper disse...

VPV, não se trata da estupidez do capitalismo indígena, nem da capacidade de sondá-lo. O nosso capitalismo indígena, não deve ser avaliado de uma forma tão simplista. Trata-se simplesmente de negócios. A mudança de um PM, pode acarretar prejuízos, ( esses insondáveis ), por não se realizarem operações que já estavam organizadas e calendarizadas. Os capitalistas portugueses sabem perfeitamente o valor do Santana Lopes, mas sabiam também, que com ele o fio condutor dos negócios não seria quebrado. Era a evolução na continuidade. Novo PM, novos lobbies, outros interesses, outras evoluções na continuidade...Os acionistas querem é dividendos do capital investido. Estão 100% a borrifar se o Santana Lopes é uma desgraça nacional..Quanto à Lusa, os privatos não estão interessados com certeza neste elefante branco, ( no outro estão..), mas por mim era um bom motivo para mandar os ditos jornalistas um ano para o Iraque em comissão de serviço.

Anónimo disse...

O que é interessante na notícia, que vem hoje relatada no Público (sem link), é que não foram dois jornalistas que escreveram as notícias, mas, mais estranho, dois directores. Segundo a própria directora de informação da Lusa, não é normal directores escreverem tantas notícias num dia. Mais a mais quando são todas sobre o mesmo tema, digo eu...

Mais Notas Soltas disse...

Para isso é que lhes pagam ordenados de director

tina disse...

Então foi graças aos nossos empresários que não tivemos Ferro Rodrigues como 1º ministro!(ficaria para a história como o ministro chorão). De boa nos livrámos! Aos empresários portugueses estarei sempre grata.

tina disse...

E a estupidez de alguns dos nossos comentadores é de bradar aos céus!

Jose Sarney disse...

1. FLopes nunca deveria ter sido aceite pelo Jorge! (por todo o folclore prévio e por toda a permanente incoerencia que foi a sua vida)

2. Se a Maioria que o suportava, não aceitava a decisão de Sampaio, tinha duas alternativas: reconfirmava Flopes (e Sampaio dissolvia o parlamento), ou nomeava novo PM!

3. Não. Jorge decidiu dissolver um parlamento democráticamente eleito, por causa de umas "tricas de saias" de Flopes com Chaves. Chamo a isto Golpe de Estado Constitucional. Mas, na República dos "bananas", no pasa nada!

4. Um dos principais trunfos de Fócrates, era Campos e Cunha, que se demitiu 4 meses após a sua nomeação. Aconteceu alguma coisa ? Nada.

5. Portugal continua na estaganação e no "faz que faz" (hoje foram os 900 milhões de investimento, para 10 anos, da Portucel, em que o Estado entra com 180 milhões). E o que acontece, NADA!

-------------------------------
Só a UE e a OCDE vão meter esta malta na linha. Mas, quem paga não são as élites de m......, quem paga é o povito que paga o Iva a 21%, o aumento do imposto sobre a gasolina, o aumento dos IMI's e afins, .....para a ENGORDA de uma classe política cada vez mais longe da realidade, do que é andar de .....Metro! Ou de autocarro!

Mas, a forma como eu vejo os "oppinion makers" reagir, são de completa vassalagem perante a tal élite política.

A élite económica, apesar de provinciana, aproveita-se. Claro. estava à espera de quê?

unreconstructed disse...

O que eu gostava de saber era se essa "notícia" da Lusa comoveu Sampaio - e infelizmente até admito que sim.

Jose Sarney disse...

"Ferro Rodrigues como 1º ministro!(ficaria para a história "

E que cag.... para a Justiça!

maloud disse...

E já agora esclareçam-m. Quem eram à altura os dois directores da Lusa?

maloud disse...

O BE chamou a atenção para este assunto, com mais de um ano.
Ontem o BE queria uns "crimes de ódio".
Alguém me poderá esclarecer o que é que o BE, pensa e propõe para o "alegado" {nós somos a Pátria do "alegado"} crime que uns adolescentes praticaram com requintes de selvejaria sobre um sem abrigo travesti, a 1 Km da minha casa? O assunto não tem mais de um ano, nem é de ontem. É de hoje.

Carlos Indico disse...

É verdade, a malta da Massa quer sempre ter um 1º ministro como um empregado futuro- este nem conseguiu ser!. Este era o ideal: cromo, pregiçoso, chico esperto, com uma opinião frívola sobre contas , ideias e leis.Tudo isto eram chatices.
Sócrates que cuide, se está á espera de agradecimentos!

xatoo disse...

o sempre útil VPV faz um comentário inofensivo sobre a prática habitual dos manipuladores de opinião que o Poder mandou acoitar na LUSA sob a batuta dos faxinas Delgados e Compª.
como VPV descobriu (tardiamente) que tem queda para humorista e pretende fazer concorrência aos gatos fedorentos, coloca o nome do Bloco de Esquerda logo na 1ª linha - e qual é a finalidade? - voilá!,,, DESVIAR AS ATENÇÕES DAQUILO QUE VERDADEIRAMENTE INTERESSA: A acção do vereador José Sá Fernandes no combate à corrupção na Câmara Municipal de Lisboa liderada pela equipa da moda Santana-Carmona-Portas&Arredores - área politica de que tanto VPV como a dignissima esposa CCS são simpatizantes/clientes/promotores/divulgadores - digam-me?, tambem compram aquelas carteirinhas de plástico horriveis do Louis Vuiton vendidas ao preço de péle?
ou só nos posts é que usam o plástico?

Allah disse...

tina said...
E a estupidez de alguns dos nossos comentadores é de bradar aos céus!

Pelo contrário, os céus é que bradam aos comentadores.

xatoo disse...

Allah (começa com letra Grande e quer dizer Deus em árabe)

ainda bem que apareces, pá!
haja quem tenha sentido de humor,,,

maloud disse...

Foi a mesma Tina {isto ontem dos anónimos fez-me uma certa impressão} que lá mais atrás escreveu que "as bacoradas" do PSL tinham sido "logo evidentes" e que "embaraçaram muitos PSDs como eu"? Se foi, deve agradecer aos empresários portugueses, entre outras coisas, esse seu embaraço

JAC disse...

O mundo global e livre concorrência mais “lobby”… tempos modernos!!!



«Somos uma nação pobre (estéril) e castrada (infecunda) … somos um povo descaracterizado, humilhado e cobarde cujos ídolos são uns, alguns de nós, a correr atrás de uma bola num campo relvado. - JAC»

"Eis aonde se chega na estrada do politicamente correcto: a intolerância religiosa não é de quem quer proibir os "cartoons", mas de quem os publica.”

http://sal-portugal.blogspot.com/
JAC - Sal de Portugal

Hollywood disse...

Portuguesas Giras

Que as há. Uma por dia. Prometido

http://portuguesas-giras.blogspot.com/

Sebastião disse...

Como são belos os saldos em Portugal. Contra a estupidez - privatizar com aspas!
Pensar que o capitalismo possui um ser cá-da-terra "indígena", uma "nacionalidade", mesmo estúpida, é uma quimera. A República Portuguesa está demasiado embrutecida para se permitir tamanha desfaçatez. É muita "honra", é muita "glória", chiça penico, a pesar nos ombros do pedinte!
Graças a Deus, a "propriedade", no capitalismo, está precisamente em que ela seja alienígena. Pensar que o capitalismo é "estúpido" aqui e "inteligente" ali é só o sintoma de um benigno complexo de pobreza, do qual, aliás, a República Portuguesa se serve sem com isso empenhar muito as suas forças (afinal, a República Portuguesa é, ao certo, "proprietária" de quê?)
Pensar que o capitalismo é estúpido não é muito inteligente. A escolha é simples: pagar é um dever, emprestar é uma faculdade. Pode ser que pagar sem primeiro pedir seja desagradável, mas é como é! O Estado da República Portuguesa faliu. Ou vive de empréstimos que não é capaz de pagar. Pronto. Não se fala mais do assunto.
Lewis Carrol: «Claro que um homem pode exigir o que lhe é devido//
mas quando se trata de empréstimo//
claro que ele pode escolher//
o tempo que melhor lhe convém.»

portugal da silva disse...

...não. A conclusão não pode ser essa, mas antes a de que o capitalismo indígena continua a não ter poder, uma vez que não conseguiu o que queria.
E que tal se colocasse a hipótese de ser precisamente devido ao capitalismo indígena continuar arredado do poder que o país nunca mais sai da cepa torta?

tina disse...

Maloud:
. Por mais barracadas que Santana Lopes tivesse feito, nunca seria tão mau como ter 4 anos de socialismo à Ferro Rodrigues.

. Socrates foi o que nos veio salvar. E tanto assim que ainda hoje uma sondagem dá o PS à frente do PSD.

jose sarney disse...

"E tanto assim que ainda hoje uma sondagem dá o PS à frente do PSD."

Mas, nota-se alguma diferença entre o PS e o PSD? Eu, não.

Comum dos Mortais disse...

Será que o vislumbro uma dúvida da liberdade de expressão ou da falta de isenção dos jornalistas da Lusa? Porque razão podemos dizer que eles estão sujeitos a pressões e os jornalistas de grupos editoriais privados não? Será que isso não se passa com todos os outros? Será que o jornalismo e os jornalistas são uma classe tão purista e idealista como os próprios nos querem fazer passar? Não me parece. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra....

piscoiso disse...

Se essa sondagem tá certa,
o povo não viu o Espectro.

tina disse...

"Mas, nota-se alguma diferença entre o PS e o PSD? Eu, não."

Precisamente.

xatoo disse...

jose sarney
os sondagensdependentes parece que ainda não tiveram a dose toda!

paulo baldaia disse...

Pois que o Vasco Pulido Valente está a ver fantasmas onde eles não existem. A Lusa que é pública fez o que teria feito qualquer agência privada ou jornal privado. Perante um tema que estava em discussão (eleições antecipadas), e havendo uma série de empresários que estavam contra, os jornalistas da Lusa foram ouvi-los. A isto chama-se jornalismo. Nem mais nem menos.
É claro que é sempre possível olhar para estas coisas e construir uma teoria da conspiração:
1- Os empresários estavam feitos com o Santana.
2- O Santana estava feito com os dois directores da Lusa.
3- Os directores da Lusa estavam feitos com os empresários.
É claro que tudo isto só foi possível porque a Lusa é uma empresa pública.

Só há um problema com esta teoria da conspiração. É que o telex da Lusa virou informação das televisões, rádios e jornais. Todos privados.
Conclusão: Estava tudo feito com o Santana.

paulo baldaia disse...

Já me esquecia...
Com esta história dos empresários, do Santana e da Lusa, já toda a gente esqueceu a outra história.
Aquela mais recente que dava conta de um telex da Lusa a contrariar afirmações do primeiro-ministro, José Sócrates, sobre as escolas que já tinham banda larga. O telex foi retirado da linha.

maloud disse...

Comum dos Mortais,
Você costuma ler o Expresso? Ali é tudo purista e idealista, e de tal forma, que sufoca. Com medo de morrer de falta de ar, deixei de comprar em Setembro.

Rui Martins disse...

Partidos asistémicos e laterais como o BE cumprem bem este tipo de papel. Por isso, são importantes numa democracia.

Quanto a esta questão... Os nossos empresários e gestores têm aquela qualidade média que se sabe e que pode ser explicada pela baixa taxa de licenciados que apresentam... Por outro lado, podem ter apoiado Santanaz na crença de que este seria um PM fraco e facilmente manipulável. Ou seja, duas teses: ou foram incompetentes, ou demasiado competentes... Atendendo ao Estado da maioria das empresas lusas inclino-me para um destes dois lados... Qual será?

Comum dos Mortais disse...

Maloud, o problema põe-se noutros termos. Que orgão de comunicação não poderá dizer que não tem pelo menos 1 jornalista sensivel a pressões. Aliás porque e muitas vezes há créditos e debitos, nestas coisas da comunicação. E como alguém disse, ser jornalista é uma pequena forma de poder, que se exerce com mais ou menos rigor. Haverá troca de favores de comunicação por noticias importantes? Serão as fontes tradicionais dos jornalistas, beneficiadas em alguma altura? Não sei. Mas que tb há politica, e muita, no mundo jornalistico...E não não é só na lusa.

Anónimo disse...

Mas agora anda toda a maralha a cascar na Lusa!! Ó VPV, está interessado num tachinho por lá ou está a jogar a favor de um amiguito? Então, mas questionar as forças vivas sobre uma coisa como fazer ou não fazer eleições naquele cenário específico é um sintoma de estar ao serviço de obscuras estratégias??!! Tenha paciêcia, homem, paciência e juizinho. E, já que olha para a Lusa, a tal que devia ser privatizada de alto a baixo, esteja então simetricamente atento ao restante panorama dos media nacionais. Seja como for, a atenção q

Anónimo disse...

a Lusa anda a merecer ultimamente leva-me a considerar a possibilidade de um assalto orquestrado ou à Direcção de Informação ou à Administração. E ver o VPV como pivot desta coisada induz ao seguine raciocínio: a Lusa é muito importante e quem está por detrás da tal estratéia é de peso.

maloud disse...

Comum dos Mortais,
Eu sei que o problema é mais vasto. Às vezes, até uma ignorante destes meandros do poder o consegue detectar, embora só muito pontualmente. E seria mais limpo o jornalista fazer a sua declaraçãozinha de interesses. Ou pelo menos a direcção editorial do jornal. Mas não, não está nos hábitos. Têm medo de desagradar a alguém a quem um dia tenham de pedir um favor. Pois é, os jornalistas têm mais poder que o comum do cidadão, mas têm os mesmos vícios.
Mas como temos de nos manter mais ou menos informados, para não sermos o idiota de serviço, alguma coisa temos de ler. Eu, como semanário, lia o Expresso há mais de trinta anos. Houve uma altura que também lia o Independente, porque a "geração rasca" que tenho em casa o achava imprescindível. Mas de há uns tempos para cá, comecei a achar aquilo insuportável, e a dar comigo a pensar que devia estar a ler o orgão oficioso do PSD.
Vai daí fico pelo Público e, agora que acedi a estas, para mim, modernices, o DN na Net.

Comum dos Mortais disse...

experimente o 24 horas. Vai ver que as suas expectativas não vão ser defraudadas....

Teresa Durães disse...

A única conclusão que tiro é fuga de informação, caro vpv. Nem sei como conclui algo mais, nos tempos que correm. Como não entrou a judiciária pelos escritórios dentro e confiscou a informação toda?

Afinal, vivemos numa ditadura simulada.