domingo, janeiro 29, 2006

Deus caritas est

Ia escrever hoje sobre a primeira encíclica de Bento XVI. Mas, depois do que foi escrito aqui, decidi adiar as minhas considerações para mais tarde.
ccs

7 comentários:

Anónimo disse...

obrigado!Por acaso não conhecia o blog "Portugal dos pequeninos" mas de facto este texto está magnifico.
Cumprimentos

Paulo Pisco disse...

Este papa é um exemplo de como o "preconceito" da "inteligentsia" europeia nos pode levar ao engano. Pelo menos áqueles que ainda lhes vão dando ouvidos. Eu já não dou. Graças a Deus.

António Viriato disse...

Não se subestime. Se já leu a Encíclica, comente-a. O autor tem arcaboiço filosófico bastante para uma plêiade de exegetas. Já o seu antecessor também nos surpreendeu com duas ou três muito boas, as dedicadas a temas sociais, com destaque especial para a Centesimus Anus, que nem perdeu actualidade. Reconsidere, portanto, e surpreenda-nos também.

paulof disse...

ainda não a li, vou tentar le-la no original, pois as traduçoes costumam deixar algo a desejar...

Blogger disse...

O meu comentário vai certamente entusiasmar quase tantos leitores como o do comentador que me antecedeu.

Também ainda não li, mas vou esperar pela tradução para Aramaico.

É mais fino, e eu não me satisfaço com menos.

BONIFÁCIO disse...

Com Papa Bento XVI, modelo germánico Deluxe - os pobres estão lixados.

Tanto dourado nos eventos em que intervem, são uma clara aproximação aos ortodoxos
Otodoxos gregos, entenda-se

The Golden Pope, at last !

xatoo disse...

o Papa a citar Nietzsche ( o eterno retorno) só pode trazer implicita a volta de uma nova Idade Negra da civilização cujos fundamentos que pronunciam a Ditadura Global já andam por aí,,,