terça-feira, fevereiro 14, 2006

CONFIRMAÇÕES


O silêncio do primeiro-ministro foi, hoje, devidamente interpretado pelos seus assessores: “O primeiro-ministro está solidário com as declarações do ministro dos Negócios Estrangeiros no sentido do apelo à responsabilidade no uso da liberdade de expressão e na defesa de todas as iniciativas para promover a paz e o diálogo entre os povos e as civilizações”.
Confirma-se assim que perante a crise internacional aberta pela publicação dos cartoons sobre Maomé, o Governo português considera: a) lamentável a publicação dos cartoons que ofendem símbolos sagrados do Islão; b) compreensível a violência islâmica que se abateu sobre alguns países ocidentais; c) um dado adquirido que “o maior agressor temos sido nós”. E isto, como explicou o ministro dos Negócios Estrangeiros, “para já não falar das Cruzadas, que vão longe mas que estão presentes como alguma coisa que se passou anteontem, para já não falar da colonização de África e de vários povos islâmicos e asiáticos, para já não falar da política de canhoneira seguida pela Inglaterra”. Por último e perante a gravidade da situação, o Governo português sugere a realização de um campeonato de futebol entre árabes e europeus.
Confesso que, depois disto, tenho uma única dúvida: não há ninguém no Governo que tenha um mínimo de vergonha?
ccs

51 comentários:

Rui Castro disse...

Parece que não. Mas isto é muito estranho. Das duas uma: (i) o governo é muito pior do que todos julgávamos ou (ii) há aqui qualquer coisa que ainda não nos explicaram e que está por trás desta subserviência cega e inexplicável. Como eu lia outro dia num blog, onde estavam os moralistas de agora quando aquele ministro italiano - Butiglioni - foi saneado da Comissão Europeia por ter algumas opiniões mais conservadoras e menos politicamente correctas (mas ainda assim bem menos fundamentalistas que as daqueles criminosos que andam a incendiar embaixadas e queimar bandeiras? Isto tudo cheira mal que tresanda.

Anónimo disse...

"o Governo português considera:

a) lamentável a publicação dos cartoons que ofendem símbolos sagrados do Islão;
b) compreensível a violência islâmica que se abateu sobre alguns países ocidentais;
c) um dado adquirido que “o maior agressor temos sido nós”.

Ai sim!??? quem disse isso?
Isto é cada invençao e distorçao da realidade

Anónimo disse...

O primeiro-ministro está solidário com as declarações do ministro dos Negócios Estrangeiros [MNE], no sentido do apelo à responsabilidade no uso da liberdade de expressão e na defesa de todas as iniciativas para promover a paz e o diálogo entre povos e civilizações, nomeadamente entre os povos europeus e islâmicos».

Acha mesmo que isso é igual ao que foi dito por Socrates ?!!

piscoiso disse...

Vou já à loja de ferragens comprar um agressorómetro para saber quem é o maior agressor.

Rui Borges disse...

Nós queremos é a Taça! A Ta-ça!!!

CD disse...

O ministro Freitas revela-se em cada declaração.
Penso que deveria haver um movimento de solidariedade português em torno dessa maravilhosa ideia do Sr. Freitas para ele propôr à ONU o referido campeonato de futebol.
Era desta vêz que o nosso país finalmente teria o reconhecimento devido ao transformar a diplomacia numa stand-up comedy.

Funes, o memorioso disse...

E Israel? Israel participa nesse campeonato do Freitas?
E se a final for Israel-Palestina? A claque dos "Fúria-Hamas" pode festejar os golos disparando as metralhadoras para o ar? E os "Super-Kosher" podem atirar very lights para a bancada adversária, aquando de um golo judeu?

Não sei se há alguma vergonha no governo.
Eu estou cheio de vergonha por ter um governo sem vergonha.

mendez disse...

antes deescrever asneiras, leia melhor os comunicados e declarações:entãoo ministro não condenou tb. a violencia contra as embaixadas?

deves ter um grande futuro como editora politica, deves...

apatrida disse...

é tudo muito complexo? Não acho. Um: a liberdade de expressão deve ser total? Mesmo rever a Shoa, como pede o Irão?
Dois: Claro que é para rir a ideia de um campeonato de futebol euro-muçulmano para que tudo volte às boas maneiras.
Três: claro que o catolico Freitas do A. anda a dizer coisas a mais e nem sabe muito bem o que diz...
Conclusão: as religiões? Estou-me nas tintas... porque acho que deveriam ser (quase) todas julgadas por Crimes contra a Humanidade. A islâmica, claro, mas também a nossa! E não apenas pelo colonialismo, o esclavagismo, a Inquisição, mas também muito mais recentemente pelas mãos dadas com os nazis e as ditaduras, incluindo a nossa... Os nossos bispos e cardeais dizem que andàmos 300 anos para conquistar a liberdade de expressão! Hipocrisia: foi contra eles e contra quem eles apoiavam que a conquista se fez! Não me lembro da Igreja portuguesa ter condenado a censura que existia hà 30 anos em Portugal; Antes pelo contràrio! Hipocrisias, segredos e mentiras...

Apatrida

ccs disse...

1 "lamentável" . ver nota MNE
2. "Compreensível" ver nota MNE
3. "O maior agressor temos sido nós". declarações MNE à RTP reproduzidas em vários jornais.
4. "campeonato euro-árabe" declarações MNE

"O primeiro-ministro está solidário com as declarações do MNE", gabinete do primeiro-ministro, Público, DN de hoje.

Rui Castro disse...

ccs,

Não vale a pena insistir com estes seguidores do Professor Anacleto. As palas que têm nos olhos só os deixam ver aquilo que lhes põem à frente.

Anónimo disse...

compreensível a violencia!!!! no ponto 2.
Nao seja mentirosa!

Anónimo disse...

"O que se passou recentemente nesta matéria em alguns países europeus é lamentável porque incita a uma inaceitável «guerra de religiões» - ainda por cima sabendo-se que as três religiões monoteístas (cristã, muçulmana e hebraica) descendem todas do mesmo profeta, Abraão."

Onde é que a violencia é compreensivel?!!


violencia é lamentável e inaceitavel

Até a nota do MNE , condena a violencia. Nao sabem é ler!

Rui Castro disse...

No texto, o MNE diz que o que é lamentável é a publicação de cartoons que são ofensivos e não os actos criminosos que os fanáticos andam a praticar pelo mundo fora. Mas o que aqui se passa é sintomático: a ccs, assumidamente e sem complexos, opina e bem sobre os assuntos que quer; já os anónimos, escondidos e envergonhados, vêm largar disparates e ofensas sem qualquer sentido. É a cobardia do costume.

José Ferreira disse...

Está mal ?
Não me parece.
Manter uma certa equidestância destas barbaridades biunívocas não me parece insensato.
Ou também vamos já dar palmadas nas costas, numa ilha do Atlântico, a dar a nossa benção à invasão do Irão ?

apatrida disse...

Em vez do campeonato de futebol volto a propôr o julgamento das religiões no Tribunal da Haia por Crimes contra a Humanidade... Depois disso poderemos falar uns com os outros, se nao morrermos todos à porrada, entretanto. E que Deus Não se meta nisto! Porque a coisa é grave e onde o nome dele aparece o abismo anda por perto! "Se Deus existisse teriamos que nos desembaraçar dele!" - Leo Ferré.

Apatrida

Rui Martins disse...

Se a posição oficial é esta então que diabo fazem as nossas forças no Afeganistão?

Não se compreende que assim só se contribui para a vitimização destes radicais ululantes que se manifestam no Islão?

AM disse...

Olha olha

O Rui Martins também espalha a fé por estes lados....

AMNM

Anónimo disse...

Já viram o trabalho que os tribunais vão ter, agora que Prof. Freitas denunciou os agressores?
Só uma dúvida de um leigo: irão ser julgados, toda a dinastia afonsina pelas faltas de respeito com a moirama, o Infante pelos barcos negreiros, o Mouzinho pelas campanhas africanas, o Afonso de Albuquerque por ter sarrafado na Índia, ect., ou isso tudo já prescreveu? Ah! e os combatentes das colónias que andam, ainda, por aí.

Adriano Volframista disse...

Não compreendo o espanto. Desde quando o Diogo Pinto Freitas do Amaral, filho dilecto do marcelismo e titular solidário do titulo de co pai da III Republica, iria declarar o que declarou sem o acordo explícito do PM? Jamais em tempo algum....
Será que não percebeu que o actual PM tem fortes concordâncias, políticas, com o seu homólogo espanhol?
Depois do socialismo com rosto cristão, da "social democracia" liberal, estamos na fase do socialismo de chinelo urbano.

Cumprimentos
Adriano Volframista

Anónimo disse...

Ainda bem que me fala em volfrâmio!
Já viu se fosse urânio e, pior ainda, enriquecido? Tinhamos o Irão à porta!...

Rui Castro disse...

Aqui fica o comunicado na íntegra que comprova o que a ccs afirma. Falta ainda a declaração "televisiva" do MNE para compor o ramalhete:

"Portugal lamenta e discorda da publicação de desenhos e/ou caricaturas que ofendem as crenças ou a sensibilidade religiosa dos povos muçulmanos.

A liberdade de expressão, como aliás todas as liberdades, tem como principal limite o dever de respeitar as liberdades e direitos dos outros.

Entre essas outras liberdades e direitos a respeitar está, manifestamente, a liberdade religiosa - que compreende o direito de ter ou não ter religião e, tendo religião, o direito de ver respeitados os símbolos fundamentais da religião que se professa.

Para os católicos esses símbolos são as figuras de Cristo e da sua Mãe, a Virgem Maria.

Para os muçulmanos um dos principais símbolos é a figura do Profeta Maomé.

Todos os que professam essas religiões têm direito a que tais símbolos e figuras sejam respeitados.

A liberdade sem limites não é liberdade, mas licenciosidade.

O que se passou recentemente nesta matéria em alguns países europeus é lamentável porque incita a uma inaceitável «guerra de religiões» - ainda por cima sabendo-se que as três religiões monoteístas (cristã, muçulmana e hebraica) descendem todas do mesmo profeta, Abraão."

rb disse...

Enquanto não vier o nosso Cavaquinho pôr ordem neste regabofe institucional não sei como que vai ser ...

Comum dos Mortais disse...

Cada tiro cada melro. Cada cavadela cada minhoca. CCS, percebe agora porque o primeiro ministro está calado?

Rui Borges disse...

Em relação ao proposto campeonato...Convenhamos que começar por expulsar os árbitros não é um início muito promissor...

http://www.record.pt/noticia.asp?id=697335&idCanal=44

ccs disse...

rui castro, seguindo o seu conselho: não vale a pena insistir!
Mcumprimentos

Omar Khayyam disse...

Caríssima CCS, eu explico. A diplomacia europeia tem centenas de anos, a portuguesa quase mil(para mil faltam apenas os dois séculos que tem a dos EUA), e, naturalmente, nos canhenhos esquecidos, nos bafientos arquivos, há muito material que ajuda nestas alturas. Claro está que á primeira impressão, grande parte do que estaa ser feio é um erro, porque implica para os menos atentos, uma capitulação, mas não é. E porquê? Porque, com estas tretas das futeboladas, com as considerações de Solanas e Freitas e outros, o que a Europa está a fazer é, primeiro, retirar campo de manobra aos radicais, e, em segundo lugar, a procurar criar espaço para que os governos, sendo eles democráticos ou não, são sempre mais pragmáticos(há excepções, sei...) e tem que contemporizar com a efeverscência, por razões de sobrevivência política e de amanho interno das ebulições, para, com o diminuir das labaredas, minimizarem estragos e minimizarem estragos.
Porque, como é evidente, se a Europa e, vá lá, também os EUA, saissem para a batatada verbal, apenas iriam acirrar ânimos. Se for preciso punir, depois, num cenário mais distedido, far-se-á. Sabe, é que o tempo da diplomaia não é medido pelo relógio, naturalmente caro e de qualidade que tem no pulso(terá?), mas pelo que é ditado pela obsevação, estudo e análise do conteúdo dos tais canhenhos esquecidos e bafientos arquivos. É que não se pode expurgar da humanidade mil milhões de pessoas. Existem e te que se lidar com eles, hoje, mas também daqui a 100 anos. Pensar à distância da sombra que o corpo provoca com a ajuda do sol, é um risco... é que nem sempre há sol e, nessa caso, é difícil identificar limites.
Só mais uma coisa. Mesmo a palmeira mais torta, no deserto, dá uma sombra direita, se observada sob uma perspectiva escolhida e a uma determinada hora do dia... caso haja sol!
Que nem sempre há... e saber isso é que faz a diferença entre a turba, mesmo que instrumentalizada, e a diplomacia europeia.
Tá a ver, não está!!!???

rb disse...

Rui Castro: o comunicado "prova" o que a ccs afirma?!! Vejamos então:

a) lamentável a publicação dos cartoons que ofendem símbolos sagrados do Islão; Aqui prova. Mas não vejo porque se não há-de lamentar os cartoons. Lamentar, simplesmente lamentar.

b) compreensível a violência islâmica que se abateu sobre alguns países ocidentais; Onde é que isto está provado no comunicado s.f.f.?!!

c) um dado adquirido que “o maior agressor temos sido nós”. Parece que terá dito a frase citada, não no comentário, mas num contexto totalmente diferente e quem conhecer o pensamento do prof. FA percebe perfeitamente o que ele quer dizer. Ora, não tomando as suas opiniões commo dados adquiridos, devemos é questionar: Será que ele não tem razão?

Já sabemos que o ministro não andou bem neste caso, mas duma coisa me orgulho, desta vez não vamos andar a beijar a mão e a baixar as calças aos Americanos e quejandos.

Vera Cymbron disse...

Cara CCS,
eu diria mais...
a) "lamentável" ver alguns comentários a defender o MNE e indirectamente o PM;
b) "compreensível" o estado em que se encontra o país tendo em conta a ignorância da comunidade politica que nos governa;
c) "O maior agressor temos sido nós", porque todos votamos e fazemos escolhas seja de palavras ou de ideias.

Para acabar acho a ideia do "campeonato euro-árabe" mais uma infantilidade de quem toma as grandes decisões...nada como arranjar uma brincadeira para fugir com o "rabo à seringa", não é mesmo?!

Já não sei mais que diga a toda esta palhaçada...olha, apetece-me rir sem alegria.

cócó disse...

"(i) o governo é muito pior do que todos julgávamos (...) -rui castro"

Por favor não me inclua neste "todos".

Nem era preciso ser Oliveira Costa ou Eurosondagens para prever este desastre:
nunca viu aqueles dois comentadores na TV, P. Santana Lopes vs J. Sócrates?

Quem durante tanto tempo mostrou aquela pobreza de ideias só poderia surpreender... pela positiva...
Valha a verdade que PSL pelo menos sabe falar e tem piada...

Rui Castro disse...

Atento,

a) O MNE não lamentou os cartoons, mas sim a sua publicação o que traduz uma censura inaceitável.

b) Se o comunicado critica os cartoons não referindo as reacções aos mesmos é óbvio que encerra em si mesmo uma compreensão implicita inaceitável, principalmente por quem, em tempos, se insurgiu de forma tão veemente contra a guerra do Iraque.

c) Não conheço o pensamento do Sr. Professor a não ser dos manuais de Direito Administrativo que tive que empinar na faculdade. Quanto ao contexto, parece-me estar a minimizar a inteligência do Prof. Ele bem sabia o que estava a dizer e qual o seu objectivo.

Quando à mão beijada e ao baixar das calças aos Americanos (esses malandros que até merece que os ponham em maiusculas!) não percebo qual a relação que faz. Que eu saiba Bush fez uma declaração nos mesmos moldes do nosso MNE. Assim sendo, não posso deixar de concluir que se trata do habitual anti-americanismo primário que grassa nos nossos intelectuais de esquerda.

Também refere que o ministro não andou bem, mas pelo que escreveu parece concordar com tudo o que ele disse. Não percebo, pois, o seu descontentamento.

Cumprimentos

sexlibris disse...

Poderia tentar aqui redigir o meu aplauso pelo conteúdo e forma - ambos apreciáveis com intensidade - dos escritos de CCS e VPV. Isso seria desnecessário. O que é de facto valente e constante é o carácter de se exporem assim numa praça pública, aberta à contestação das impressões publicadas, e aberta sem perturbação ao ataque malandro e imberbe de vozes discordantes, cuja leitura d'O Espectro não é descaradamente prazenteira.
A minha postura é (de momento...) inflexível: do que (ou de quem) não gosto, não leio. Por isso me espanto por ver com tanta frequência comentadores ejaculando o seu insultozinho imbecil (especialmente porque e quando) anónimo, em bicos de pés festejando, gratos pela liberdade desinteressada que lhes é dada.
Por isso, CCS e VPV, o que tenho mesmo a aplaudir é esta vossa complacência para com a vileza da alta cultura de esgoto.

Anónimo disse...

http://today.reuters.com/news/newsarticle.aspx?type=worldNews&storyid=2006-02-14T155102Z_01_L1457682_RTRUKOC_0_US-RELIGION-CARTOONS-ITALY.xml&rpc=22

Sem palavras!

Italy's Reform Minister Roberto Calderoli has had T-shirts made emblazoned with cartoons of the Prophet Mohammad in a move that could embarrass Prime Minister Silvio Berlusconi's government.

Calderoli, a member of the anti-immigrant Northern League party, told Ansa news agency on Tuesday that the West had to stand up against Islamist extremists and offered to hand out T-shirts to anyone who wanted them.

Mas talvez gostassem de fazer uma coisa destas

Extremistas!

Anónimo disse...

Um video para o sócrates ver... http://www.dailymotion.com/search/islamistes/video/46200

Rui Borges disse...

sexlibris, posso questioná-lo acerca do que, a seu ver, diferencia o seu comentário de todos os outros?
Deixe-me responder por antecipação: N-A-D-A.
E o que acrescentou ao debate em questão?
Deixe-me responder por antecipação: N-A-D-A.
Mas decerto ejaculou ao julgar-se ascendendo, por breves instantes, pela mão compreensiva e agradecida da Constança e do Vasco, ao varandim do seu Olimpo mediático.
A única diferença é os outros comentadores têm-nos na conta que merecem. Mas também ejaculam

o mestre disse...

No meio de tanta animosidade, enfim uma palavra simpática de reconforto. Sua Excelência o Embaixador do Irão em Portugal declarou que o nosso país foi aquele que melhor posição evidenciou relativamente à questão das caricaturas. E que gostou muito do comunicado de Freitas. Ora tomem! Sua Excelência está acima de qualquer suspeita e o seu julgamento é inatacável. Porque Sexa é excelente e pensa bem, visto que tem u crânio enriquecido...

Anónimo disse...

Ó lobo, deixe o sexlibris em paz, a ordinarice é deplorável. Discorde, mas faça-o com correcção...

Anónimo disse...

Cara CCS,

Não entendo o seu espanto. Na última página do diário "As Beiras" de 11/02/06 pode ler-se com pompa: "Governo defende ovos moles."

sexlibris disse...

Lobo,
Obrigado por responder por mim, e por antecipação, como acrescenta com toda a oportunidade. Muito obrigado. Isto, sim, é serviço público.
Aqui no "Olimpo mediático" bebe-se bom conhaque; só lamento os uivos que não cessam, como o melhor que consegui foi acesso ao varandim, não tenho escolha - é aturar e rezar para que se afoguem os quadrúpedes no próprio e alheio sémen.
Em resposta à sua decente pergunta: não, não pode questionar-me.

Anónimo disse...

Eu quero saudar vpv e ccs por permitirem que este caldo de cultura se desenvolva livremente. A liberdade é isto mesmo.
Mas há ainda outra razão para a minha sadação: para mim, estudante de psicologia iste forum é um autêntico maná!
Bem hajam.

Veliberalino disse...

Quando o homem disse "nós", referia-se obviamente a ele próprio e à sua troupe, e não a nós outros que estamos cá do lado de fora.
Portanto eles, Freitas e quejandos, é que são os agressores, não nós.
Confessou a culpa própria... há que pagá-la.

Anónimo disse...

O MNE foi desastrado nas suas declarações - sobretudo, começou pelo lado errado, lamentando as caricaturas e condenando as ofensas ao islão. Não teve uma palvra firme sobre a liberdade de expressão nem soube denunciar as manifestações que continuam a decorrer (esta gente não terá mais nada com que se entreter?)

Mas, cara Constança, o MNE também não diz mentira nenhuma quando fala da colonização e das agressões mais recentes (sobretudo a infame guerra do Iraque). Nós até podemos acantonar-nos do lado de cá indignarmo-nos com a selvageria dos árabes. Mas que eles têm uma razão ou outra para não simpatizarem lá muito com o ocidente também não deixa de ser verdade. Ou acha que não?

Jorge

rb disse...

Rui Castro: claro que o que DFA lamentou foi a publicação, pois não podia ser doutra forma, mas lamentar não é o mesmo que defender que as caricaturas deviam ser censurada, ou defender a sua censura. Quanto ao comunicado não ter tido uma palavra contra a violência que os cartoons desencadearam (e terá esta sido realmente desencadeada pelos simples cartoons?) é que penso ter sido a grande pecha do comunicado, e daí ter dito que o ministro não andou bem neste episódio. Em relação à al.b) do texto da CCS, como o Rui C não replicou presumo que concordará comigo. Vá lá, ao menos isso. Quanto ao pensamento do professor do qual só empina os maniuais de DA, aí devia ter visto algumas das entrevistas que ele deu no passado e outras intervenções que seria facil perceber que é contra o fundamentalismo islâmico. Aliás quem não é. Convém é não tomar o islão todo por fundamentalista, isso é que me parece um erro. Quanto ao bush (e desta vez a letra minuscula é propositada) este nunca assumiria que o Ocidente é o principal agressor. Aí está a diferença. E antiamericanismo primário não há só cá, tem-se espalhado pela própria América.

rb disse...

Sexlibris: qual é a diferença entre quem se identifica como anómico e quem o faz como sexlibris? Poderá conceder-nos essa explicação?

sexlibris disse...

Atento,
Concedo: esclareço os catecúmenos.
Ao publicar uma impressão sua, tem aqui a liberdade de fazer valer a sua autoria (infame, ou não, percebo agora em que categoria me querem sepultar), ou de a desprezar por inteiro, enviando a torpeza orfã do seu discernimento.
Acho desgracioso (é uma cobardia idiossincrática dos ibéricos ocidentais...) que o insulto gratuito ("Nao seja mentirosa!", algumas linhas acima, sirva-se, por favor) não seja defendido com o carácter (bom o mau, inventaram o maniqueísmo, temos de viver com ele) do autor. Embora "escondido" debaixo desta designação (Sexlibris), não tenho qualquer necessidade em avançar para o pleito pois não gerei aqui ofensa grave e (sublinhe-se) pessoal.
Se a quisesse gerar (eu sou bem mais belicoso do que os autores do http://www.o-espectro.blogspot.com/, senhores que não conheço pessoal nem profissionalmente) acrescentaria de imediato número de telefone, endereço de email e residência, e o que mais fosse necessário para me identificar perante os imimentes contendores.
Caro Atento, eu não sou a polícia da consciência dos outros, nem tenho o tempo ou a paciência suficientes para tanto; se não me expressei bem, aqui vai novo ensaio: estou a gastar dinheiro do meu bolso em tráfego da internet para descarregar uma caixa de comentários, vários dos quais tão biliosos (e por isso mesmo, deslocados, ou isto aqui é um confessionário de frustrações, um contra-purgatório?) que me desconcertam, gastam-me o tempo de leitura inútil, e ainda me obrigam a esta pedagogia!

Esses senhores e senhoras estão a roubar-me dinheiro, percebe? Podem argumentar que não... errado, mesmo que involuntariamente, estão a fazê-lo.
Esclarecido, caro Atento?

Quem não gosta, não come. Agora, que não fique a atirar pedras e a fingir que não o fez

Anónimo disse...

Em complemento: http://devagares.weblog.com.pt/2006/02/a_aritmetica_do_horror_1

rb disse...

Sexlibris: confesso que fiquei meio inebriado com a resposta que me deu, embora não muito convencido. Mas pegando nas suas palavras, se não gosta das ejaculações imbecis anónimas para que é que perde tempo a lê-las?...

2º revisor disse...

Não sei se a recente Lei do Abrupto para os Blogues inclui a fineza semântica da fotografia que a nossa querida autora do post seleccionou.

CCS, muitos parabéns!

Fico devoto dessa sua atitude rebelde e experimental na exploração dos limites da interpretação jurídica.

Mª Lurdes Delgado disse...

O Chirac em França {o homem só manda lá}quer instituir um dia da escravatura. Pois é, os meus caros amigos seguem pouco este país {deixou de estar na moda} e não se deram conta, que muito antes da cena dos cartoons, houve umas trapalhadas monumentais, sobre a glorificação da colonização francesa. O PS do Hollande aprovou esse reconhecimento da pátria aos beneméritos colonizadores{esta pode ser com minúscula, porque eles não têm lá o Alegre} e quando o clamor dos descendentes dos escravos, mais o dos historiadores se tornou ensurdecedor, quis rapidamente revogar a resoluçãozinha.
Nós por cá podíamos seguir esta magnífica ideia do Super-Menteur e instituir o dia do Mouro, o do Judeu, o da escravatura, o dos Jesuítas {aquele malandro do Pombal}, o das Ordens Religiosas {os problemazinhos com o liberalismo}, o do anti-fascista e o mais que venha à cabeça. Não dói {o eng. Van Zeller pode dormir descansado, porque não dá direito a feriado e ficamos de bem com todos. Haja criatividade!

Anónimo disse...

Cara Mª. de Lurdes,
Não caia em avaliar, à luz dos conceitos morais actuais, comportamentos ocorridos há 400 anos! Além do mais, respigando a nossa história, poucos períodos encontramos, tão negros, como o que actualmente decorre. Que me diz do nosso MNE? É pena que não esteja já entre nós o Gil Vicente para nos escrever o Auto do Ministro de Cócoras.

Mª Lurdes Delgado disse...

Caro Anonymous 3:37 PM,
Claro que estava a brincar. Nós, cá por casa, gostamos de brincar. Faz-nos sentir mais jovens. Doce ilusão!
Quanto ao MNE, eu já dei opinião {há por aí um anónimo, espero que não seja você, que acha que eu opino demais!}, mas resumindo, aquilo que já disse, acho que o sr. ministro tem falado demais e não acerta uma. E isto dito por uma apoiante convicta e assumida deste governo...Pois é, um talento corrosivo e lúcido como o do Gil Vicente, vinha mesmo a calhar.
Cordialmente {na suposição que não me quer calar}