quinta-feira, janeiro 19, 2006

PROCURA-SE


Luis Marques Mendes, presidente do PSD, líder do principal partido da oposição. Foi visto, pela última vez, em Pombal, ao lado do candidato apoiado pelo seu partido. Militantes anónimos do PSD não excluem a possibilidade do seu líder ter sido raptado por um grupo de apoiantes de Cavaco Silva. Parte do PSD oferece uma pequena recompensa a quem der novas do seu paradeiro.

26 comentários:

Tiago Mendes disse...

Ou seja: uma pessoa ou humilde (sem a soberba de Soares ou a vaidade de PSL - e que sabe por-se no seu lugar, sem necessidade de excessos de protagonismo pessoal) ou com sentido estrategico ponderado por interesses maiores (por saber que esse "afastamento" e' estrategicamente o mais conveniente para a vitoria de Cavaco).

Ou - essa e' a minha hipotese - um misto das duas. MM nao e' nenhuma "estrela", mas dentro do que podemos ter em Portugal e' pelo menos uma pessoa com alguma seriedade. Julgo que e' de louvar que ele se tenha sabido resguardar - algo que PSL ou Marcelo ou mesmo Durao teriam tido mais "dificuldade" em fazer (os genes da soberba e da vaidade sao tremendamente poderosos).

Dito isto, o post esta' com (bastante) piada, ha' que diz-lo. Dai que o meu "contraditorio" nao seja para levar demasiado a serio.

ccs disse...

Caro Tiago
Ainda bem que o encontro. Gostava de por o texto de EL e o seu comentário no blogue mas como sou nestas coisas não nã sei se isso pode ser visto como um abuso. se estiver de acordo, diga-me sff

Tiago Mendes disse...

Pode, claro, cara CCS. Pode tambem usar o link para o artigo que eu pus online:

http://scimprensa.blogspot.com/2006/01/os-tempos-de-mrio-soares.html

So' posso penitenciar-me pela [cronica] falta de acentos.

Ricardo disse...

CCS,

Parece ser um acaso - ou então não - que a linha argumentativa de António José Seguro ontem seja seguida aqui hoje. Já era visível há muito tempo essa estratégia!

Também, verdade seja dita, começa a ser flagrante que há uma profunda coordenação entre Cavaco Silva e Marques Mendes, voluntária ou involuntária. Por isso apelo, mais uma vez, para que não se comece mais uma vez a dar palco, entre os comentadores políticos, à teoria da(s) legitimidade(s).

Não posso deixar também de sublinhar que, ao ler os comentários, li pela primeira vez o texto já aqui recomendado do Eduardo Lourenço e devo dizer que é mesmo uma excelente recomendação de leitura.

MCM disse...

Ah!Ah!Ah!

Manuel Campos disse...

Marques Mendes não foi raptado: sofreu um 'apagão'. É bom que MM reflicta sobre o seu futuro. É que Cavaco ameaça, caso seja eleito, a ser o líder da oposição

ccs disse...

Duas pequenas notas: não sei o que é que AJS disse ontem.

Estou de acordo com o Tiago: há muito tempo que considero MM um político sério e seguro. Mas o seu desaparecimento da campanmha não deixa de ser um prenúncio do seu apagamento depois da campanha, com Cavaco Silva, em Belém. O PSD vai-se ressentir disso

Tiago Mendes disse...

"Mas o seu desaparecimento da campanmha não deixa de ser um prenúncio do seu apagamento depois da campanha, com Cavaco Silva, em Belém. O PSD vai-se ressentir disso"

Depende. Julgo que MM pode aproveitar a vitoria de CS como aproveitou - contra o que muitos comentadores escreviam - o "feedback" que se seguiu 'as eleicoes autarquicas, onde ficou mais ou menos unanime que MM tinha "estado bem" em criticar os caciques locais, incluindo - isto nao e' de menosprezar - o "grande" Alberto Joao.

Ou seja, dentro da "politiquice" a que nos habituamos, e' de crer que MM saia mal disto. Se acreditarmos que as coisas possam mudar um bocadinho, diria que MM tem ate' uma boa hipotese de reforcar a sua lideranca, por ter demonstrado algum desapego ao "protagonismo" (por uma causa maior - a eleicao de CS), e, por conseguinte, ao "poder".

[Isto e' "relativo", claro, afinal o homem esta' na politica ha' anos].

Tambem acho que CS, a ganhar, tera' menos protgonismo do que alguns julgam. CS querera' (e' o expectavel) ser reeleito daqui a 5 anos, e lembremo-nos que candidatos fortes nao faltam (Guterres, VItorino, Marcelo, Freitas, etc). Logo, CS vai resguardar-se, e, de facto, MM pode ser um optimo - e reforcado - chefe de oposicao.

O ponto crucial, quanto a mim, e' saber qual sera' o candidato a primeiro-ministro do PSD daqui a 3 anos, se MM, se Borges, se Menezes, se outro qualquer. BOm seria que se pudesse inaugurar um ciclo em que candidato a primeiro-ministro e lider partidario nao tivessem necessariamente que coincidir. Mas isso seria sonhar demasiado alto. Afinal, tambem somos feitos de emocoes.

Anónimo disse...

Boa, Boa! CCS. O homem deve ter-se perdido ele mesmo... Nada a fazer!

Apatrida

Chico de Óbidos disse...

O nosso MM tem-se esquecido de comentar aquilo que vai acontecendo na política nacional. E não tem havido falta de assunto! desde o PGR, o Mariano Gago, a Ministra da Cultura, etc, etc, etc...
O país não está de férias apesar das festanças!

Anónimo disse...

Oh Chico! Sabe porque razão ele não comenta? Porque o Cavaco lhe disse para ele não abrir a boca ndurante a campanha!!! Acha isso digno de um lider? Acha que alguém poderia aceitar uma coisa dessas! Nem sobre as escutas falou! Coitado! Ficou arrumado, e nem é preciso que o Cavaco ganhe!

Tiago Mendes disse...

"O nosso MM tem-se esquecido de comentar aquilo que vai acontecendo na política nacional. E não tem havido falta de assunto! desde o PGR, o Mariano Gago, a Ministra da Cultura"

E' um facto. Julgo que tera' sido por ele saber que (inevitavelmente) os jornalistas lhe fariam perguntas sobre os inumeros "casos" das presidenciais. Ora, ou ele esta' dentro do jogo, ou fora do jogo. Aparecer constantemente a dizer que "nao comenta", que CS e' "suprapartidario", etc, so' o fragilizaria ainda mais - a ele e mesmo a CS (ja' bem basta o papagaio falante que ele e', ainda mais com MM a repetir o mesmo).

Ou seja, e' uma "pena" que nao tenha havido grande oposicao nestes ultimos tempos, mas MM fe-lo por uma causa maior - e "nobre" (do ponto de vista do seu partido). Logo, acho que ele esta' de parabens. O que nao esta' de parabens e' o "sistema" em que vivemos, onde uma campanha destas dura 6 meses, quando devia durar 1 mes, ou 2 no maximo.

ASsim como assim, MM optou por "sacrificar-se" e dar o tudo por tudo para que CS ganhe a eleicao - que e' um marco historico, como todos sabemos (mesmo que CS nao seja realmente de direita, que nao e'). E, ja' agora, o CDS tambem esta' de parabens, porque se tem portado lindamente nos ultimos tempos. A politica (felizmente) tambem tem isto: pausas e silencios que se justificam por um objectivo maior. Nem e' bom ter ruido o tempo todo, nem e' adequado interpretar o silencio como sinal de fraqueza.

Adriano Volframista disse...

Apenas para ajudar ao debate:
Recordam-se que, entre Mário soares, SG do PS e António Guterres, SG do PS, quem foram os presonagens que preencheram o vazio?
Apenas para ajudar:
Um é o futuro PR;
O outro é o actual e putativo Gov. do Banco de Portugal.
A propósito, o PS tambem morreu?

Cumprimentos
Adriano Volframista

Adriano Volframista disse...

Peço imensa desculpa aqui fica a rectificação

Apenas para ajudar ao debate:
Recordam-se que, entre Mário soares, SG do PS e António Guterres, SG do PS, quem foram os presonagens que preencheram o vazio?
Apenas para ajudar:
Um é o futuro EX-PR;
O outro é o actual e putativo Gov. do Banco de Portugal.
A propósito, o PS tambem morreu?

Cumprimentos
Adriano Volframista

Anónimo disse...

Ganda Tiago!... viaje um pouco no estrangeiro e veja como Portugal é diferente, sobretudo na politica! Os seus argumentos fazem-me, rir e chorar, ou melhor, fazem-me sentir bem... Apatrida!

ccs disse...

Espero que tenha razão mas não tenho uma perspectiva tão optimista sobre o futuro do PSD. A votação do orçamento e a questão do PGR indiciam que vai haver difuldades na gestão da autonomia. Qt a CS penso que as expectativas são tantas que difilmente ele conseguirá resguardar-se.

Tiago Mendes disse...

Eu nao sou muito optimista, estava era a falar mais do "desejavel" do que do "expectavel". Com probabilidade elevada, portanto, mero wishful thinking... I rest my case, then.

AM disse...

Eu peço desculpa por destoar de tão "pias" leituras...

Cavaco (os que pensam por ele) sabe(m) que para ter hipóteses de ganhar as eleições precisam de conquistar os votos dos tais palermas que ora votam nuns, ora votam no outros.

Os votos dos "ferrinhos" do PSD e do CDS (para além da direita mais radical e outros fascistóides não alinhados) estão seguros desde o início.

Pra conquistar os tais "palermas" que, afinal, decidem quem governa o país, as autarquias e até quem vai ser o próximo PR, naturalmente tem que se esconder aqueles da "familia" que envergonham.

Ora MM e o SG do "outro partido que apoia CS" isso, aquele dos futebóis o Ribeiro e Castro, só envergonham CS e não conquistam qualquer voto dos que, nas últimas legislativas, cairam em sorte ao PS.

Por isso é que estão escondidos, quietos e calados como CS (quem pensa por ele) os mandou.

E eles assim ficam (sorte não terem cauda)

AMNM

Cavalo Marinho disse...

Com estes dois últimos posts a Constança revela-se em grande forma.
Parabéns!

João Gonçalves disse...

Que mazinha, Constança. Não se deve falar com a irrelevância, tal como com a ignorância. Abraço amigo.

António P. Castro disse...

Francamente, Constança, essa, além de não ser boa, não é original.

scriptore disse...

Em politica, quem não aparece morre. Eu apoiei Marques Mendes contra Menezes, pela sua seriedade, competência e virtuosismo. A forma como geriu as autarquicas e as venceu agradou-me. Depois falhou na não aprovação do orçamento e agora cede perante Cavaco. É que o PSD não descolou só da campanha, descolou-se da vitória de Cavaco.
Quem ganha com essa fraqueza? Lembram-se da 3ª via?
Não desapareceu, está só adormecida...

paulof disse...

Este post tem um pequeno problema ( um ligeiro pormenor): é que parte de uma premissa falsa: pelo facto de Marques Mendes não "aparecer" nas pnatalhas e capas dos jornais, não quer dizer que não apareça onde importa, que é no gabinete de líder do PSD.

O presidente da prisa-Media Capital, por ex., também não gosta de "aparecer"
e no entanto não deixa que ninguém apareça por ele no seu gabinete em Queluz...

scriptore disse...

De acordo Paulof, mas aquilo que eu quero como português e social-democrata é que o lider do meu partido faça oposição ao governo, apareça, fale, dialogue, debata, proponha. Não quero um lider de gabinete, ou só de gabinete.

paulof disse...

Scrpitore:

Não captou o meu ponto: o meu "aparecer" não tem a ver com ser um político (M. Mendes ou outro qualquer) de gabinete ou de andar no terreno, sendo que para mim o ideal é um misto: tem a ver com a excessiva mediatização ( naturalmente os media desempenham um papel importante, que importa preservar, mas com sentido proporcionado e crítico)hoje existente e a excessiva depêndencia dos políticos pelas "aparições" mediáticas.

Anónimo disse...

Não há almoços gratis.
O silêncio vai ser cobrado.