sexta-feira, janeiro 27, 2006

Os mestres do liberalismo

Se eu me guiasse por alguns faróis do liberalismo que iluminam a blogosfera, já me tinha provavelmente albergado à sombra do socialismo. Intolerância por intolerância, antes a velha esquerda marxista do que este arrivismo ideológico que passa por liberalismo. Basta ler certas coisas que se escrevem, por aí, para se perceber que, para os seus mais zelosos apóstolos, o liberalismo…não é liberal. É um intricado de regras invioláveis e de certezas iluminadas. Uma luta feroz pela imposição da ortodoxia. E um campeonato pueril de exibições mesquinhas e de egos mal ajustados. Ser mais liberal do que qualquer outro liberal é o grande desígnio que anima certos liberais. O liberalismo é o exclusivo de uns tantos: há sempre alguém, de cartilha em punho e de dedinho em riste, disposto a zelar pelos princípios da seita. O mínimo desvio e a mais leve heterodoxia são imediatamente denunciados pela pena fácil dos mestres. Os mestres, na sua prodigiosa sabedoria, conhecem, apenas, um único caminho: os liberais, se quiserem ser liberais, têm que pensar segundo cânones liberais que foram criteriosamente estabelecidos pelas autoridades liberais, entretanto, designadas. E os cânones são apertadinhos. Não dão azo a deambulações do espírito. Nem a tergiversações doutrinais. A coroa de glória dos mestres é apanhar um liberal em falta. Denunciá-lo na praça pública. Apontar-lhe a ignorância. E mostrar, pelo caminho, a sua superior inteligência de mestre. O mínimo que se pode dizer é que esta gente, coitada, faz pior ao liberalismo que todos os apologistas do Estado.
ccs

56 comentários:

Ricardo disse...

Viva,

Esta ironia está bem explanada, ou seja, a defesa da liberdade individual estar limitada pelas regras da liberdade individual. Eu não percebo nada do que é ser liberal ou, actualmente mais na voga, neo-liberal porque, tal como na liberdade, o conceito é muito ténue porque interactivo. Não defendo um papel excessivo do Estado mas também não defendo um Estado divorciado das distorções normais do mercado. E será porventura interessante analisar a Globalização nos moldes actuais para perceber o que funciona mal na intervenção dos Estados e o que também funciona mal no que os Estados não intervêm. Talvez a solução não esteja nas regras rígidas dos extremos...

Cumprimentos,

Anónimo disse...

Clap!Clap!Clap!(Aplausos)
E quantos dos novos ultra-neo-liberais
são ex-marxistas-stalinistas-leninistas?
Imeeeensos!
Não pensam pela propria cabeça, só precisam de um livro (que já foi vermelho) ou conjunto de regras mais ou menos simples para "policiarem" os outros.Estão sempre prontos a serem qualquer coisa, desde que essa coisa lhes dê a proximidade do poder que adulam.Estão sempre (a seu ver) do "lado certo" da historia, nem que para isso mudem de opinião, de caracter e até de personalidade. São os homens novos.Tudo é negociável, tudo é mercado.

scriptore disse...

Concordo que a defesa de ideologias e de causas não se faça pelo ataque a outras ideologias. Mas não acho que o problema esteja apenas nos liberais. A "velha esquerda marxista" não é propriamente um exemplo de respeito pelos ideais alheios.
Nenhum país sobrevive sem iniciativa privada e nenhum sobreviverá sem supervisionamento do Estado.

LA-C disse...

Cara CCS
Não faltam uns links no texto, para sabermos a quem é que se está a referir?
Ou a ideia é ver quem enfia a carapuça e lhe responde?

Vasco Gabriel disse...

LA-C, quem segue a blogosfera sabe de quem a CCS fala. Uma forma fácil de os detectar é pelo nr de citações dos autores da cartilha da seita correspondente. O que, curiosamente, só reforça a impressão de que a reflexão e a opinião individuais escasseiam. Não só concordo com a CCS, como isto me faz lembrar as velhas tricas das facções comunistas, que se acusavam mutuamente de "desvios de direita". Agora, só mudou a direcção...

Tiago Mendes disse...

Grande post! Parabens.

LA-C: nao achas obvio quem sao os visados? E nao achas melhor deixar a coisa sem links, para nao parecer ataque cerrado / pessoal? E' assim que eu vejo a coisa. E acho que esta' fenomenal.

LA-C disse...

Caro Vasco
Quando dizes que é óbvio de quem a CCS fala, para mim não é assim tão óbvio. O RAF do insurgente é visado ou não? O AAA do mesmo blogue é visado ou não? E o Rui Albuquerque? Há alguém no Acidental visado neste post? É só o Blasfémias?, são todos os autores do blasfémias? É só um deles?

Agora deixa-me levar o argumento para um outro patamar. Não que seja óbvio ou não. A CCS ao escrever um texto nestes termos inviabiliza o debate, porque os visados não lhe podem responder. Porque se respondem estão a enfiar a carapuça.

LA-C disse...

Na segunda frase que escrevo devia estar:
"Agora deixa-me levar o argumento para um outro patamar. Não interessa que seja óbvio ou não. A CCS ao escrever um texto nestes termos inviabiliza o debate, porque os visados não lhe podem responder. Porque se respondem estão a enfiar a carapuça."

Respondi ao Vasco antes de ler o vcomentário do Tiago. Penso que a resposta que dei ao Vasco se adequa à questão do Tiago: Não é relevante se é óbvio ou não. Ao escrever um texto nestes termos os visados apenas podem responder se enfiarem a carapuça, ou seja se se admitirem culpados daquilo que a CCS os acusa.

LA-C disse...

Se eu escrever um texto, visando o Tiago, a dizer que há liberais que levam o raciocíonio lógico a um extremo absurdo. Se eu não identificar explicitamente o Tiago, o Tiago não pode responder, pois tal implicaria que reconhecesse que levava o raciocínio lógico a um extremo absurdo.

PS Para que fique claro, esta crítica ao Tiago é meramente hipotética.

Tiago Mendes disse...

LA-C: nao vou dizer aqui quem acho que sao os visados. Sinceramente, nao acho que os visados sejam um "conjunto" perfeitamente definido. Serao mais abundantes em certo(s) blogue(s), mas nao creio que o ataque seja "pessoal", nem que peca uma resposta. Alias, acho que e' assim - como um mero "statement" - que tem mais impacto. Nao e' preciso estar sempre a linkar para obter resposta. O objectivo nao me parece que seja "ir 'a luta", ate' porque a primeira coisa que os visados provavelmente diriam seria "CCS nao e' liberal, o seu post provou isso", ou algo do genero. E, de facto, nao ha' paciencia para certas prosas.

Mas tambem discordo quanto ao teu argumento formal seguinte. Acho que nao ha' assim tanto mal em "enfiar a carapuca". Ou melhor, os visados nao ficariam com certeza ofendidos, ja' que sao as "virgens do liberalismo" (ponham duplas aspas aqui, que isto nao pretende ser ofensivo nem pessoal).

"Ao escrever um texto nestes termos os visados apenas podem responder se enfiarem a carapuça, ou seja se se admitirem culpados daquilo que a CCS os acusa."

Mas a "culpa" aqui e' saborosa, digamos assim. Quem quiser enfiar a carapuca fa-lo-a com gosto. Ja' aconteceu varias vezes. O que pode acontecer e' uma determinada humildade (nao estou a ser ironico) que faz com que ninguem se chegue 'a frente para responder a uma provocacao que nao e' (quanto a mim) dirigida a ninguem pessoalmente, mas a um certo "espirito" que abunda em certos blogues.

E e' por ler a coisa assim que nao vejo necessidade em responder ou sequer colocar as questoes que tu poes quanto a pessoas identificadas. Acho mesmo que por a questao nesses termos e' procurar um "conflito" e uma dimensao "ad hominem", essa sim, que poderia ser ofensiva. Porque as barreiras sao por vezes (nao estou a pensar particularmente nos citados, mas a fazer uma argumento geral) dificies de tracar. E por isso um post "abrangente" tem mais impacto.

Pelo menos e' essa a minha leitura, posso obviamente estar enganado.

PS: sera' que posso ficar ofendido com o teu "esta crítica ao Tiago é meramente hipotética"? Eu nao raro gosto de forcar as coisas para um patamar exagerado - uma especie de "hysteresis": da-se um choque mais que necessario, porque ja' se sabe que deppois ha' um voltar atras, e assim garante-se que o estado final da coisa e' mais ou menos apropriado. Exagero para que o resultado seja moderado, depois do ajustamento previsivel.

LA-C disse...

"LA-C: nao vou dizer aqui quem acho que sao os visados. Sinceramente, nao acho que os visados sejam um "conjunto" perfeitamente definido."

OK, então não é tão fácil de identificar os visados como o Vasco e tu (inicialmente) sugeriram.

"sera' que posso ficar ofendido com o teu "esta crítica ao Tiago é meramente hipotética"?"
Não, porque eu não penso que tu não levavas os argumentos lógicos a um extremo absurdo, o que eu não penso é que isso seja motivo de crítica (salvo em casos pontuais).

LA-C disse...

Não, porque eu não penso que tu não leves...

Tiago Mendes disse...

"OK, então não é tão fácil de identificar os visados como o Vasco e tu (inicialmente) sugeriram."

Sim... mas acho que estas a ser "reduccionista", se quiseres. Nao acho que o argumento esteja posto ao nivel "pessoal", mas um nivel superior, mais de aferir um certo "espirito", uma certa "forma de estar" que vem sendo patente, que e' - claro - resultado das prosas de certas pessoas, mas que nao e' (necessariamente) identificavel de forma algoritmica (embora alguns dos seus visados possam defender tal coisa com todo o afinco que pode haver numa mente exclusivamente algoritmica).


PS: "Não, porque eu não penso que tu não levavas os argumentos lógicos a um extremo absurdo, o que eu não penso é que isso seja motivo de crítica (salvo em casos pontuais)."

Ok... entao ali em cima o "facto" era "real", a "critica" e' que era "hipotetica", i.e., posso por vezes exagerar mas isso para ti nao e' motivo de critica. Concordo (e vivam as hysteresis).

Anónimo disse...

"Ok... entao ali em cima o "facto" era "real", a "critica" e' que era "hipotetica", i.e., posso por vezes exagerar mas isso para ti nao e' motivo de critica."

Precisamente, com excepções pontuais, não esquecer.

LA-C

Tiago Mendes disse...

Ja' agora, reavivo aqui uma polemica entre o Joao e o RAF, onde tambem me meti:

http://ometablog.blogspot.com/2005/12/neoliberalismo-e-marxismo-os-opostos.html

http://ometablog.blogspot.com/2005/12/ideia-de-liberalismo-e-suas.html

http://aforismos-e-afins.blogspot.com/2005/12/uma-questo-de-mtodo-e-devoo.html

http://blueloungecafe.blogspot.com/2005/12/quando-os-portugueses-da-dispora-do.html

http://aforismos-e-afins.blogspot.com/2005/12/esclarecimento-hermenutico-ao-raf.html

E alguns posts recentes do Henrique Raposo, que resolveu fazer disto uma das suas "guerras" (finalmente, diria eu):

http://oacidental.blogspot.com/2006/01/sem-estado-sem-comunidade-poltica-no-h.html

http://oacidental.blogspot.com/2006/01/sem-mo-de-ferro-no-h-mo-invisvel.html

http://oacidental.blogspot.com/2006/01/pilinhas-e-humildade-estado-e.html

Tiago Mendes disse...

"Precisamente, com excepções pontuais, não esquecer."

Sim, sim... e menos pontuais do que deviam ser. Mas vamos acreditar que os excessos tendem para zero no limite... ;)

Anónimo disse...

Boa CCS! O post que faltava. Não há nada mais arrogante do que arrogar-se, passe a redundância, da titularidade do conhecimento absoluto: uma soma matemática de 4 ou 5 dogmas e temos uma doutrina.
E aqui d'el rei quem não for da seita deles! Tenham medo, muito medo! Eles têm tudo controlado. Eles andam aí... Até têm Inquisador-mor!
Palhaçada, é o que é! Em vez de perderem tempo com doutrinas (aqui na minha terra há um bom ditado para quem tem boas doutrinas...), passem à prática. Não façam como o dr.cadilhe. Deixem lá as pilinhas e a fita métrica em paz.
RMC

RAF disse...

Cara CCS,
Terei todo o gosto em complementar este seu post no Blue Lounge, se possivel ainda hoje, para não perder o timing.

Caro Tiago Mendes,
Faz-me a justiça de, ao menos, me reconheceres o fair play e o civismo na discussão destes temas.
Eu tenho, acho, feito esse esforço.

Tiago Mendes disse...

Caro RAF: acho que sabes que reconheco isso - civismo, fair-play, abertura verdadeira ao debate de ideias, honestidade intelectual -, e muito mais. Sempre te vi como um tipo relativamente moderado dentro dos "austriacos" (nao gosto de rotulos, nao me interpretes mal, e' com intuito meramente "descritivo" e nao "opinativo"). So' nao queria entrar em casos particulares, porque se falasse de um (como esta' a ser o caso), deveria falar de outros... mas ok, no minimo mereces esse esclarecimento.

So' para reiterar um ponto: eu nao vejo nada do que se vai escrevendo nesta "guerra" (pelo menos das coisas que eu aprecio ler) como ataques pessoais. E nunca pus em causa honestidade intelectual de quem quer que seja ou outras caracteristicas pessoais. E', meramente, uma critica a certas formas "exclusivas" de ver o liberalismo que me assusta um pouco. E o exagero, a acontecer, tera' sempre como objectivo o campo das "ideias" e nao dos "sujeitos".

Abraco,

Tiago Mendes

paulof disse...

Bom post, ao contrário de outros, como o anterior em que, em minha opinião, foi banal.

No comentário a um comentário que fiz CCS aconselhou-me a ler um livro: não disse foi qual? O "Uma teoria do bolchevismo" do neo-marxista B. Russel? Lamento, mas sou alérgico ao "mofo" e àcaros...

Quanto aos liberais, de acordo, são-no na maior parte intelectualmente arrogantes e o que dá mais gozo e ao mesmo tempo dó, incultos, ou, dito de outra forma e ironizando, muito pouco "liberais" para com outras ideias e teorias.

Em relação ao marxismo e ao seu saudosismo, esse pessoal tem um bom remédio: emigrar para Cuba ou para a Coreia do Norte, para ver como, na prática, o comunismo é bom...

Cumprimentos,
paulof

zazie disse...

ahahaha bravo Constança! eu ainda demorei mas também cheguei lá. E quando cheguei foi precisamente com um cartaz destes que os caracterizei.
É a comuna científica e popular livre chapadinha. Só que agora em versão de banqueiro anarquista.
Haverá cambiantes mas o João Miranda tinha dado um perfeito maoista há 30 anos.

É tudo científico aprioristicamente, fora da história, da cultura, da tradição, em estado puro e baseado num dogma intocável e absoluto- a dita "liberdade"

Mas fazia cá falta uma CCS para o dizer. Que me lembre só havia crítica de esquerda e de 2 ou 3 independentes

zazie disse...

vou linkar este post. Tem de ser. Ainda por cima não havia uma única mulher a dar luta (eu não conto porque sou ignorante em matéria política). De resto era só salamaleques ou aquele tipo de críticas rançosas dos comunas à BE.
O campo feminino andava demasiado "modas e bordados" ":O)))

Tiago Mendes disse...

"É tudo científico aprioristicamente, fora da história, da cultura, da tradição, em estado puro e baseado num dogma intocável e absoluto- a dita "liberdade" - Zazie.

Exactamente. E' esse apriorismo que mata.

AA disse...

Tiago Mendes, se há debate a ser travado tem de ser aberto e frontal. Caso contrário este post não terá passado de um desabafo inconsequente— lícito, mas sem grande interesse intelectual. (todos nós já os fizemos!)

Combater o excessivo estatismo que existe é mais premente que denunciar utopias liberais, actividade que já originou a infantil discussão "eu sou mais liberal que tu". Sobretudo, não utilizemos os mesmos argumentos dos nossos adversários políticos que estão do lado estatista, se quisermos convencer as pessoas da bondade dos nossos princípios, valores e ideias.

Curiosamente, para mim (e muitos outros bloggers e leitores) os "faróis do liberalismo que iluminam a blogosfera", passe a pompa da expressão, incluem gente de perfeito bom-senso e abertura intelectual como o RAF ou o LA-C que já aqui escreveram, e muitos Insurgentes, Acidentais, Blasfemos e Sinédrios... Daí considerar que preferia que CCS esclarecesse a quem se refere, ou que pelo menos que nos desse a sua visão sobre o que entende ser o liberalismo...

AA disse...

Zazie,

É tudo científico aprioristicamente, fora da história, da cultura, da tradição, em estado puro e baseado num dogma intocável e absoluto- a dita "liberdade"

Compreendo que seja essa a visão popular que se tem do liberalismo, mas o facto é que os grandes pensadores liberais sempre foram grande defensores e teóricos da cultura e da tradição, justamente porque estas não são produto de estatismos, mas do genuino e espontâneo desenvolvimento da sociedade, mais ou menos livre.

Essa visão ajusta-se mais ao pensamento positivista e construtivista— que pretende alcançar uma sociedade mais perfeita por canones científicos, libertando o Homem das irracionalidades da tradição, dos costumes, da cultura, da história, etc, — e que é uma das bases do socialismo...

Tiago Mendes disse...

Caro Antonio:

Nao estou nada de acordo contigo, deixa-me que te diga. Esse teu "consequencialismo" nao me agrada. Nao confundas isto com (pretensa) "autoridade moral": nao e'. Mas ha' diferentes formas de estar na politica e na esfera publica. Essa "obsessao" com o peso do Estado e' justificada - sabes que eu, de resto, a partilho. Mas isso nao implica 1) que tenhamos que defender utopias e dogmas liberais (contrasenso, pois), nem 2) que tenhamos que proteger quem o faca, porque "mais vale proteger um liberal fanatico para calar bloquistas do que atacar os nossos". Isso para mim e' nonsense. Essa luta exagerada de barricada nao a compreendo nem a compro. De resto, tambem sempre disse que ha' um certo desfasamento entre a blogosfera e o mundo real. A malta aqui conhece-se toda, etc, mas la' fora as coisas sao diferentes. Ha' que ter sentido da proporcao.

"se há debate a ser travado tem de ser aberto e frontal. Caso contrário este post não terá passado de um desabafo inconsequente— lícito, mas sem grande interesse intelectual. (todos nós já os fizemos!)"

Claro que nao vou dizer que o teu comentario e' pouco liberal, porque isso seria entrar num jogo que aprecio. Muito menos me cabe a mim interpretar o que CCS quis dizer. Agora, essa ideia de que tudo o que escrevemos tem que ter um "objectivo" e' muito redutora. Nem acho que este post tenha pouco interesse intelectual, nem acho que todo o desabafo tenha pouco interesse intelectual. (O que nao implica que eu ache que este post e' um desaabafo). Acho que no teu comentario esta' subjacente uma ideia "belicista" no debate de ideias que nao me agrada. Nem sempre se tem que atirar tiros ao adversario. Podem-se atirar tiros ao ar, fazer experiencias com novo armamento, enviar sinais de fumo, o que tu quiseres. Nao e' preciso estar sempre pronto a matar.

"Combater o excessivo estatismo que existe é mais premente que denunciar utopias liberais, actividade que já originou a infantil discussão "eu sou mais liberal que tu". Sobretudo, não utilizemos os mesmos argumentos dos nossos adversários políticos que estão do lado estatista, se quisermos convencer as pessoas da bondade dos nossos princípios, valores e ideias."

Sabes que eu estou (relativamente) proximo de ti, mas nao partilho essa ideia de barricada. CAda um tem as suas prioridades. Essa atitude de calar os eventuais defeitos da "nossa causa" (leia-se: denunciar utopias liberais, apriorismos, dogmatismos, etc) nao e' a minha. Tambem nao tenho problemas se algum um argumento que eu achar que e' certo for usado por alguem do "outro lado". Em geral, isso nao sera' o esperado. Ou melhor, poderemos usar argumentos semelhantes na sua "expressao", mas que tem "origens" diferentes. Ja' o referi a proposito de temas quentes como o aborto ou os direitos dos homossexuais. Estou-me lixando para o que diz o sr. Louca ou os tipos da ILGA. Nao e' por eles dizerem A ou B que eu vou deixar de dizer o que penso, so' para "nao parecer de esquerda". Isso e' o que eles sao particularmente bons a fazer, mas de resto parece que o contagio em Portugal e' grande. Se os tipos do "lado de la'" dizem uma coisa, toca a dizer o contrario. Muito bem. Esclarecido.

"Curiosamente, para mim (e muitos outros bloggers e leitores) os "faróis do liberalismo que iluminam a blogosfera", passe a pompa da expressão, incluem gente de perfeito bom-senso e abertura intelectual como o RAF ou o LA-C que já aqui escreveram, e muitos Insurgentes, Acidentais, Blasfemos e Sinédrios... Daí considerar que preferia que CCS esclarecesse a quem se refere, ou que pelo menos que nos desse a sua visão sobre o que entende ser o liberalismo..."

Quanto a farois, cada barco navega nas suas aguas. Ainda bem que ha' quem siga luzes diferentes. Quanto a essa coisa de ter que dar uma visao do liberalismo, alem de me soar (repito-me) a mais outro grito de guerra, acho que e' redutor. Nem toda a critica necessita que se proponha em imediato uma alternativa ou clarificacao. Isso nao pode ser levado ao extremo, claro. So' dizer mal nao adianta muito. Mas nao me parece que seja isso que aconteca aqui.

Tiago Mendes disse...

"Essa visão ajusta-se mais ao pensamento positivista e construtivista— que pretende alcançar uma sociedade mais perfeita por canones científicos, libertando o Homem das irracionalidades da tradição, dos costumes, da cultura, da história, etc, — e que é uma das bases do socialismo..." - Antonio Amaral

Exactamente. Eis porque "algumas" forams de liberalismo tao populares na blogosfera de facto estao mais proximas, em termos "formais", do socialismo. Achar que certos liberalismos nao sao (sobretudo) aprioristicos e'... bom, no minimo requer uma grande dose de "charity principle" em cima.

SATANUCHO disse...

pelos vistos a carapuça serviu a alguem... he he he

Rui MCB disse...

É como diz a Zazie, um post para mais tarde recordar.
Pela minha parte simplesmente deixei de dar atenção a alguns desses rigorosos liberais, da mesma forma que me poupo a outros rigores anti-liberais. Salvo um ou outro dia em que me apetece jogar computador e não tenho um daqueles joguinhos de porrada por níveis à mão.

El Ranys disse...

Touché, CCS

Para um agnóstico, é sempre difícil compreender estas novas "teologias".

O melhor será organizarem um "Concílio de Trento" da doutrina liberal.

sol de inverno disse...

que comadres

Ricardo Francisco disse...

É preocupante a preocupação com a nomenclatura. Nesse sentido cara CCS tem todo apoio deste humilde leitor.

Ainda hoje vivemos essa preocupação na política do dia-a-dia. Quem é de esquerda e quem é de direita. Na Blogosfera não se discute esquerda e direita...discute-se em um nível muito mais alto...quem é mais liberal ou menos liberal, se é ou não holista ou reducionista. Será mais alto...ou mais ou lado? Quem sabe.

Agora, pior do que isto, é a questão de se ser mais ou menos liberal, como se isso fosse um prémio. Como ser um bom comunista noutros tempos. Eu pessoalmente gostava de ser coerente e racional. Ter uma visão política coerente com os meus valores morais e uma actuação política consitente mas tambem consequente. Mais ou menos liberal...não me interessa.

Agora, tenho que estar em desacordo com a cara CSS. De facto não é difícil dizer-se se alguem é mais ou menos liberal. E dentro de critérios lógicos qualuer pessoa pode afirmar que uma terceira tem uma posição mais ou menos liberal. Qual a melhor visão? Eu acho que cada um saberá de si...

jcd disse...

"É um intricado de regras invioláveis e de certezas iluminadas. Uma luta feroz pela imposição da ortodoxia"

Que alívio, esta frase e outras do mesmo género. A quem é que a Constança se refere?

Se só tivesse lido os comentários, até poderia ser levado a pensar que a posta até se referia a pessoas que conheço...

AA disse...

Tiago,

"Só dizer mal nao adianta muito" =)

Um post a contestar o liberalismo e outro os "mestres do liberalismo" fazem-me esperar agora por umas marretadas no cravo da excelente CCS...

PS: é bom ver-te de novo na liça blogoférica!

Tiago Mendes disse...

"PS: é bom ver-te de novo na liça blogoférica!"

So' no "subterraneo", em persistentes mergulhos de apneia - grazie ;)

Anónimo disse...

Mais um que enfiou a carrapuça:
http://ablasfemia.blogspot.com/2006/01/os-mestres-da-moderao.html

AA disse...

Tiago,

Apriorístico ou não, o liberalismo não pretende construtivistamente libertar o Homem da sociedade (eventualmente contra a sua vontade), antes pelo contrário, propõe-se ver a sociedade com um conjunto de indivíduos livres— se calhar excessivamente, mas discutamos então em que noção de Individualismo mais nos revemos... logo, formalidades e veemências à parte, estamos a falar de valores muito diferente...

"Why We Can't All Just... Get Along?"

Tiago Mendes disse...

Antonio Amaral, mate:

Claro que eu nao falo do "liberalismo", mas de alguns liberalismos, e sobreutdo da leitura aprioristica e algoritmica que alguns liberais tem da politica e de todo e qualquer assunto humano. Obviamente esse nao e' o teu caso, e eu nao acho, de todo (como poderia achar?) que todos os liberalismos (sim, ha' muitos) sejam aprioristicos.

""Why We Can't All Just... Get Along?"

Entao nao? Copos sao copos. DEbate e' debate. Just that.

jcd disse...

LA-C dixit:

«A CCS ao escrever um texto nestes termos inviabiliza o debate, porque os visados não lhe podem responder. Porque se respondem estão a enfiar a carapuça.»

Luís, se a Constança se está a referir ao Blasfémias (do que duvido), seja bem-vinda ao debate. Toda a gente é livre de pensar o que quiser de nós. (Já temos por lá uns quantos cromos, nas caixas de comentários...)

No entanto, suponho que não é ao Blasfémias que a Constança se dirige. Até hoje nunca a vi contestar uma única opinião do que por lá se escreveu, nunca apareceu a debate e logo num espaço em que o debate é sempre promovido e bem aceite. Não conheço nenhum blogue com a 'tiragem' do Blasfémias em que se pratique tanto a troca de ideias e a exposição livre de opiniões contrárias à nossa. No Blasfémias não há censura aos comentários.

Como sei que a Constança costuma fundamentar bastante bem o que escreve e não é pessoa para o toca e foge nem para generalidades inconsequentes, tenho a certeza que ela virá a esclarecer exactamente a quem se refere, que opiniões considera ortodoxas e, se for caso disso, debater as diferenças.

Nem outra coisa seria de esperar.

Anónimo disse...

jcd

Está descansado que a CCS não lê o Blasfémias. As leituras do espectro estão no lado direito do ecrã e podes ver que o Blasfémias não consta da lista.

Anónimo disse...

Já repararam que, ao pretenderem ser tão eruditos, tão dilucidativos, tão "connaisseurs", tão, tão, tão, mais pareceram abstruso e marreta badalo de sino? Nem todos, claro, mas...

E se se deixassem dessa conversa de treta e escrevessem em português simples e escorreito, sem maleitas de maior nem corcovas de dromedário, de quem sabe o que está a dizer e não precisa de camuflagens completamente despropositadas e ridículas?

O povoléu agradecia e, pelo menos, não sofreria com a "sapiência" de tantos sabedores de "sciência" "buída" em enciclopédia serôdia!

Ah! E deixem lá a senhora escrever como bem quiser. Quem entender, entendeu... quem não entender, que vá a outros blogues, mais à sua feição. Há por aí tanta dessa "sciência" entornada!...

A todos, santa tarde, na paz dos anjos.

Jorge Vicente disse...

"A tiragem do Blasfémias" é uma daquelas mistificações que interessaria investigar a sério. Vão lá ver quem linka aquele blog e depois tirem as vossas conclusões. É uma tropa anónima, na esmagadora maioria. Os blasfemos são uma corja de liberalóides de boca que cultivam a mais pura das intolerâncias.

Quando ao texto da ccs só lhe posso dar os meus parabéns. Tiro-lhe o chapéu, minha Senhora.

FMP disse...

Cara CCS,

Uma vez que não tenho blog, nem sou rapaz de escritas, penso que estou à vontade para falar sem precisar de me defender.

Gosto bastante de ler o João Miranda, o CAA, o Rui, o RAF e por aí fora. Oxalá houvesse noutros campos ideológicos a mesma efervescência e confronto que se apanha por aqui.

O que classifica de combates pueris entre egos mal ajustados, é para muitos, e incluo-me nesse grupo um interessante debate filosófico e político, um combate intelectual aberto, que não tem paralelo na sociedade portuguesa.

Por abertura de espírito, procurei em blogs como o causa nossa, ou o bicho carpinteiro encontrar um debate que me ensinasse outras coisas que estes senhores porventura não estariam em posição de ensinar. Infelizmente, todos eles são unilaterais, não têm "comments" e bloqueiam o debate e as questões que como leitor podemos ter. E para isso, fico em frente à televisão.

Nunca questionei as motivações ou os egos de quem as escreve, e sinceramente, não me parece relevante.

Também não sei se estes senhores fazem bem ou mal ao liberalismo, mas com eles aprendi bastante e ganhei um gosto pela leitura política, pelo debate, pela história, etc.

Espero que eles e outros assim se mantenham. E espero também que tenha o fairplay de se juntar ao debate, atacando os temas e não as pessoas que os escrevem.

Anónimo disse...

a ignorancia do que é o liberalismo , faz com que a autora do bolg escreva uma parvoice bovina tipica da carneirada que segue dogmas .
o liberalismo é mesmo discusao de quem é mais liberal , ao contrario do marxismo ou outro tipo de estadismo que em pro do bem comum chegam facilmente a consenso nem que seja pelas armas , o liberalismo tem muitas formas e esta sempre em mutacao , pois o liberalismo é apenas a adaptação de uma sociedade ao mundo que a rodeia , aquele que hoje esta certo amanha esta errado . ao contrario dos estadistas os liberais discutem o liberalismo melhor , o que mais se adapta ao mundo de hoje ou de amanha , ao contrario dos estadistas os liberais usao a razao e a logica para esses debates , ora a logica é uma coisa fria e desagradavel e por isso dá azo a discusões frias onde quem conseguir ser mais logico e ter mais razao ganha . os liberais não são pessoas agradaveis simpaticas e humildes , são homens e mulheres que lutao com argumentos frios e logicos . são desagradaveis , arrogantes ,egoistas , nada pacientes com a burrice , ignorançia e carneirada portuguesa .
CCS , é daquelas que gosta da carneirada , de consenso , de boas maneiras , de não discutir , de pensar que há politicas perfeitas .
o liberalismo , não é nada disso , é imperfeito é mutante , logo é propicio a eterna discusao .
quem é mais liberal ? sou eu , sou mais liberal que toda a blogosfera junta , sou liberal e luto por isso , até contra liberais e isso não é motivo de vergonha mas sim de orgulho , bem vinda á selva , não gosta da lei do mais forte ? entao volte ao comunismo onde são todos iguais , eu sou por um mundo onde o mais forte hoje , é o mais fraco amanha , sou por uma sociedade em luta constante por uma vida melhor , estou farto de vacas sagradas , intocaveis e direitos adquiridos , os liberais debatem o liberalismo com unhas e dentes entre si , porque é isso , que é ser liberal , o contrario é outra coisa qualquer que está entre a carneirada e a bovinidade reinante . há uns liberais que ganham aos outros nos debates , é isso mesmo que é o liberalismo , a luta eterna , nunca baixar os braços nunca desistir , ganhar umas vezes perder outras , enfim a realidade nua e crua , para que discutir o que esta falido ou nao funciona , estadismo e marxismo ? só há uma discusão possivel neste momento , quem é mais liberal e qual o melhor liberalismo para portugal , a CCS não percebe isto porque é daquelas que não gosta do liberalismo , perfere idologias politicas perfeitas nao dadas a discusão .

nao assino porque nao vale a pena ninguem me conhece , nem quer conhecer , sou um dos milhares de anonimos , que vai lendo blogs em vez de jornais e vai construindo a sua visao do que é o liberalismo , diferente da dos outros , porque nós os liberais , felizmente , somos todos diferentes .

Anónimo disse...

Oh meus amigos!...

Se vocês se conhecem todos porque é que não trocam números de telefone e não nos deixam em paz?

Não há pachorra!

Anónimo disse...

Pavlov. 1, 2, 3 e 4.

MP-S disse...

"É a comuna científica e popular livre chapadinha. Só que agora em versão de banqueiro anarquista."

Ahahah Zazie, lembras-te quando andamos a escrever passagens do "Banqueiro Anarquista" no Blasfemias quando foi daquela barracada dos nazis "em defesa da democracia"?

FMP disse...

Já agora agradecia à nossa CCS, que indique outros espaços de debate político e ideológico, interactivos e abertos como os que refere, mas que não mereçam da sua parte as considerações que acima escreve

Obrigado por antecipação
Francisco Miguel Pires

Maria Adelaide Serpa disse...

O execrável sem nome que assina CAA anda por aqui. Começaram a mandar a tropa fandanga deles em defesa da honra mas são como sempre anónimos. Vão lá para os vossos nichos de mercado, senhores, que conhecemos todos os truques da casa.

zazie disse...

ehehe MP-S

o que vale é que nós somos anónimos mas não anódimos ":O))

a Constança foi despachada e disse em poucas palavras tudo. E é claro que o que disse não se prende com debate nem com diálogos, nem com "ideias". Fez uma caracterização de comportamento de grupo certeira. Quem sabe o que foi o tribalismo "estruturalista" de seita maoista entendeu, quem não sabe esperneia ":O)))

zazie disse...

ups! queria dizer anódinos, caiu nódoa em qualquer lado...

Anónimo disse...

De repente, pensei que tivesse entrado, por engano, num "chat"! Mas, não. É mesmo o espectro da CCS. Estranho...

Anónimo disse...

e a quantidade de gente que estava à espera de um post destes para saltar cá para fora e atacar a malta do Blasfémias (pode escrever-se assim, sem meias palavras?)...

quando o mourinho perder vai haver uma festa igual

zazie disse...

não é por nada mas só para calar esse anónimo do Pavlov que me inclui:

http://cocanha.blogspot.com/2005/09/os-furaces-so-um-tigre-de-papel.html#comments


(veja a data!)

xatoo disse...

"ao contrario do marxismo ou outro tipo de estadismo"
ihihih
só mesmo um "anónimo" é que podia ter escrito mesmo uma coisa destas! - então não foi Marx que prenunciou o fim do Estado?

文章 disse...

AV,無碼,a片免費看,自拍貼圖,伊莉,微風論壇,成人聊天室,成人電影,成人文學,成人貼圖區,成人網站,一葉情貼圖片區,色情漫畫,言情小說,情色論壇,臺灣情色網,色情影片,色情,成人影城,080視訊聊天室,a片,A漫,h漫,麗的色遊戲,同志色教館,AV女優,SEX,咆哮小老鼠,85cc免費影片,正妹牆,ut聊天室,豆豆聊天室,聊天室,情色小說,aio,成人,微風成人,做愛,成人貼圖,18成人,嘟嘟成人網,aio交友愛情館,情色文學,色情小說,色情網站,情色,A片下載,嘟嘟情人色網,成人影片,成人圖片,成人文章,成人小說,成人漫畫,視訊聊天室,性愛,自拍,情色論壇,性感影片,正妹