quarta-feira, fevereiro 22, 2006

ANÓNIMOS

Confesso que não percebo a polémica à volta dos anónimos. Se calhar, por andar nisto há pouco tempo, dou pouca importância as essas subtilezas da blogosfera. Na maior parte dos casos, não distingo um anónimo de um ser frontal (e desconhecido) que assina com as suas iniciais: tanto um como outro valem (ou não) pelo que escrevem e pela forma como o conseguem escrever. O resto, salvo algumas excepções, são pormenores com que não costumo perder muito tempo. De qualquer forma, já ando nisto há tempo suficiente, para perceber que há anónimos e anónimos: há anónimos respeitáveis que são recomendados; e há anónimos desprezíveis que pura e simplesmente são insultados. Pelo que me é dado a ver, a caracterização do anónimo não depende do anonimato: depende das opiniões que emite e dos círculos que frequenta. O que mostra que o anonimato é apenas uma ficção num pequeno mundo de pequeninas polémicas.
ccs

157 comentários:

daniel disse...

Cara Constança,
a diferença, diria, é que se por alguma razão eu desejar mandá-la à merda, talvez você goste de saber o nome por detrás do desígnio. Mais importante é notar que existe um curioso preconceito nesta visão quase "socialite" do problema. "Não distingo um anónimo de um ser frontal e desconhecido que assina com as suas iniciais". E o que é que isso interessa. "Tanto um como outro valem (ou não) pelo que escrevem". Presume-se, por omissão, que o mesmo já não se aplica aos verdadeiramente não anónimos, limitados nesta visão algo reduzida do mundo ao pequeno universo mediático onde você e a sua classe circula. É esse o verdadeiro problema desta visão das coisas. Reduzir o mundo a uma espécie de "nós" e os outros, todos eles anónimos, uma massa amorfa em que alguns se poderão distinguir, decerto com a "vossa" complacência, "pelo que escrevem". Pela minha parte, não obrigado.

pipilota disse...

Excelente post!Vai contra tudo o que se disse sobre o assunto até agora!

Anónimo disse...

QUINTA LEI DO ABRUPTO : A blogosfera é a Aldeia dentro da Aldeia Global, todos são vizinhos, todos sabem tudo de todos, todos zelam activamente para que se cumpra a regra principal da Aldeia: o igualitarismo tem que ser absoluto.


;-)

lucklucky

ccs disse...

caro daniel, não pretendo de forma alguma dividir o mundo entre anónimos (que não sei quem são) e gente que conheço (e que portanto não seriam anónimos). a verdade é que não conheço quase ninguém na blogosfera e habituei-me a ler textos e blogues assinados por iniciais que não sei a quem correspondem. só isso.nada que não me aconteça tb nos jornais. há pessoas que só conheço pelo que escrevem, que me habituei a ler independentemente de saber quem eram ou deixavam de ser. é evidente que há pessoas que conheço: mas não acho que isso lhes dê qq estatuto especial.

zazie disse...

ahahaha na mosca!

o anonimato é aquele comportamento execrando como dizia o outro mas alguns até são simpáticos porque o que escrevem não os incomoda ":O)))

e depois também há os anónimos que se conhecem ao vivo e com que se almoça e troca telefonemas
ahahahah

Mª Lurdes Delgado disse...

Daniel,
Eu tenho um problema {tavez por falta de prática} com os anónimos. Não, não é o insulto gratuito. Esse, já percebi, que faz parte da blogosfera. Aquela coisa que eu ouvia que o patrão moía o juízo, a seguir quem pagava era a mulher, que por sua vez dava a estalada no filho, até esta cadeia parar no gato, eu interpreto, não sei se erradamente, que se passa por aqui, algumas vezes. Lamentavelmente, mas acontece.
O meu problema é outro. Alguns andamos por aqui regularmente. Se se identificarem por um nick name, ou por um nome, verdadeiro ou fictício, eu consigo seguir a linha de raciocínio. Agora se for simplesmente anónimo, não tenho esse fio e posso interpretar erradamente um comentário desgarrado e ser injusta.
É essa a minha dificuldade. Quanto a pertencer à massa amorfa, eu sei que pertenço a essa massa. Não tenho ilusões. De certeza que haverá nos comentadores, muitos que não pertencerão. Mas esses distinguem-se.
Claro que, se os comentários só se destinarem a ser lidos pela CCS e pelo VPV e nós, neste pressuposto, estarmos a usufruir de algo a que verdadeiramente não temos direito, então o problema é inexistente.
Se me soubesse esclarecer, agradecia

aNtonio disse...

em cheio
e a rimar :)
"há anónimos respeitáveis que são recomendados; e há anónimos desprezíveis que pura e simplesmente são insultados"

paulof disse...

Pois e então quem é que me (nos) garante que alguns comentários anónimos que já li aqui - cujo conteúdo leva pelo menos a pensar isso - não são também da sua autoria, CCS, ou do VPV, sob anonimato ou sob algum nick?

Se a hipocrisia pagasse imposto...

zazie disse...

Maria de Lurdes,

tudo isto depende das opções que se escolhe para as caixinhas de comentários. Estas aqui estão na "segurança mínima" ou seja, podem comentar pessoas inscritas ou não inscritas no blogger [a inscrição não implica ter blog, é apenas uma inscrição com uma qualquer identidade].

Por isso, os que aparecem com os nomes ou niks a negro ou com a palavra Anonymous são os que não usam o registo. Até o podem ter e ser bloggers mas escolhem comentar sem ser nessa categoria.

Aí há os que usam iniciais, nomes ou nicks e os que nem isso- os tais anonymous que tanto nos incomodam porque às tantas nem se sabe quem se está a ler.

Na opção de só comentarem os registados fica-se obrigado a um link e ao IP registado no blogger. Este IP é que é a nossa verdadeira identidade. Ou seja, a do nosso computador. Depois disso é quem o usa.

É claro que qualquer pessoa até pode escolher o nick Anonymous e registar-se assim com ele e por isso a confusão que a incomoda também não variava muito.

Quanto ao resto- ao dito verdadeiro nome é apenas uma questão de boa-fé pessoal e confiança dos outros.

Qualquer nome pode ser verdadeiro ou falso e a forma de o saber é de tal modo aleatória que era preciso conhecer por nome os milhares de pessoas que navegam na net.
O único método é o tal IP e para se chegar a esse tanto faz usar nome viável falso, nome viável verdadeiro como nick.

O resto é fumo e pequena trica como a Constança disse. Ou ajuste de contas...

zazie disse...

eheheh era isto que eu ia explicar a seguir. Qualquer pessoa pode linkar o nosso nick nesta opção de comentários

Zaz a verdadeira porque sim!

e com smile registado ":O))

aNtonio disse...

O meu problema c os "anonimos" surge nas caixas de comentarios em que ha usurpaçao de identidades e comentarios nao identificados. Hoje sou antonio amanha posso ser Zazie ou mesmo ccs...

ccs disse...

assim
:)

zazie disse...

ou assim
:)

antonio disse...

e eu agora sou António Dias da Finlândia

ehehe

Zazie

zazie disse...

estas coisas não se devem ensinar que a boa-fé às vezes também é filha da igorância...

ou a ocasião faz o ladrão ";O)

aNtonio disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
aNtonio disse...

eheh, do meu proprio veneno:)
Esperam q nao se ofendam - os 1s comentarios sao meus (ccs e Zazie) e pretendem expor o defeito deste sistema aberto.

Para alterar:
Settings >Comments > Who can comment? alterar p "only registered users" ; save settings

(agora eu vou bazar, e subsequentes comentarios em meu nome serao da responsabilidade da menina das Doc Martens;) )

Mª Lurdes Delgado disse...

Zazie,
Acho que já percebi. Realmente a boa-fé é também filha da ignorância, mas não só, pois não?

zazie disse...

aqui o António é o meu pirata de estimação. Até já foi galardoado pelo Cocanha

http://cocanha.blogspot.com/2006/01/o-prometido-devido.html

se alguém precisar de um rodapé totalmente inútil é só pedir-lhe

":O))))


Maria de Lurdes, claro que não. E esta historieta nem dizia respeito aos comentários mas aos bloggers "anónimos"

Ou a uma vendetas com eles...

tina disse...

Eu simplesmente não dou valor a que um "anonymous" diz porque não tenho respeito por ele.

piscoiso disse...

Até há aí um(a) que assina:
"Comentário excluído"
e não diz nada.
.
Falta ainda considerar o nick colectivo.
"Piscoiso" é um nick utilizado por várias pessoas, dentro de um estilo.
.
Decididamente, este deve ser um post irritante para quem vem fazer o culto da personalidade.

mª lurdes delgado disse...

Eu continuo à espera que alguém daqui me ensine a passar a azul. Já tenho dito que cá em casa me dizem tudo a correr, e eu não absorvo. Preciso que me expliquem, como se eu fosse muito burra. Não, não vale a pena gozar. Eu andei nas campanhas de alfabetização e vi como se sofre para desenhar pela 1ªvez o nome com 55 anos. Podem estabelecer o paralelo.

zazie disse...

quer criar um blog? é isso. É facílimo, faz-se aí nuns 5 minutos. Nestas coisas o que é preciso é ser-se temerário e partir do princípio mais elementar- as máquinas "pensam" sempre de forma mais simplificada que nós. O mais óbvio é o local onde se deve clicar. Por isso é que as crianças se desembaraçam nestas coisas de técnica.

E não pense que precisa que a ensinem que esse é o caminho para não fazer nada sozinha. Faça como eu: pense que não gosta de ser atada e pronto. Vai ver que numa semana está uma expert

zazie disse...

com sessenta e muitos conheço eu uma senhora que criou uma linguagem informática nova...

em Londres, num centro financeiro... esses é que são os exemplos que devemos guardar.

zazie disse...

«Até há aí um(a) que assina:
"Comentário excluído" e não diz nada
»

ahahahah

este maluquito às vezes tem piada...

só às vezes e quando não usurpa nicks...

Carlos Malmoro disse...

O mais interessante disto tudo: um post sobre o presidente da república tem 3 comentários(na altura em que escrevo. Um post a discutir o sexo dos anjos / anónimos, tem 25...
Ora analisai lá.

pipilota disse...

Ser um anonymous, um falso blogger ou um blogger que se mantém anónimo vai dar ao mesmo, como por exemplo o caso da Zazie.

A 'nossa' Betty Friedan identifica os anónimos pelas horas o que me fez dar umas boas gargalhadas.

Anónimo disse...

A questão que tem havido na blogosfera, se ler com atenção, é a propósito de um blogue, a Grande Loja do Queijo Limiano, na qual os anónimos que lá escrevem já reconheceram que:

Alguns desses anónimos são MAGISTRADOS.

Nesse blogue são lançados BOATOS. Com o objectivo expresso de evitar determinadas ocorrências que os seus autores não querem. Dois exemplos: que José Manuel Fernandes vai assessorar Cavaco Silva e que Daniel Proença de Carvalho estaria na calha para ser designado Procurador Geral da República. E esta última com a agravante de que se, essa nomeação ocorresse, muito provavelmente Proença de Carvalho seria superior hierárquico dos MAGISTRADOS QUE ANONIMAMENTE LANÇARAM ESSE BOATO.

Quanto ao restante anonimato, pode-se gostar ou não, mas fica com quem opta por ele.

O anonimato dos MAGISTRADOS, para além do evidente desvalor ético da atitude, nos termos em que é usado na Grande Loja do Queijo Limiano pode até ser, como alguém já referiu, fundamento para procedimento disciplinar contra o seu autor. Isso, aliás explica o anonimato.


Rosalia

josé disse...

Rosalia:

Já lhe tentei explicar várias vezes que os magistrados têm direito pleno á liberdade de expressão, como o prova o facto de haver neste momento vários blogs com nomes sonantes da magistratura portuguesa como é o caso do blog Sine DIe e Cum grano Salis.

Juízes do STJ!

E são eles mesmos, com o seu próprio nome que escrevem sobre política, religião e outros assuntos bem polémicos, incluindo temas jurídicos polémicos como as escutas e buscas.

Por outro lado, ao referir-lhe por várias vezes que na GLQL não é possível exercer a magistratura como não é possível exercê-la em qualquer blog, pensava que V. tinha percebido.


Pelos vistos não percebeu.

Então, para terminar uma vez por todas este equívoco, peço-lhe para se moderar nessa sanha que não tem qualquer sentido.
Mesmo que na Grande Loja houvesse magistrados que quisessem assumir essa qualidade,( e não há) nada do que por lá foi escrito assume relevância criminal, disciplinar ou outra, a meu ver. V. tem insistiro nesse aspecto, vilipendiando por várias vezes náo sei com que intuito.

Por isso, peça conselho a quem sabe,
se não aceitar o meu.

De resto, todos os factos que refere são risíveis.

Muito pior seria ler insultos ao PR como pode ler nos arquivos de certos blogs. Ou insinuações de outro tipo.

Não é na Loja que os encontra.
E se encontra- prove. Esses que apontou, porém, tem autor. Que nem é magistrado coisa nenhuma, como ele já esclarecer e mesmo se o fosse, não ten nada de mal ou disciplinarmente relevante.

Espero que entenda uma vez por todas.

josé disse...

Estou a ouvir e ver neste mesmo momento o magistrado Paulo Dá Mesquita, na RTP2.

Apresentou-se no programa como "jurista" e não é na qualidade de magistrado do MP que ali está, no programa CLube de Jornalistas.

Está neste momento a responder de modo inteiramente correcto como eu entendo e sempre tenho escrito.

Veja por favor!

josé disse...

Paulo Dã MEsquita é um dos autores que escreve no blog SIne Die e está a explicar a busca ao 24 Horas, com a presença de Pedro Tadeu.

Sendo magistrado, esclareceu ali, há momentos que náo pode ser tomado nessa qualidade...

Será assim tão difícil de perceber?!

josé disse...

Terminei, cara Mª Lurdes.
E não volto a comentar aqui tão cedo.

Mª Lurdes Delgado disse...

Outra vez, não!

Anónimo disse...

A Condessa de la Palice, quando souba da morte do esposo e Conde que lhe deu o nome, não diria melhor.

esta aprovada Senhora Condessa.

Um admirador de carne e osso

Davide E. Figueiredo disse...

Uma vez escrevi uma carta de amor anónima a uma colega do 7º ano só que ela pensou que fosse do Rodrigo (filho de médico) e começaram a namorar um com o outro.

Desde esse dia que nunca mais escrevi nada anónimo :(

Anónimo disse...

Há uma "ligeira" diferença ente os bolgues que cita e o seu: eles dão o nome.

Outra "pequena" diferença é que não vi por lá nenhum boato, nem o estilo trauliteiro e de permanente insinuação que vejo no seu.

Mas não foi a si que me dirigi no meu comentário porque o que o josé pensa e é já se sabe. Estamos conversados

Rosalia

josé disse...

O problema que V. coloca não é o de dar o nome:

É de serem magistrados a blogar.

V. atropela-se no que diz.

Acabei.

Anónimo disse...

Magistrados ANÓNIMOS.

Rosalia

Anónimo disse...

Ó José, vocemecê esta taralhouco?

Alguem quer cortar o pio aos senhores Magistrados?

Ai deles que o façam

"Nenhuma ideia é boa ideia até passsar a ser ideia de um senhor Juíz"

Senaquerib disse...

Estamos quase a descobrir qual é o sexo dos anjos.
Ou será dos anjinhos?

josé disse...

Os magistrados não podem blogar!

Nunca o poderiam fazer nessa qualidade.

E os magistrados, antes de o serem são cidadãos como os demais.

Não podem ser coarctados, por causa da profissão que exercem, dos seus direitos de expressão.

Logo, um indivíduo que por acaso até será magistrado pode mesmo blogar, mas não nessa qualidade-sim na de cidadão.

Logo, é irrelevante que seja ou não anónimo e ninguém tem o direito de coarctar esse direito ao anonimato que é um direito de personalidade também.

( afinal não tinha acabado, porque isto parece difícil de entender).

zazie disse...

a grande imbecilidade destas rosalias e helenas xuxualistas que chateiam a GL é que sabem que eles são anónimos e ao mesmo tempo também sabem que eles são magistrados.

É curioso este paradoxo. A GL tem 20 membros. Dois deles são figuras conhecida e os textos são lá colocados por serem enviados. Os outros ou usam nick ou apenas nome próprio e estas alminhas apoiantes do Paulo Pedroso sabem que eles são magistrados do MP

ele há coisas...

zazie disse...

é que estas preocupações vêm todas do mesmo sítio e pelo mesmo motivo. A defesa de um alegado pedófilo ou de um alegado ex-futuro-primeiro ministro. Como se preferir. Eles costumam preferir a segunda menção

zazie disse...

só para responder à pipilota. Há perto de 30 bloggers que me conhecem. É quanto basta.

Anónimo disse...

Não me tente convencer mais. Pode desitir. Já conheço todos os seus argumentos de fio a pavio.

Continuo a dizer: um magistrado não pode blogar anónimo no registo em que v. o faz.

Entendo o seu ponto de vista. Mas acho-o intelectual e eticamente desonesto. Esse é o meu ponto. Que aliás radica nos mais elementares princípios que devem nortear a vida de qualquer ser humano civilizado: a coragem e a honestidade.

Rosalia

josé disse...

"coragem e honestidade" são qualidades pessoais.

E não tem a ver com o assunto que trouxe à liça.

Cada um sabe de si.

zazie disse...

qual é o registo do José?

O de não ter partido nem clube? o de não sustentar campelinhas?
o de se limitar a corrigir o trabalho que vocês pagam para os media desinformarem?

é isso?

é isso que vos incomoda?
só pode.

Porque não há um único texto do José em que ele lance qualquer teoria de conspiração, atire com insinuações, fale de trabalho que tem em mãos ou viole qualquer segredo a que poderia ter acesso.

O José limita-se a colcar a lei, aqui escarrapachada e a mostrar quem a altera, quem a deturpa ou quem a não conhece e vende gato por lebre.

É isto que o José faz. E se isto é ilegal que me expliquem o motivo.

zazie disse...

esta gente devia ter vergonha na cara. A outra, a Helena, até foi ao blogue do Pulo do Lobo a título de amiga pessoal da ministra da cultura para mandar uma calinada de português e chamar analfabeto ao maradona.
Foi tamanho fiasco que nunca mais apareceu com ligação ao blogue.
Agora vai para a GL fazer campanha mas com a luzinha azul apagada...

zazie disse...

um pirilampo fundido... coitada...

":O.

Anónimo disse...

Zazie,

Fique para ai a ladrar a noite toda que ninguém a leva a sério. Ainda não percebeu, destrambelhada criatura?

zazie disse...

pois é... eu é que sou destrambelhada e vocês é que são os pirilampos fundidos da campanha de apoio ao grande camarada Pedroso

zazie disse...

estes lacaios são de tal modo cretinos que cá para mim o PS ´só perde votos à custa de papagaio nónó na blogosfera...

e ainda por cima sujam as mãos por um caso de tanta dignidade

Anónimo disse...

Pensando bem ... se calhar, este josé e esta zazie são "fontes habitualmente bem informadas", não serão Dra. Constança?

Anónimo disse...

O que é que a Dra. zazie quer insinuar com a recorrente referencia ao Dr. Pedroso? Saberá de alguma coisa que nós, vulgares populares não sabemos?

Anónimo disse...

Então? Desistiram?

zazie disse...

Vocês é que devem saber. Nunca se falava do MP, quanto muito até tinha uma aura “de esquerda” e o problema da justiça era o favoritismo a quem tem dinheiro ou poder. Dá-se isto da Casa Pia e ficam com um camarada “entalado” e desde aí só sabem diabolizar o MP em tudo quanto é sítio. Agora até na blogosfera perseguindo quem possam imaginar que faz parte do MP.
E pergunta-me a mim uma simples cidadã o que sei? Eu não sei nada mas acho que isto é demasiado suspeito para não ter ligação, ora!

Liga dos anónimos anónimos disse...

De facto há dois tipos de pessoas (como sempre em todas as análises desde a Grécia Antiga), os que veêm as coisas como utensílio das ideias para uma apreensão mais extensa da realidade, e os que se dedicam aos detalhes dos utensílios como conhecimento-em-si. Platónicos e Aristotélicos.

Em nosso entender, a polémica dos anónimos corresponde a um nível infantil e bastante primário da relação dos indivíduos com os utensílios, no sentido em que existe uma projecção do valor da utilização pelo domínio técnico que se opõe ao seu potencial discursivo. No fundo, os que desconfiam dos anóminos, alimentaram um Tamagoschi, conseguem polemizar sobre a música Pop, pensam que Tolkien é um dos mestres recentes da literatura, e encontram diferenças de pathos entre o KFC e o McDonalds. No fundo, acreditam muito no mundo moderno. Sem dúvida, são os mais felizes.

Anónimo disse...

Agora puseste-te em sentido, hein zazie?

Ficaste aflita, foi?

zazie disse...

o caso é tão caricato que até a Drago de exrema-esquerda à custa disto já defende privilégios para o poder no que toca à justiça

Foi o maior tiro no pé que por estupidez toda uma área política decidiu dar.

Para quem não tem nada a ver com estes clubismos só faz lembrar um daqueles suicídios dos lemmings

Anónimo disse...

pois está bem visto: o josé e a zazie devem ser as "fontes habitualmente bem informadas"!

zazie disse...

isto foi só uma achega ao texto da Constança.

É verdade que a polémica dos anónimos é uma polémica barata e sem interesse. Mas também é verdade que só surge em relação a certos anónimos e por certos motivos. E foi feita bandeira por um político da nossa praça que não é propriamente um simples cidadão sem poder.

E há um motivo implícito que também não é assim tão menor. A salvaguarda do único clube que certos cavalheiros consideram acima de qualquer suspeita. O clube da seita do Poder.

Anónimo disse...

achega, achega. sempre podem ser úteis uma à outra..., a jornalista e a magistrada anónima.

Anónimo disse...

Mas o que é que tem contra quem está no poder? Crie um partido politico e derrote-os em vez de defender o boato a insinuação e a aleivosia como arma contra os "poderosos".

Bem sabemos que o Independente, do qual CCS também é herdeira, (facto que talvez explique a sua complacência com o boato), derrotava muitos politicos assim. O Paulo Portas que o diga.

zazie disse...

é claro que atrás de tudo isto também vêm os idiotas mas isso já se sabe. É sempre assim, loucura atrai loucura. Há que dar um desconto

Anónimo disse...

e lixo atrai lixo.

zazie disse...

os tontos não sabem que poder é quem anda ao bolo, não apenas o clube que come a maior parte até alternância de lugar...

o poder protege-se: hoje eles, amanhã nós, deixa cá mas é tratar pôr as barbas de molho...
não! é melhor ser pragmático e mudar a lei!

Anónimo disse...

Estou emocionado com estes anónimos defensores dos fracos e desprotegidos....

Rantas disse...

O que me incomoda a mim não é propriamente o anonimato, porque isto já se sabe - como ficou demonstrado pelo Antonio e pela Zazie, os nomes que aparecem (mesmo a azulinho) podem ser enganadores.

O que me incomoda mais é a pobreza de espírito de alguns comentadores, quer apareçam como anónimos quer não. Comentadores que escrevem apenas para insultar e ofender, sem qualquer objectivo que se possa vislumbrar que não seja o pseudo-humor do arroto, como surgiu hoje um no Revisao-da-Materia. Enfim, idiotices parvas...

Aproveito para deixar aqui um esclarecimento, não vá induzir alguém em erro: o meu nome não é Rantas e sou tão anónimo como quantos aqui aparecem.

Ah! e não sou magistrado, mas acredito que ainda que fosse isso não me iria impedir de continuar a pensar por mim. Rantas é diminutivo de Rantanplan, o cão mais idiota do Mundo. Mas livre de dizer o que pensa :-))

Um abraço!

Anónimo disse...

Por que será que o fromage bloqueou a inclusão de comentários de anónimos?
Será que o «José» estava a ficar muito incomodado?
Sendo o «José» anónimo, haverá outra maneira de se lhe dirigir a palavra que não seja anonimamente?
Os magistrados são assim: quando a conversa lhes começa a correr para o torto silenciam os interlocutores.

sniper disse...

O importante para mim é a informação, não o informador; no entanto, tenho que respeitar quem públicamente dá a cara pelo blog, o(s) proprietário(s) do(s) mesmo(s), e os respectivos termos e condições como o blog aceita comentários. Sou um fervoroso adepto da auto-regulação. O "lixo não atrai lixo eternamente"...O lixo faz parte do jogo.

pipilota disse...

Que trampa! Magistrados, políticos e a dança do Clube do Poder toda engalfinhada na blogosfera. As nossas 'elites' confrangedoras já não lhes resta um milímetro de respeitabilidade. O que um post aparentemente sobre o anonimato trouxe à tona de àgua.
Zazie: dá para perceber que os teus amigos sabem quem tu és...mas para mim és o nome de uma cantora francesa do festival da canção! Mas dá-me a sensação que somos ambas anónimas ovelhinhas no meio destes abutres esfomeados.

Anónimo disse...

Basta ver o teor dos comentários e dos blogues para ver que tipo de gente são zazies e joses. è raro aparecer um anónimo que diga alguma coisa que valha a pena ler ou que não seja para fazer acusações e insinuações. Como por exemplo a zazie fez ali acima, sugerindo que quem a contraria a ela e ao seu querido jose é do PS e defende o Paulo Pedroso. Quem não vê isto, é lixo, como eles. Ou dá-lhes jeito o que eles dizem, por isso não vê mal nenhum no anonimato e na calúnia.
Desprezível.
Jorge Lopes

Anónimo disse...

Um anónimo pode ser anonimo por não ter blog ou estar com pressa...

E se assinar CCS!?!

Esclarecidos da minha ID?

Paranóias...

Anónimo disse...

Ser anónimo é não ter um ego descomunal que precisa d eser reconhecido (para existir) em cada acusação que faz.

os subescritores deste blog, nomeadamente a CCS é tipicamente assim!

Precisa de ser ouvida...

E por isso está sempre com acusações e maldicencias. Assinadas claro!

Ass. Anonimo!

Anónimo disse...

Por favor não queiram confundir a net com as regras de sociabilidade de lá de fora." O maior problema dos blogues, é que replicam a sociabilidade fora dela,ie, "só dialogamos" com os amigos, mais nitidamente na área politico/jornalistica e com tendencia a excluir quem não é reconhecido pelos frequentadores desses meios"
http://esquerda-republicana.blogspot.com/
Este post do Ricardo Alves é interessantissimo e ilustra como uma ferramenta tão interessante como esta pode "morrer" face á sua má utilização.Dá pena ver que as "relações de poder" existentes lá fora são replicadas na net. Quantos "bloggers" exultam quando conseguem um link no Abrupto ou no Espectro ( só para exemplificar os mais conhecidos)? Muitos.A perspectiva na net deve ser diferente, e a abordagem que a CCS faz, é na realidade a melhor. Isto é as pessoas que comentam em blogs não podem fazê-lo para conhecer outras pessoas e tentar uma "sociabilidade" virtual com outras pessoas que lhes são inacessiveis.
O melhor dos blogs são as ideias que podemos transmitir, comentar, difundir, aproveitar
sem rede, só pelas ideias, deixando o BI na gaveta. Alguns optam pelo "elitismo", estão no direito de o fazer, mas porque é que têm um blog?Pela audiência?
Ou pelo gozo?

Anónimo disse...

Este blog está a ser incómodo para muita gente que gostaria de acabar com ele. E na fase que estamos a viver - fala-se tanto de escutas e de outros modos de pressão - conviria a certa gente que quem emitisse opinião o fizesse com assinatura reconhecida. A liberdade de expressão ainda incomoda muita gente. As minhas intervenções, aqui, sempre como anónimo, tiveram isso em boa conta, o que não me afastou de me manifestar sempre com correcção.

Unreconstructed disse...

Este post diz tudo o que há a dizer sobre este assunto.

Anónimo disse...

Não me incomodo se assinam ou não os comentários, nem os aprecio em função disso. Aliás é preferível andar por aqui sem matrícula do que com matrícula falsa, como acontecerá com alguns, certamente, terão respeitáveis razões para o fazer.

josé disse...

Aos jorges lopes que por aí pululam:

Ao referir-se a mim e à zazie, pessoas que costumam comentar em blogs vários e que assimilam gostos parecidos em questões variadas, devo esclarecer o seguinte, porque começo, contra vontade minha a ser reconhecido como um anónimo que assina "josé".

Sinceramente, o que procuro na net e nos blogs é a discussão de ideias.
Não é lançar boatos, fazer insinuações ou propagandear disparates, embora assuma que os possa escrever. Quem atira a primeira pedra?

Nos meus escritos que podem ser escrutinados porque estão publicados e guardados em arquivo, está aquilo que digo e penso.
Quem quiser fazer acusações do género das que fazem os jorges lopes, pode fazê-lo desde que provem com os factos- não com afirmações que entendo caluniosas e que por isso mesmo desmentem o discurso moralista de quem assim acusa.


Quanto ao facto de a zazie me defender, só tenho a agradecer.
Conheci a zazie no velho Pastilhas de MEC. Como muitos outros, aliás. Por exemplo, o autor do blog COntra-Corrente.
Somos amigos virtuais por aquilo que dizemos.
Nada mais e nem é preciso mais, aliás.
Falando por mim, não sou "fonte" de ninguém; não represento ninguém senão eu próprio e para dizer a verdade, já me apetecia mudar de pseudónimo, para continuar a passar despercebido nos blogs e escrever o que entendo justo segundo a minha consciência. Sem outro interesse que não esse e o de me divertir, porque isto também estimula o pensamento e o raciocínio e confere agilidade na escrita.

Tudo vantagens que as pessoas tendem a esquecer.

Tenho dito que estou para acabar de comentar aqui. Confesso que me custa e como este local ainda é dos poucos onde pode haver alguma comunicação civilizada ( embora cada vez mais difícil), cá venho de novo.

Anónimo disse...

Zazie e José, a vida é luta e vocês sabem perfeitamente que, por cá, isto está a atingir níveis de guerra fria. Um apêlo: não desistam! Isto precisa de vós. Abraços.

josé disse...

Além disso, a net e particularmente os blogs são um meio ainda muito limitado de comunicação.

Empiricamente, julgo que atingem algumas centenas de pessoas que se concentram numa dúzia de blogs e que cirandam de uns para outros à procura de novidades e assuntos interessantes.

Neste, em particular, discutem-se assuntos políticos, com a política entendida como gosto: de modo geral e sem amarras ideológicas demarcadas.

No entanto, os intervenientes em blogs, com algo interessante para dizer, são ainda muito poucos e o grau de influência na sociedade em geral que lê jornais, por exemplo, é quase nulo, a meu ver.

O que se escreve nos blogs, em termos de opinião, é muitas vezes irrelevante, como VPV disse e muito e muito bem numa entrevista.E isso derivado da grande ignorância que impera na opinião em geral sobre certos assuntos e matérias.

Resta o quê, então?

Alguma informação comentada de uma outra perspectiva que os jornais omitem.
Esclarecimentos de notícias e comentários sobre as mesmas.
Argumentos mais variados do que os que se podem ler em jornais.

Tirando isso, resta aquilo que se pode resumir na frase: "Não deixe que a verdade estrague uma boa história" , o que remete para a leitura tongue in cheek que muitos não atingem e ainda para o carácter lúdico dos blogs que muitos querem cercear e capar de todo, como é o caso evidente de Pacheco Pereira.

É por isso que é preciso denunciá-lo como polícia da blogosfera.
Não o Pacheco Pereira pessoa concreta, mas aquele que assim escreve e diz.

Porém, há quem não entenda esta dicotomia e a tenha como artificial...
Lamento.

AM disse...

"mª lurdes delgado said...
Eu continuo à espera que alguém daqui me ensine a passar a azul. Já tenho dito que cá em casa me dizem tudo a correr, e eu não absorvo. Preciso que me expliquem, "


Ò Mª de Lurdes
Mas eu outro dia já lhe expliquei isso timtim por timtim (ou foi aqui ou no SEDE)..... :(

AMNM

Apatrida disse...

Adoro ver na TV, os não-anonimos a tratarem-se todos por doutores, num pais de pacovios. Sao os reis dos pacovios...e estes votam neles!! Até alguns jornalistas, com cursitos ràpidos tirados no estrangeiro , de um ano ou dois, sao doutores... Ganda pais de doutores! Jà aqui falei do caso dos tipos que mandam os bancos por um dr antes do nome nos cheques e nos cartoes de credito... E isto passa-se em Lisboa, que se diz ser uma ganda capital cosmopolita e pràfrentex! é mas é uma pequena provincia da europa, repleta de pacovios e de tipos que julgam que por serem uns professorecos do ciclo se acham tao importantes que obrigam os vizinhos a dobrar a lingua todos os dias com o tal dr.. nao é verdade, dra e dr, CCS e VPV?

Anónimo disse...

Tanta preocupação com posts anónimos. O que interessa são as opiniões que estão por detrás. Se o anonimato confere maior liberdade de expressão (excluo o insulto) então que ele seja utilizado até à exaustão. Cara Mª LUrdes Delgado. No caso de querer seguir uma linha de reaciocínio basta ver a hora a que o anónimo fez o post e responder-lhe. Um post anterior dizia com razão, que o facto de eu usar um nome não quer dizer que esse nome me identifique. Para mim é igual ser anónimo ou pelo contrário identificar-me como Dali, Salazar, Sócrates ou DEUS. A quem isso interessa? A blogosfera deve ser um local de livre expressão de ideias, independentemente da sua origem!
CCS: Finalmente estou de acordo consigo!

Veliberalino disse...

Primeiro perguntam-nos o nome.
Depois querem saber onde moramos e o que fazemos.
Em seguida querem devassar toda a nossa vida.
Por fim querem-nos manietar, atrofiar, controlar, perseguir, aprisionar.
São eles, a estirpe "superior", a raça pura...
Sempre eles!

Omar Khayyam disse...

O anonimato é um estado de espírito... quem não entende isto, não entende, por exemplo, que estas caixas de comentários são aproveitadas por elementos "de dentro" para lançar recados para fora, seja do mundo da política(quase sempre) seja da economia(pouco) ou até de algumas águas furtadas onde se definem(ou definham) estratégias das mais diversas. E depois, a CCS tem uma infinita razão quando diz que o que importa é o conteúdo e não o formato. Mas confesso que gostaria de ver um comentários anónimos do Pacheco Pereira(há quem diga que os faz por estes lados) ou mesmo da CCS e do VPV e outros, embora uns sejam mais outros que muitos. Era giro, não era... o que teriam para dizer!!!

David Oliveira disse...

Embora as suas conclusões no que aos que se socorrem do anonimato sejam verdadeiras... essas não explicam o universo todo.Ficam de fora nas suas conclusões todos os que, por cobardia, dúvida sobre a sua valia e da valia dos seus comentários, pela ordinarice ou malvadez inclusa (implícita)nos mesmos,por falhas de carácter(inveja ou antipatia, por exemplo)não assumem ...gritam, barafustam quando estão sózinhos ou de outro modo ... comportam-se como os "mabecos"...corajosos em matilha.Agarra-me senão mato-o!Eu se de si não gostasse por qualquer motivo (só a mim diria respeito) dizia-lhe ... e assinava.Tal como assino este comentário!

Ricardo Alves disse...

Cara Constança,
nunca vi um «não anónimo» a ameaçar agredir uma pessoa ou a insultá-la usando termos de cariz sexual. Já vi anónimos a fazerem isso. Compreende a diferença, agora? Ou quer mais explicações?

piscoiso disse...

A minha tia Efigénia, que é alcoviteira, tem alguma dificuldade em catalogar os anónimos. Inicialmente identificava-os pela hora, até ao momento em que apareceram dois à mesma hora.
Agora atribui-lhes um número de série, com cores diferentes segundo a área política.
Os que são escritos por Drs., estão a bold.

rb disse...

Concordo com o post, se forem boas ideias, podemos debater com quem quer que seja, anónimo ou não. E também aqui com a MLD quando disse que a vantagem de ter um nick é percebermos, mais facilmente, a linha de pensamento. E, MLD, eu tenho o meu nick a azul e não tenho blog, mas se quer que lhe diga, nem sei como o fiz, acho que o criei para comentar na GLQL e depois ficou sempre assim. Quanto ao José, fazendo um exercício de adivinhação, parece-me que ele só pode ser magistrado do MP, tal o conhecimento que revela da praxis desta profissão. No entanto, tenho duvidas que esteja a exercer e certamente deve ter uma boa razão para não se querer identificar, perfeitamente respeitável, pois a blogsfera é meramente virtual. Não concordo com a Rosalina de que esta actividade do José possa ser ilegal ou anti disciplinar, já que ele nunca comenta processos em qyue esteja envolvido, pelo menos, aparentemente, e os suas opiniões prendem-se mais com a crítica às notícias que põem em causa o trabalho da sua dama, o MP. Não vislumbro qq eilegalidade (PS: a CCS e o VPV já leram o artigo do DFA hoje no público, certamente que sim, então sff comentem-no)

Arrebenta disse...

Muito bem, e quando ao rastejante P. Pereira, cá fica o reparo:

No fundo, estes cavalheiros apresentam-se todos como "opinion makers" , mas a verdade é que não passam de simples "opinion fakers" , ou, pior ainda, a sua actividade central é apenas a de meros... "opinion fuckers".

http://braganza-mothers.blogspot.com/

Arrebenta disse...

E tomo a liberdade de repetir aqui as minhs transitórias Leis da Blogosfera:

As 10 Leis da Blogosfera, de acordo com Arrebenta

O tema ainda me interessa menos do que a Irmã Lúcia, mas aproveito, já que uma figura menor, como Pacheco Pereira, parece provocar, através das suas banalidades, tanta polémica, aproveitar as banalidades dele, para atear ainda mais incêndios.

As Leis da Blogosfera, de acordo com Arrebenta:

1ª Lei) Tudo o que não é publicado no "Abrupto" ou é contraditório, ou rapidamente se revela uma ignóbil contradição.

2ª Lei) A ferocidade dos comentários é directamente proporcional ao estrago que o "post" provoca no Sistema, e é geralmente fruto de anónimos bloguistas, com nomes realmente sonantes na obscena hierarquia desse Sistema.

3ª Lei) A esmagadora maioria dos temas, comentários, reacções, alinhamentos e posições é sintomática do estado de atraso e iliteracia do país de onde provêm.

4ª Lei) Tudo que não se insere no anterior, deve ser rapidamente abafado, através de comentários anónimos, violação de blogues, intimidações, e profanação de computadores e caixas de correio.

5ª Lei) A Blogosfera tem horror de pachecos pereiras.

6ª Lei) O carácter lúdico dos blogues diminui à medida que se aproxima dos verdadeiros temas gangrenosos da nossa sociedade.

7ª Lei) As Sociedades Secretas que nos governam na sombra estão em assanhada disputa pelo espaço (ainda) livre do Discurso Blogosférico.

8ª Lei) Tudo o que devia aparecer na Blogosfera deveria cumprir as regras, submissões e compadrios vigentes na Atmosfera, o que, graças a deus, ainda não acontece.

9ª Lei) Na Blogosfera, o lixo de Pacheco Pereira só atrai lixo ainda mais lixo do que o lixo de Pacheco Pereira. Todo o restante é publicado -- imagine-se -- sem nunca pensar em Pacheco Pereira, ou, sequer, saber de quem se trata, ou do que ele escreve, ou pensa.

10ª Lei) Não se ponham a pau, e brevemente só haverá lugar, neste espaço de sombras, para as rebarbadas de perna-aberta do costume, vidé, marias elisas domingues, pachecos pereiras, marcelas, luíses delgados e quejandos.

Disse.

JOINCANTO disse...

Estimada ccs:
Tenho uma pergunta existencial:

"Pertenço à raça dos anónimos desprezíveis!", serei apenas um "ser anónimo frontal", ou fazei parte dos Vampirescos Anónimos viciados em pescoços da Alice???

:)))

Anónimo disse...

Dona Maria de Lurdes Delgado
Para que o seu nome apareça a azul
basta inscrever-se no Blogger, em:
http://www.blogger.com/signup.g
(Não precisa de criar um blogue)
Cordialmente
Anónimo da Silva

Anónimo disse...

Ou me engano muito, ou esta área dos comentários está mais madura e com mais qualidade. Se o exercício aprimora, tambem começa a manifestar-se um certo espírito de corpo - como dizem os militares - significando com isso, que estamos todos no mesmo barco, que conta o esforço de todos e que temos que chegar todos ao fim da missão.
A propósito deste post e de outros, deixem que intervenha aqui, também, o poeta Aleixo, um quase analfabeto que dizia muito com poucas palavras:

Há luta por mil doutrinas.
Se querem que o mundo ande,
Façam das mil pequeninas
Uma só doutrina grande.

Quando os homens se convençam
Que à força nada se faz,
Serão felizes os que pensam
Num mundo de amor e paz.

zazie disse...

só uma nota,

O José já esclareceu de onde nos conhecemos- do mundo virtual que começou no Pastilhas.

Quanto à idioteira de eu ter alguma coisa a ver com magistratura só mesmo um tonto podia depreender tal coisa. Eu percebo tanto de direito como de finanças ou geologia- a ponta de um corno.

Basta ir ao Cocanha para se ver que os meus interesses são outros.

Fontes só de aguinha da serra

Para a Pipilota- Raymond Queneau não lhe diz nada?

Politikos disse...

Lapidar, Constança, a forma como definiu o anonimato e o seu valor. É isso mesmo. É bom ver que nem tudo é valor absoluto no reino do jornalismo?! Como aliás, em nada... Excepto na liberdade de expressão, é claro ;-)

Anónimo disse...

É indecoroso usar o guardanapo para limpar a cara.
De la Salle, Les Règles de la Bienséance et de la Civilité Chrétienne, Rouen, 1729

Anónimo disse...

Para completar o meu post das 11.22 AM queria colocar umas questões: Estarão os anónimos estão mais enquadrados na humanidade, porque não sentem necessidade de se identificar? Quem se identifica apenas está a tentar distinguir-se do resto do universo porque precisa de ver reconhecisda a sua opinião / ideia, mesmo que por apenas uma iniciais? A mim não me faz confusão ser anónimo, sou mais um entre tantos, o que não me reduz nem me enaltece, apenas me lembra da minha eterna condição humana de igual entre desiguais..?.

josé disse...

"A blogosfera tem em comum com os vampiros não se conseguir ver ao espelho."

É esta a última "Lei-Constatação" do Abrupto.

Como é fácil de perceber, o autor anda por aqui, feito espectro, a ler. Observa, julga e dá a sentença depois, do modo que se pode ler, em modo de anátema.

É um pequeno estaline, a pessoa que por ali anda a escrever deste modo, naquele sítio.Não sei se o autor do blog é um pequeno estaline. Sei que isto me parece que é sinal disso. E basta para a avaliação e o ápodo, porque leva já a fundamentação de facto:

Se pudesse, e segundo parece, mandaria tudo o que lhe faz frente e mossa, para os gulags do esquecimento e para os recantos do desprezo colectivo.
É isso que objectivamente escreve ao acusar sem justificar.
COmo não pode, vitupera pelo lado mais fácil e evidente. Primeiro, o anomimato que é desprezível, sem mais. Não adianta argumentar que é um direito de personalidade, não dizer o nome a quem quer que seja.Por isso mesmo, discutiu-se imenso aquando da lei de identificação civil se as autoridades tinham esse direito assim por dá cá aquela palha.

Depois, dando-se conta do possível problema lógico, entra por outro mais evidente ainda: são despreziveis os anónimos que boateiam! E para exemplo foi buscar o facto de num blog se ter dito que o director do Público ia para assessor do futuro PR! COmo se isso fosse escrito pelo colectivo desse blog; sem distinguir quem escreve o quê e principalmente, como se isso fosse boato impeditivo de qualquer nomeação pelo mérito inerente ao indivíduo!
Mas ainda mais: como não conseguiu outro facto, lançou a suspeita ( e o boato e insinuação com nome e dirigido a anónimos. Escreveu que nesse blog ( e noutros) se lançam boatos e insinuações a esmo! Calúnia evidente de que nem se penitenciou nem provou, mesmo depois de ter sido chamado à atenção.

Agora vem com mais esta insinuação torpe...

Cara ccs:

S epor acaso entender que estas minhas observações extracasam o admissível como comentários nesta sua casa, diga que respeitarei a sua observação.
De resto, só comento porque o assunto do post é mesmo este e a discussão está a colocar-se ao nível de um blog como o Abrupto e todos os outros blogs que por aí proliferam em inteira liberdade de expressão.

A defesa da liberdade de expressão também passa pela crítica ao Abrupto e às suas "Leis-COnstatações" que nada mais pretendem do que definir fronteiras de interditos.

Triste, triste,triste.
Três tristes tigres...de papel!

daniel disse...

O anonimato na blogosfera não é, só por si, um problema. Mas quando nos dispomos a construir um espaço de abertura franca ao confronto de ideias temos de contrariar as facilidades que o anonimato na internet permite promover. Nesta plataforma de confronto aberto devemos ter tolerância aos outros mesmo perante as vozes mais agressivas e contundentes, mas terão o mesmo significado se surgirem sem assinatura? Não passa pela identidade a afirmação da opinião e do pensamento em liberdade? Não será essa até uma exigência da cidadania, ser constituída por “cidadãos”, pessoas concretas manifestando expressão social à medida de cada um mas em igualdade de circunstâncias. Que significado ético tem um espaço de vozes anónimas lançando ataques que chegam a ser insultuosos?
O que se promove com o desrespeito destas regras é a presunção de culpa, a mentalidade do “o que tu queres sei eu”. Será possível constituir um debate são em espaços que promovem este tipo de clandestinidade e torna impossível aferir o rigor das opiniões e conclusões que ali se exprimem.

João Villalobos disse...

PUB:

Ufa! Acabei de vos ler a todos e acho indecoroso que a zazie escreva mais aqui do que no blog dela ;) (E se calhar o José também).
O nosso blogue é de produção literária própria e, por isso, assinado com os nossos nomes de baptismo e distante das questiúnculas que agitam a política e a sociedade da blogosfera. Não queiram saber a paz que isso nos traz (e a desertificação dos anónimos também). Enfim, é uma ilha de paz e serenidade, um mundo sem televisão nem tablóides :)

zazienometro disse...

ahaha tens razão, joão. E vou já acabar com este disparate. Os blogues literários ainda são um oásis. O problema é que há quem se interesse por política e que goste de exercitar alguma agilidade mental.

Mas mesmo isso já vai desaparecendo pelos motivos enunciados

xatoo disse...

um anónimo de sucesso para os tempos que correm é o Santana Flopes

Anónimo disse...

EHEHEH
E como é que acha que os comentadores se devem identificar ?
Com o número fiscal do contribuinte ?

zazie disse...

isto também funciona como um pequeno momento de intervalo de almoço em que em vez de se vem aqui para a conversa de jornal.

E a propósito dos tigres estalinistas o Timshel é que encontrou a citação certa:

""Se é verdade que a passagem das mudanças quantitativas lentas a mudanças qualitativas bruscas e rápidas é uma lei do desenvolvimento, é claro que as revoluções realizadas pelas classes oprimidas constituem um fenómeno absolutamente natural, inevitável." (Estalin in "Materialismo Dialético e Materialismo Histórico") "

ahahahah

Anónimo disse...

Gostava do VPV comentar estas linhas por me parecer interessante a argumentação exposta acerca do "revisionismo"

Lido no novafrente.blogspot.com


2. Vasco Pulido Valente escreveu no Espectro que "David Irving não é um historiador, é um homem que falsificou deliberada e muito competentemente a história". Diz a seguir que o resultado das investigações do inglês "não pode ser considerado, sob nenhum pretexto, trabalho académico, ou julgado como trabalho académico". Quando Pulido Valente fez, com grande mérito, a «revisão histórica» da I República, teria sido fácil arranjar dois ou três académicos — maçons e socialistas, de preferência — que lhe atirassem à cara as barbaridades de que ele acusa agora o Irving. Mas, enfim, há gajos com sorte e sem memória.

3. Certos oficiólogos insistem na tese conspiratória: os negacionistas, mais do que interessados na verdade histórica, teriam projectos especiais de poder, de cariz nazi e anti-semita, evidentemente. Essas, sim, as suas motivações camufladas. É um modo inteligente de reeditar os casos de Copérnico e Galileu, dois perigosos revisionistas. O problema deles, ao tempo, não foi tanto o de dizer que o Sol se não obstinava a girar em torno da Terra, mas sobretudo a eventual negação dos conteúdos bíblicos. Isto é: os desgraçados, no fundo, no fundo, eram anti-cristãos. Por isso que o Galileu, acusado de heresia, foi encarcerado no Quirinal. Anti-cristianismo no século XVII, anti-semitismo no século XXI. Não há meio de a Europa deitar a carga de tabus ao mar.

4. Outros oficiólogos afirmam que o número é irrelevante: 6 milhões ou 500 mil, seria tudo mesma coisa. Do mesmo jeito, seria indiferente que tivesse sido com câmaras de gás ou coronhadas na cabeça. Mas para mim não é a mesma coisa. Porque a questão não é reabilitar o nazismo, como certas luminárias crêem. A questão é a verdade histórica, que não pode ser alcançada com contas de merceeiro, mais milhão menos milhão. Os demográfos exigem saber os números reais. E os alemães, já agora, que foram obrigados a pagar certa quantidade de marcos por judeu gaseado.

5. Já li que a "retratação" de Irving não abona em favor do próprio e constitui mesmo uma derrota para todos os revisionistas. Não vislumbro a razão. O Irving não é o "pai" do revisionismo. Houve outros antes dele; haverá outros depois. O historiador inglês nem sequer é o mais importante revisionista da actualidade. Mas, enfim, compreendo as acusações. Convencidos de que os revisionistas perseguem fins políticos ou ideológicos, os seus detratores exigem-lhes que se comportem como políticos ou militares — e que corram riscos pelos seus "ideais". O problema, porém, não se filia no campo político-ideológico. É da profissão de cada qual que estamos a falar. Eu também seria capaz de correr riscos pela minha família ou pela minha Pátria, mas não estou disposto a dar a vida pelo "mercado imobiliário".

6. Se os revisionistas não tivessem razão, ou pelo menos alguma razão, não era preciso calá-los. Aos tolos não se liga peva.

zazie disse...

o Daniel Carrapa só me prova que não é um falsário se colocar aí o nº do cartão de crédito...

Carlos Medina Ribeiro disse...

É fatal como o destino:

Quando um blogue quer aumentar o número de visitantes, basta-lhe abordar este tema do "anonimato"...

josé disse...

Carlos Medina Ribeiro:

V. parece-me ser uma das pessoas mais bem dispostas e sensatas neste meio e que olha estes problemas pelo ângulo certo: o humor qb.

No entanto, parece-me que há outra lei que nem sequer é inventada por mim e que pode sempre ser refutada pelo primeiro anónimo que apareça e que diz que nestas discussões, daqui a bocado está a ser invocado o nome do diabo em vão: hitler e o nazismo.
Vai ver que é uma questão de alguns comentários...e não me refiro ao que acima foi colocado agora, pois que esse não se refere a este assunto do anonimato.
Aliás, eu tergiversei, ai citar es pequenos estalines...pois que vai dar ao mesmo.
Ridendo castigat mores,é um dos lemas que prefiro. E pelos vistos V. também.

Anónimo disse...

A Zazie é o Pacheco Pereira.

Anónimo disse...

O que é engraçado é o esforço que fazem para fazerem parte da carneirada que não quer fazer parte da carneirada.

rb disse...

Zazie disse... "a grande imbecilidade destas rosalias e helenas xuxualistas que chateiam a GL é que sabem que eles são anónimos e ao mesmo tempo também sabem que eles são magistrados.É curioso este paradoxo. A GL tem 20 membros. Dois deles são figuras conhecida e os textos são lá colocados por serem enviados. Os outros ou usam nick ou apenas nome próprio e estas alminhas apoiantes do Paulo Pedroso" e logo de seguida ainda disparou "... é que estas preocupações vêm todas do mesmo sítio e pelo mesmo motivo. A defesa de um alegado pedófilo ou de um alegado ex-futuro-primeiro ministro."
De facto, a Zazie, como aqui já reconheceu, não percebe a "ponta dum corno" de direito, senão coibia-se de dizer tamanha aleivosia. Seguindo o seu raciocínio, de que quem está contra o modo desastroso como o MP conduziu o processo casapia (que é um sério candidato ao maior embuste judicial português de todos os tempos) seja qualificado como "alminha apoiante de Paulo Pedroso", os que pensam como a Zazie serão as alminhas inversas. Porquê? Ele também vos fez algum "alegado" mal?...

Anónimo disse...

Concordo com o post das 3.25 PM. Mais acrescento, que algumas atitudes menos lambe-botas só se verificam porque existem opiniões vindas de anónimos.
Exemplifico: o facto do CMR às 2.41 PM ter afirmado que o assunto do anonimato é apenas para aumentar as audiências de um blog - mas amigo, acha que descobriu a pólvora? Se não tem nada de interessante a acrescentar à discussão, mesmo que seja um aparte de relevo, não faça um post. No caso de eu conhecer o CMR, estava neste momento fod+#o, porque tinha arranjado um inimigo, ou se ele fosse meu chefe eu era despedido :-D...por isso acho que as opiniões enquanto anónimo podem ser sempre mais GENUINAS.
É muito bonito dizermos que existe liberdade de expressão, mas pisem os calos a alguém que conhecam e vão ver a liberdade que têm...

rb disse...

Isso para mim chama-se cobardia, anónimo anterior.

zazie disse...

atento,

eu fiz uma ressalva, disse que também há muito tonto que vai atrás.

Você é que é o expert e até sabe que
«o processo casapia (que é um sério candidato ao maior embuste judicial português de todos os tempos)»

zazie disse...

eu apenas referi o que qualquer cidadão comum refere: a que propósito tanta guerra ao MP e ao PGR de que nunca se falava só porque desta vez não houve o arquivamento da praxe?

O Processo é uma coisa, o Caso, outra. O caso tem barbas e se calhar até o Marquês era cliente...

zazie disse...

embuste por embuste prefiro a cabalinha, a cabalinha é muito mais engraçada

Maze disse...

É gira esta ideia do anonimato nos blogs... para mim não é muito importante saber quem é o pai da ideia, mas a ideia em si, é isso que me estimula a viagem na blogeosfera ...

zazie disse...

nem é gira nem deixa de ser. O fenómeno nem se chama blogues mas sim internet...

quanto aos blogues, no início ainda houve aquela ideia meio romântica meio surrealista da escrita gratuita atirada para o éter. Mas rapidamente tudo isso foi subvertido pelas publicações dos livrinhos dos blogues e coisas no género.

Há alguns resistentes muito dignos em blogues menos conhecidos de que os Prazeres Minúsculos e ciclo à volta pode ser um exemplo.

O Espectro aparece na área política como algo no género. Tem piada porque até as crónicas do VPV que eu tinha de pagar para ler no jornal agora posso lê-las à borla na blogosfera

E com suplemento de brinde
";O))

Anónimo disse...

O Carlos Medina Ribeiro está com inveja porque o sorumbático tem tão poucos comentários....
assinado: anónimo, com muito gosto

Anónimo disse...

Querem ver o que é que a ... nem sei como chamar a eventual senhora Zazie, mas tola não me parece mal, escreveu a seguir ao texto do anónimo das 2:30 PM, que termina assim:
"Se os revisionistas não tivessem razão, ou pelo menos alguma razão, não era preciso calá-los. Aos tolos não se liga peva".?

Isto: "o Daniel Carrapa só me prova que não é um falsário se colocar aí o nº do cartão de crédito..."

2:34 PM

São necessárias explicações complementares para qualificar o sujeito?

Um(a) talhante de faca nervosa da inteligência. Rais partam esta gentalha.

Carlos Medina Ribeiro disse...

Há vários tipos de anonimato:
.
Se um político muito conhecido andar na Internet a coleccionar caricas ou a trocar bonecos-da-bola, é natural que use um pseudónimo - e não vem daí nenhum mal ao mundo.

Diferente é o caso dos que usam o anonimato por cobardia, agindo como aqueles "cocas" que vão para trás dos arbustos espreitar e atirar pedras aos namorados...

zazie disse...

ahahhaha


o cartão de crédito ":O))))

eu bem sei que também há muito ser humano a que a dona natureza tem uma enorme dívida na distribuição de atributos de raciocínio e sentido de humor

":O))))

Anónimo disse...

O pobre josé faz dó. Agora acha que o JPP o que destruir porque ele, josé, lhe faz frente e mossa...

Como prova evidente da mossa que o josé faz ao jpp basta ver que desde que o josé apareceu, a Grande Loja do Queijo Limiano é o blogue mais conhecido da lusa blogosfera e o josé uma das figuras publicas de maior destaque.
Haja noção....

Anónimo disse...

Como é que se calunia um anónimo? Alguém sabe?
josé?
um anónimo tem honra?

josé disse...

Ó anónimo "inteligente"!

V. além de não perceber o que se escreve, ainda encalacra quem se desprecata.

Eu quero ser anónimo!

Percebe?! Passar despercebido, entende?!
Escrever assumindo a responsabilidade do que escrevo, mas reservando o direito ao anonimato, ( e por isso deixando aberta a possibilidade da minha identificação)! Entende?!
Quero lá saber do JPP para alguma coisa- a não ser para o criticar pelo que escreve!

Não...não entende.

zazie disse...

Carlos,

pensava que a noção e anonimato já estava ultrapassada.
Você sabe que fulano é o autor de determinado blogue se ele for uma pessoa minimamente mediatizada ou seu conhecido pessoal.

Ponto final. Isto partindo do princípio que nem foi um outro qualquer que criou o blogue em seu nome como até já aconteceu.

Fora isso somos todos mais ou menos anónimos com foto ou sem foto, com BI ou sem BI, com cartão de crédito ou sem cartão de crédito.

Quanto às pedras à socapa dependem apenas de cada um.

Anónimo disse...

josé,

Para quem não quer saber do jpp, dispensa-lhe tempo a mais.... não há comentário em que não lhe faça refer~encia ... e então no seu blogue ... são dias inteiros.

Aposto em como sonha com ele...

E claro que quer passar despercebido, por isso tem um blogue e escreve nele.

Anónimo disse...

a zazie é um caso tipico de esquizofrenia ...
será que alguém naquele estranho mundo é quem diz que é?

Anónimo disse...

Pobre jpp ... escreveu uma pequena frase e olhem ao que deu azo....

Ele é Constança Cunha e Sá a dedicar-lhe posts, ele é cento e tal comentários num caixa de comentários. Ele é blogues em peso a escrever sobre as leis da blogosfera....

O blogger devia-lhe pagar um fee....

Anónimo disse...

ó josé, ai no tribunal têm acesso à internet?

e tu não trabalhas?

Anónimo disse...

Claro que a Constança Cunha e Sá acha normal o anonimato e a calúnia. É a escola do Independente do Paulo Portas.

maloud disse...

Estou estarrecida! 125 comentários?! O anonimato ou os anónimos despoletam um grande sobressalto interventivo. Se o Alegre, se tivesse apercebido disto atempadamente, incluía nas suas diversas causas, o direito inalianável ao anónimato e nós lá perdíamos mais um Domingo, exercendo a cidadania. E quem sabe, se Belém teria outro inquilino. A esquerda, às vezes, também tem sobressaltos

rb disse...

Zazie: eu disse que é candidato ao maior embuste, e não que já tinha ganho tal título. E não é preciso ser nenhum expert para não fazer insinuações torpes sobre a honra dum inocente como o Paulo Pedroso, pelo menos, tanto quanto a minha cara Zazie. Ataque polítco sim, mas não com essa baixeza.

DeuzDozCeuz disse...

Este arrisca-se a ser o post mais comentado de toda a história da blogosfera.
Confesso: dá-me algum gozo ver as desconsiderações intelectuais geradas pelas diferenças de opinião, especialmente se enunciadas com algum malabarismo ou capacidade de articulação. O que é raro, bem sabemos.

Anónimo disse...

A Zazie ataca o Caso Pedroso porque foi um caso exemplar de como o Ministério Publico, exorbitando todos os seus poderes e, diga-se de passagem, demonstrando á saciedade a sua incompetencia, perseguiu um politico e correu mal.
Chateia-a que o MP não tenha conseguido apanhar um "poderoso" embora tenha andado a ouvir os telefonemas de meio mundo para esse mesmo fim.

Anónima, mas pouco, de facto.

Aurora

maloud disse...

Não posso deixar de agradecer as numerosas contribuições, desinteressadas e anónimas, recebidas aqui no Espectro, para passar a "azul". E corajosamente usei o petit-nom familiar {tive que acrescentar uma letrinha, porque sem a letrinha não estava disponível}, pelo qual os meus "amigos" me passarão a tratar.
O curso sobre o anonimato saltei, porque tive um extensamente explicativo ao pequeno-almoço e desta vez não foi a correr.

maloud disse...

Vocês ainda andam às voltas com o Paulo Pedroso? O caso já não transitou em julgado?
Isto parece uma discussâo sobre futebol, com os "supporters" do PP a acharem que o árbitro foi um malandro ao mostrar-lhe o amarelo, e os do adversário {quem era o adversário?} a exigirem o vermelho directo.

Anónimo disse...

este post tem um grande número de comentários porque anónimos como o josé e a zazie, que naturalmente ninguém lê nos seus blogues, se vem aqui postar a beneficiar do lugar ao sol conquistado pelo Vasco Pulido Valente.

Parasitismo, é o nome.

Sílvia disse...

Hum!...Mas que bem se está no campo, ó Constância!

maloud disse...

É por isso que eu a vou visitar.
Um abraço

Sílvia disse...

Que bom,Maloud!...Fico a aguardar a sua visita. Um abraço.

Anónimo disse...

É inacreditável , como sabem alguns que ninguém lê alguns blogues de alguns não anónimos?
Confesso a ignorância mas eu juro que já li (não todo, admito) o blogue da zazie, pena não ter lá encontrado mais posts sobre as capelinhas e as modas e a correspondente tendência crescente para a mediocridade nas nossas universidade

maloud disse...

Vendo bem, também será efusivamente recebida no Porto.
Não é tão calmo, mas é muito mais pitoresco.
Um grande abraço

Judeu Errante disse...

Primeiro perguntam-nos o nome.
Depois querem saber onde moramos e o que fazemos.
Em seguida querem devassar toda a nossa vida.
Por fim querem-nos manietar, atrofiar, controlar, perseguir, aprisionar.
São eles, a estirpe "superior", a raça pura...
Sempre eles!

maloud disse...

Judeu errante,
Quem são eles? Quem é a estirpe "superior"? Quem é a raça pura?

JAC disse...

Dou espaço para todos os comentários e olho para eles com o mesmo espírito que observo as caricaturas do profeta… dou a liberdade de expressão e tenho a liberdade de desprezo por alguns.



«Somos uma nação pobre (estéril) e castrada (infecunda) … somos um povo descaracterizado, humilhado e cobarde cujos ídolos são uns, alguns de nós, a correr atrás de uma bola num campo relvado. - JAC»

"Eis aonde se chega na estrada do politicamente correcto: a intolerância religiosa não é de quem quer proibir os "cartoons", mas de quem os publica.”

http://sal-portugal.blogspot.com/
JAC - Sal de Portugal

piscoiso disse...

É só para ver se a caixa rebenta.

JOINCANTO disse...

PUMMMMMMMMMM!
(afinal era só um traque. Para os anónimos)

pirata vermelho disse...

O seu comentário que, sem desprimor, é 'de la palisse' engendrou 150 la palissadas que não sei se leio.

De facto! Constança, o texto vale pelo que contém, independentemente do quem puder ser o autor (enquanto não-textual, de per se...) e, sobretudo, de uma 'forma de identificação'.
Espanta que seja necessário explicar.

Quanto à diferença, essa, você intuiu-a aqui e ali, n'est-ce pas?

pirata vermelho disse...

...porém!
isto é que será sempre enigmático
---
Comment Deleted
This post has been removed by the author.
---
for the so said, the author

pirata vermelho disse...

...for the author is entitled to but stays exposed

pirata vermelho disse...

Você parece impunemente opinoso, zazie
mas
é ágil sem ser rápido...

nikonman disse...

Li o post, abri a caixa de comentários para a mandar à merda* (de forma anónima mas com o rabo de fora) e li o primeiro comentário (assinado pelo leitor Daniel), com o qual estou inteiramente de acordo e subscrevo.
Agora transporte este mundo da blogosfera para a província, onde toda a gente se conhece e todos falam de todos. É capaz de fazer esse exercício? Não é, obviamente. Porque se fosse, imaginaria o que era ver assaltada a sua caixa de comentários por frases e mais parágrafos cheios de impropérios (o que mais me custa são os substantivos, porque aos adjectivos já nem ligo), que são cobardemente lançados sob o escudo do anonimato. CCS, saia um pouco do pedestal e veja o que se passa na terra (na sua e na dos outros). Depois falamos.

*para ver qual seria a reacção

perplexo disse...

O comentário anónimo tem um especial valor por ser totalmente sincero. Como não teme respostas de retaliação, pode dizer exactamente o que quer. Podemos não gostar dele por o considerarmos injusto ou maldoso. E, às vezes, é. É um preço a pagar por nos expormos em blog.

Mas pode até ser um preço aceitável, se tomarmos em conta a sua clareza de intenções. Quem pode garantir que o comentário assinado não passa, afinal, de uma estratégia de aliciamento de leitores para o blog que o subscreve?

Anónimo disse...

Gostaria apenas de escrever - posso ter a última palavra ?